Sítios para comer chirashi

São malgas para comer peixe e arroz mas não são pokés nem nenhum arroz de marisco. Nestes sítios come-se a especialidade japonesa chirashi
Chirashi
Chirashi de Salmão Gomá do Chirashi Alvalde
Por Inês Garcia |
Publicidade

À primeira vista até pode parecer que estamos a falar dos pokés, o prato de origem havaiana tão badalado nos últimos tempos. Mas ao contrário dessa malga (o denominador comum é precisamente a taça em que é servido), o chirashi é de origem japonesa. O peixe do chirashi é cortado como fatias de sashimi, rectangulares, mais ou menos grossas, em vez de estar aos cubos, pode ter mais do que um tipo de peixe (do salmão aos peixes brancos) e a base é sempre o arroz avinagrado, que o poké raramente tem. Prove chirashi num destes restaurantes em Lisboa.

Recomendado: Sítios para comer poké bowls

Sítios para comer chirashi

Chirashi Alvalade
©DR
Restaurantes, Japonês

Chirashi Alvalade

icon-location-pin Alvalade

No Chirashi, casa dedicada a estas taças que se estreou num pequeno espaço em Telheiras e abriu agora a segunda em Alvalade, há 12 opções, do salmão gomá ao kai michi, com camarão, sapateira, abacate, manga, repolho e tomate.

Preço: a partir de 8,75€

Sushi Shop
Fotografia: Francisco Santos
Restaurantes, Japonês

Sushi Shop

icon-location-pin Cais do Sodré

A Sushi Shop é uma cadeia internacional que se estreou em Portugal em 2017. Um dos fortes é a entrega ao domicílio de sushi e sashimi (de tempos a tempos há parcerias com chefs para peças especiais). Os chirashis estão juntos aos pokés e tártaros da ementa e há de salmão ou de atum.

Preço: 13€

Publicidade
Soão
©Manuel Manso
Restaurantes, Asiático contemporâneo

Soão - Taberna Asiática

icon-location-pin Alvalade

O Soão, o novo restaurante do grupo Sea Me, tem pratos de seis países da Ásia, com a expertise de Luís Cardoso. A lista de sushi tem lá uma taça de chirashi, coberta com sashimi variado.

Preço: 28€

Hikidashi
© Ana Luzia
Restaurantes, Japonês

Hikidashi

icon-location-pin Campo de Ourique

Nesta taberna em Campo de Ourique come-se num balcão em madeira pratos tradicionais japoneses. De cima da robata saem espetadas de carne, camarão tigre ou beringela, mas há belas peças de sushi tradicional feitas pelo chef Agnaldo Ferreira. A taça de chirashi vem com 12 fatias de peixe variado sobre arroz avinagrado com ovas e algas.

Preço: 25€

A Time Out diz

Comida do mundo em Lisboa

Moqueca
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Brasileiro

Três sítios para comer moqueca

Azeite de dendê, leite de coco, tomate, pimento e uma boa salpicadela de coentros: a partir daqui, quase tudo é moqueca. Especialmente se feita numa panela de barro, como aconselham as verdadeiras baianas. A viagem deste prato começou em África, foi até ao Brasil e aí se alterou com uma0 ou outra ideia europeia, mas sempre usando o que estava mais à mão, como o leite de coco e o dendê. A transformação continua hoje, com adaptações sucessivas à dieta de vegetariana — fica bem com couve-flor, banana e por aí fora. Aqui damos-lhe três sítios para comer moqueca de peixe ou marisco sem atravessar o oceano. 

Publicidade
Restaurantes

Uma pequena volta ao mundo em cinco restaurantes em Odivelas

Esqueça todos os preconceitos com zonas residenciais suburbanas: estão a ganhar novas dinâmicas e por isso também novos restaurantes. E nada maus: em 2017, das duas vezes que o crítica da Time Out rumou a Odivelas, fez o caminho de volta ao centro da cidade de barriga cheia e satisfeita. Foram quatro estrelas para cada um desses dois restaurantes, um de comida coreana, outro de comida indiana. A comida do mundo é, ao que parece, um forte nos restaurantes em Odivelas: damos-lhe cinco para ir ao Oriente, voltar à Europa e seguir para a América Latina. E para que não haja sombra de fome e possa aviar merendas para a viagem, leva ainda com uma pastelaria de fabrico próprio que nunca desilude. Boa jornada pelos arredores. 

Publicidade