Os melhores pratos de massa em Lisboa

No que toca a italiano, há quem prefira pasta. O nosso trabalho foi uma massada mas depois de provarmos uma data deles, descobrimos os melhores pratos de massa em Lisboa

Fotografia: Arlindo CamachoA carbonara do Il Matriciano

Entre restaurantes italianos com poucos anos de vida, pratos novos em cartas antigas e prémios atribuídos pelo Governo de Itália, fomos à procura dos melhores pratos de massa em Lisboa, cozinhados al dente e cronometrados ao minuto por quem percebe do assunto.

Os melhores pratos de massa em Lisboa

Spaghetti Alla Carbonara do Il Matriciano
Fotografia: Arlindo Camacho
1/9

Spaghetti Alla Carbonara do Il Matriciano

Quando Alessandro entrou pela primeira vez neste restaurante, sentiu saudades. O espaço fazia-lhe lembrar tanto a casa da avó que, depois de muita insistência, lá convenceu a dona a vender-lho. Desde finais de 2014 que à porta do Il Matriciano param carrinhas vindas de Itália carregadas de produtos com os quais se fazem pratos como este: “A massa é fresca e leva guanciale de Abruzzo, que é uma carne parecida com bacon, mas feita com a bochecha do porco que fica a curar em sal durante um ano”, diz Maurício, o chef. Com alguma sorte (e pesquisa), consegue encontrar esta bochecha à venda na La Bottega, a mercearia que Lagana tem em Campo de Ourique. A envolver a massa há ainda dois queijos (pecorino e parmesão), pimenta preta e um ovo cru. Prove também o spaghetti alla chitarra, com mini-almôndegas à moda da Stefania (16€).

Preço: 10€
Tempo de cozedura: 6-8 min. 

Ler mais
Chiado/Cais do Sodré
Ravioli al Baccalà do Zero Zero
©DR
2/9

Ravioli al Baccalà do Zero Zero

Não se preocupe se assim que entrar na popular pizzaria do Príncipe Real ficar sem saber para onde se virar. É compreensível, uma vez que logo à entrada há uma montra de queijos e enchidos italianos para picar (as tábuas são a peso e um bom aperitivo para partilhar com amigos) ou levar para casa, do outro lado há um bar de proseccos. Na dúvida, siga em frente, sente-se à mesa e peça os Ravioli al Baccalà. A massa fresca é feita com ovos e farinha 00 e o recheio de bacalhau é uma receita do chef italiano Libório Buonocore, que já passou pelo La Pergola, restaurante com três estrelas Michelin em Roma. Em redor dos 15 raviolis que vêm no prato há molho de tomate aos molhos.

Preço: 12,50€.
Tempo de cozedura: 4-5 min.

Ler mais
Princípe Real
Linguine com Salmão Fumado do Bella Ciao
Fotografia: Manuel Manso
3/9

Linguine com Salmão Fumado do Bella Ciao

Marcello Di Salvatore, o dono, já cá está há tantos anos que não lhe chegam os dedos das mãos para os contar. E são as suas mãos que fazem um dos pratos com mais sucesso nesta típica cantina italiana na Baixa, onde as enormes pratadas de massas são feitas na hora. “Os clientes pedem muito este linguine porque é simples e saboroso. Antes fazia-o com penne e natas, mas como não gosto de natas, decidi mudar a receita”, conta. Agora, além do salmão fumado, só leva azeite, alho, salsa e pimenta preta. Nada mais. “Ah, e tem de ser al dente, retirada da panela um bocado antes até. Quanto mais cozida, mais pesada, logo, pior a digestão, capisce?”. 

Preço: 9€.
Tempo de cozedura: 7 min.

Aviso à navegação: o Bella Ciao está fechado. Vai reabrir a 20 de Novembro num novo espaço, maior, na Rua de São Julião, a cerca de 300 metros do restaurante original.

Ler mais
Chiado
Pasta al Pesto di Rappa Rossa do Osteria
Fotografia: Manuel Manso
4/9

Pasta al Pesto di Rappa Rossa do Osteria

4 /5 estrelas

“É errado pensar que todo o pesto é verde. O pesto de Génova é verde porque é sobretudo feito com manjericão. Este é vermelho porque leva beterraba, pinhões, queijo pecorino e ervas frescas”, explica Chiara, dona da Osteria - uma simpática tasca italiana no bairro da Madragoa que não só tem uma das melhores lasanhas da cidade, feita com pão carasau da Sardenha, ricotta de búfala, tomate, curgete, queijo pecorino e pancetta curada com pimenta, vinda directamente de Itália, como também servem esta gulosa massa com pesto de beterraba. O molho, assim como o prato, são originários da região do Lazio. Para o confeccionarem usam massa seca bucatini, semelhante ao esparguete, mas oca. “É uma massa que recolhe o molho por dentro e por isso é que fica com esta cor viva. Escolhemos a da Rummo porque é uma das melhores marcas. É mais nutritiva, saborosa e feita sem químicos.” 

