Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Restaurantes na Comporta e em Tróia
Sublime Comporta Beach Club
DR Sublime Comporta Beach Club

Restaurantes na Comporta e em Tróia

Para começar bem o dia, para petiscar depois da praia ou para uma experiência mais sofisticada. Conheça os melhores restaurantes na Comporta e em Tróia

Por Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Independentemente do tempo, Comporta e Tróia são sempre boas opções, seja para umas férias, uma escapadinha de fim-de-semana ou apenas para um passeio – claro está que com sol tudo fica melhor. Mas nem só de mergulhos se vive por aqueles lados. Do peixe fresco grelhado às amêijoas à Bulhão Pato, passando pelo arroz de lingueirão ou pelas piadinas, não parta à descoberta da Comporta sem este saboroso guia de restaurantes. Para o petisco ou uma experiência prolongada à mesa, para começar ou terminar o dia em beleza. Eis os melhores restaurantes na Comporta e em Tróia.

Recomendado: As melhores praias na Comporta e em Tróia

Restaurantes na Comporta

Sublime Comporta Beach Club
Sublime Comporta Beach Club
DR

1. Sublime Comporta Beach Club

Restaurantes

O Sublime Comporta fez o caminho até à praia e abriu um restaurante no areal da Praia do Carvalhal (apenas a 10 minutos do hotel). A vibe é a de uma cabana de praia moderna, no interior com almofadas e sofás em tons claros, na esplanada exterior coberta com palhinhas e o azul do mar a contrastar, tudo com mão do estúdio de design de interiores Andringa Studio. O menu é da autoria de Hélio Gonçalves, também responsável pela cozinha do hotel. Por lá encontra as mais clássicas amêijoas à Bulhão Pato, chipirones fritos, peixinhos da horta e sopas de marisco, mas também guacamole fresco e um bem recheado cachorro de lavagante. Tudo isto sem esquecer o peixe grelhado, inevitável num restaurante de frente para o mar, e aqui bem fresco. Além do restaurante (para o qual é obrigatório reservar mesa, fruto dos tempos de Covid-19) tem o bar de praia, com cocktails, e uma área de praia concessionada com espreguiçadeiras e um bar dedicado. Está aberto de Junho a Outubro 2020.

Cavalariça
Cavalariça
Fotografia: Manuel Manso

2. Cavalariça

Restaurantes

Enquanto Bruno Caseiro e Filipa Gonçalves, os nomes à frente da Cavalariça, não abrem as portas do seu restaurante no centro da cidade de Lisboa (chama-se CAV e estava previsto para Abril, mas já se sabe o que aconteceu a seguir), o melhor é ir ter com eles à Cavalariça, na Comporta. Não servem aqui comida tradicional portuguesa, mas também não é fine dinnig. O que é então? Um restaurante alentejano com influência do mundo, de ambiente mais cosmopolita do que castiço. E todos os pratos fazem questão de usar matéria-prima da zona e de lhe dar a volta que, em muitos casos, o vai surpreender. Faça o que fizer a seguir, comece sempre pelo incrível pão de fermentação longa feito na casa. E peça o brioche grelhado com parfait de fígados de galinha e chutney de laranja. Depois disto, ou pede mais recomendações e sai da sua zona de conforto, ou vai pelo seguro e pede um peixinho. Têm take-away para a saída da praia com pratos de grandes e familiares (falamos de lasanhas ou empadões, por exemplo), basta encomendar com 24 horas de antecedência. O pão também está disponível para levar para casa.

Publicidade
ribamar troia
ribamar troia
Fotografia: Manuel Manso

3. Ribamar Tróia

Restaurantes Grande Lisboa

Fica na Marina de Tróia e trouxe da casa-mãe, em frente à praia do Ouro, em Sesimbra, vários clássicos: da sopa rica de peixe e marisco ao tamboril com molho de lavagante e arroz de marisco. Não desdenhe a grelha, de onde sai peixe fresco cozinhado na perfeição, e o aquário, sempre bem recheado de crustáceos. A esplanada, abrigada do vento, torna-o um bom sítio para almoçar.

4. Gomes – Casa de Vinhos e Petiscos

Restaurantes

O mini mercado gourmet mais conhecido e antigo da zona (e das redondezas, tal é a quantidade e a qualidade da oferta espalhada pelas prateleiras minuciosamente arrumadas) tem um irmão mais nove, o restaurante Gomes – Casa de Vinhos e Petiscos. O nome diz quase tudo: há queijos, enchidos, conservas e presuntos para picar e bons vinhos e cokctails para beber. Mas muito mais – a lista inclui mariscos, arrozes e pratos demasiado pesados para se manterem no campeonato dos petiscos, como favas com chouriço, ervilhas com ovos ou feijoada de feijão preto. O ambiente interior é acolhedor, mas as noites mais quentes pedem para ficar na esplanada. Só não se esqueça do repelente.

Publicidade
comporta café
comporta café
Fotografia: Manuel Manso

5. Comporta Café

Restaurantes

A cozinha é feita com produtos da região, “principalmente arrozes e peixe”, adaptados a todo o tipo de pratos, desde petiscos, a saladas, peixes grelhados ou em receitas de tacho. Entre as especialidades há arroz de choco com tinta – “com a tinta dos próprios chocos” –, camarão com molho Comporta Café ou misto de cogumelos salteado com fumeiro. Guarde espaço para as sobremesas.

museu do arroz
museu do arroz
©DR

6. Museu do Arroz

Restaurantes

É um dos clássicos restaurantes da Comporta, aberto há 20 anos (com alguns intervalos pelo meio) num antigo armazém de descasque de arroz. Serve comida de base tradicional, mas apresentação mais caprichada, em pratos como os pastéis de bacalhau, os linguadinhos e, a homenagear o espaço, alguns pratos de arroz. É famoso também pelas caipiroskas e mojitos.

Publicidade
Eucalyptus
Eucalyptus
Ana Luzia

7. Eucalyptus

Restaurantes

O Eucalyptus é o lugar ideal para começar o dia e tomar um bom pequeno-almoço antes de seguir para a praia. Tem broas de batata doce, pão alentejano, sumos naturais (incluindo o clássico de laranja) e bolos tradicionais, como os fidalgos, as delícias ou os laços integrais, que vão parar à mesa sob o comando de Susélia Gonçalves (e não Célia!). Os mais moderninhos são bem-vindos. Para eles há, por exemplo, açaí com granola.

Piadinas Zanotta
Piadinas Zanotta
Manuel Manso

8. Piadinas Zanotta

Restaurantes

A Piadinas Zanotta anda sob rodas na Comporta e não passa despercebida, afinal tudo se passa numa carrinha amarelo-canário. Está estacionada na Rua do Secador e tem esplanada montada. A marca foi criada por Joana Leitão Zanotta e a sócia Susana Matias e tem piadinas bem recheadas e bons cocktails. Há também opções de pequeno-almoço.

Publicidade
Dona Bia
Dona Bia
Fotografia: Ana Luzia

9. Dona Bia

Restaurantes

É mandatório ir a este restaurante de beira de estrada com uma cozinha típica onde pode comer linguadinhos fritos, pataniscas ou filetes com arroz de tomate, de coentros ou de berbigão. Há outros pratos e petiscos muito dignos, como a massinha ou o arroz de marisco, mas na dúvida, não hesite em escolher peixe frito com arroz. Este Verão de 2020 têm take-away. Se quiser comer no restaurante, é obrigatório reservar. 

O Dinis - Restaurante dos Pescadores
O Dinis - Restaurante dos Pescadores
Manuel Manso

10. O Dinis – Restaurante Bar dos Pescadores

Restaurantes

O Dinis – Restaurante dos Pescadores parece ser imune a modas. Vive na praia do Carvalhal (do lado esquerdo de quem olha para o mar) desde o tempo em que ainda ninguém escrevia artigos sobre a região e pouco mudou desde que tudo mudou: continua a servir peixe fresquíssimo grelhado com excelência, nem sempre com simpatia, mas ainda com preços que não ofendem. Durante a época alta não vale a pena aparecer sem mesa marcada, principalmente se prefere ficar na esplanada ou, ainda que no interior, com vista para o mar. Conte também com bons petiscos com sabor a Verão, como amêijoas e salada de polvo.