Preço: 10,90€
Tempo de cozedura: 8-9 min.

Ler mais
Estrela/Lapa/Santos
Spaghetti com Tinta de Choco do Mercantina Chiado
Fotografia: Ana Luzia
5/9

Spaghetti com Tinta de Choco do Mercantina Chiado

São precisos 400 g de ovo, 200 g de gema, tinta de choco em abundância e sêmola de trigo para fazer uma das massas com mais saída na Mercantina do Chiado. “O spaghetti com tinta de choco leva uma bisque, um caldo de marisco feito com camarões e sumo de laranja ao qual juntamos um pau de canela, uma estrela de anis e uma vagem de baunilha”, explica o chef Giorgio Damasio. O esparguete é cozido em água salgada e os camarões são salteados com sal, azeite e um pouco de pimenta. Prove também o maccheroni com salsicha caseira e brócolos picantes (10,90€) ou o paccheri napolitano de bacalhau em azeite de coentros, mozzarella e tomate semi-seco (12,50€).

Preço: 13,40€
Tempo de cozedura: 2 min

Ler mais
Chiado
Tajarin con Salvia e Tartufo Nero do Come Prima
Fotografia: Arlindo Camacho
6/9

Tajarin con Salvia e Tartufo Nero do Come Prima

É no mais premiado dos restaurantes italianos de Lisboa que se faz um dos melhores pratos de massa da cidade (o Come Prima recebeu o atestado de Hospitalidade Italiana, atribuído pelo Governo de Itália, mas já tinha no palmarés outras distinções, entre elas o atestado de Pizza Certificada Napolitana e o atestado de Excelência Italiana). Mas, voltando ao prato: o tajarin é uma massa fresca fina, feita com farinha 00 e 450 g de gemas. Por cima leva um molho de sálvia com caldo de legumes, manteiga, queijo parmesão e trufa preta. “É um prato que as pessoas pedem muito”, diz o chef nepalês Tanka Sapkota.

Preço: 16,95€.
Tempo de cozedura: 1min. e 40 seg.

Ler mais
Estrela/Lapa/Santos
Spaghetti al tartufo do Pasta Non Basta
©DR
7/9

Spaghetti al tartufo do Pasta Non Basta

Pasta non basta e por isso o novo restaurante italiano ao lado da Gulbenkian é uma osteria com petiscos, um ristoranti com pratos de massa e ristottos e também uma pizzaria, com clássicas e outras especiais, cozinhadas num forno a lenha virado para a rua. Mas, ainda assim, esta é uma das especialidades da casa: a massa é fresca e vem com trufa, ovo mal cozido, cogumelos frescos e, claro, parmesão. Prove também o trofie al pesto, com pesto caseiro, rúcula, lascas de parmesão e pinhão torrado (12,50€).

Preço: 14,50€

Ler mais
Avenidas Novas
Ravioli de Gorgonzola e Pêra do La Pasta Fresca
Fotografia: Arlindo Camacho
8/9

Ravioli de Gorgonzola e Pêra do La Pasta Fresca

Da mesma forma que é sempre um bom barómetro ver chineses sentados à mesa de restaurantes chineses, é óptimo sinal ouvir falar italiano quando se entra num sítio que vende e serve massa fresca. E não, não era apenas a conversa dos donos, Stefania e Giuseppe, napolitanos de gema. Eram clientes. Esses e outros sentados a enrolar spaghetti e tagliatelle nos garfos ou a mirar a vitrine da pasta, com opções em várias formas e feitios, depois servidos com molhos e ingredientes de alma italiana. Os ravioli de gorgonzola e pêra trazem um molho de manteiga, guanciale e sálvia, amêndoas e queijo pecorino. São bem intensos, mas são bem bons. 

Preço: 13,20€

Ler mais
São Sebastião
Spaghetti al pomodoro do Casanostra
Fotografia: Arlindo Camacho
9/9

Spaghetti al pomodoro do Casanostra

4 /5 estrelas

Um prato clássico num restaurante italiano que é um ícone no Bairro Alto e onde não o intrujam com natas e ananás nas massas, afirma a nossa crítica Marta Brown. Este spaghetti al pomodoro é servido al dente e com um molho bem apurado onde se sente realmente o tomate e o manjericão. Prove também o tagliolini al gorgonzola (10€) ou o spaghetti alle vongole, com amêijoas (11,50€).

Preço: 8,50€

Ler mais
Bairro Alto

As melhores pizzarias em Lisboa

As melhores pizzarias de Lisboa

É um assunto sensível, sobretudo numa cidade onde há cada vez mais restaurantes de pizzas de qualidade. Mas a escolha teve de ser feita.

Por Mariana Correia de Barros

Comentários

0 comments