Publicidade
retiro do pescador
retiro do pescador
Fotografia: Manuel Manso

11. Retiro do Pescador

Restaurantes

O restaurante da Carrasqueira feito por pescadores há 30 anos, ainda na mesma família e ainda com gente a sair para o mar todos os dias, é conhecido pelos choquinhos de coentrada, pelo arroz de marisco, o arroz de lingueirão, o choco frito, as amêijoas à casa, a massa de peixe, a caldeirada de enguias. Escusado será dizer que é tudo matéria-prima do estuário ali ao lado.

restaurante sal
restaurante sal
Fotografia: Ana Luzia

12. Sal

Restaurantes Frutos do mar

Dizer que é o restaurante de praia mais famoso da zona não está longe da verdade. E em parte graças ao prémio de melhor bar de praia do mundo, eleito pelos leitores da Condé Nast Traveler, em 2015. A outra parte deve-se à qualidade do que é servido: os anéis de lulinhas e aioli, o arroz de nero, o camarão ao alhinho, a sopa de peixes frescos, as amêijoas à Bulhão Pato e, claro, o peixe fresco, apresentado na montra todos os dias. Os preços são puxados e convém reservar.

Publicidade
o folha
o folha
©DR

13. O Folha

Restaurantes

Fica mesmo no centro da Comporta, perto da zona das compras, é um daqueles sítios onde a palavra “tradicional” encaixa que nem uma luva – isto foi só um aviso para não ir à espera de grandes modernices – e é um bom spot para comer percebes, saladas de polvo, camarão frito, amêijoas à Bulhão Pato, e tudo aquilo que sabe bem depois de um dia de praia.

o granhão
o granhão
©DR

14. O Granhão

Restaurantes

Leva vantagem sobre muitos outros restaurantes da zona por ter uma esplanada protegida por uma rede mosquiteira. Vale a pena lá ir para comer uma das especialidades da casa: o choco frito. Cai sempre bem com uma imperial fresquinha ao fim do dia.

Publicidade

15. Be Comporta

Restaurantes

Mesmo ao lado da discreta e exclusiva Cotê Sud, um clássico da aldeia, está o Be Comporta, um café com tudo o que os pequenos-almoços e lanches dos tempos modernos devem ter: bowls de papas de aveia ou smoothies detox; panquecas de aveia e alfarroba; ovos benedict e tostas de abacate: não falta nada numa lista que é um paraíso para o estômago – e para as redes sociais dos foodies. O brunch (também o há, claro) custa 15,50€ e é bem completo: sente-se numa das cadeiras coloridas para ver aterrar na mesa uma taça de iogurte grego com granola caseira, ovos mexidos com espargos, tosta de abacate, sumo natural do dia e panquecas ou scones. A casa tem opções saudáveis, mas não é fundamentalista. No dia de dar uma facadinha na dieta, pode atirar-se ao hambúrguer e rematar com panquecas com Nutella.

Escapadinhas aqui à beira

sublime comporta
©Nelson Garrido

Sublime Comporta: a perfeição pode ser isto

Viagens

Dissemos a um amigo que íamos dormir ao Sublime Comporta. A resposta dele, que terá sido qualquer coisa como “mais um que o comum dos mortais não conhecerá”, deixou-nos a pensar. E tudo porque o comum dos mortais devia, pelo menos uma vez na vida, aqui ficar. Seja numa data especial ou apenas para fugir à rotina de sempre. Se é para cometer uma extravagância, que seja aqui.

Herdade da Matinha: lição de vida no gerúndio

Viagens

Na melhor parte do dia, só se ouvem os pássaros. Quando se calarem os pássaros, hão-de ficar as cigarras. E se acaso também elas se calarem, o mais certo é que comece a ouvir o som da própria barba a crescer. Na Herdade da Matinha há uma promessa de sossego que nos recebe à chegada e se cumpre à medida que o vagar se instala em nós. Estamos um pouco além do Cercal do Alentejo, três quilómetros de terra batida campo adentro, num refúgio acoitado entre montes. Só se chega aqui de propósito, só se sai daqui contrariado.

Publicidade
Arrábida
Fotografia:Arlindo Camacho

As melhores praias a uma hora de Lisboa

Coisas para fazer

As praias que se seguem ficam a um pulo de Lisboa. Agora é vestir o visual mais fresco, guardar a toalha e o protector solar na mala, preparar um lanchinho e escolher uma leitura de Verão ou um jogo para toda a família. Não interessa para onde vai, só que não vai para muito longe: a ideia é ir apanhar sol e dar uns mergulhos sem ter de se esforçar muito por isso (nem gastar mais do que o necessário na viagem de carro). Está preparado? O roteiro inclui Costa da Caparica, Linha de Cascais, Sintra, Oeste, Arrábida, Tróia e Meco. Boa viagem. 

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade