Praias, restaurantes, coisas para fazer e hotéis: o melhor da Comporta e de Tróia

A hora de Lisboa, há um destino paradisíaco, com praias de areia branca e águas azuis e translúcidas. Descubra o melhor da Comporta e de Tróia
Praia da Comporta
Fotografia: Ana Luzia Praia da Comporta
Por Mariana Correia de Barros |
Publicidade

A língua mais apetecível do Verão é feita de areia e estende-se por 30 km. Partindo de Tróia para sul, sempre junto à costa, passa pela Comporta, pelo Carvalhal e chega à fronteira de Melides. Com esse mapa em mente, atravessámos o Sado e alcançámos um paraíso com praias de mar azul turquesa, restaurantes com peixe e marisco da zona e vários programas para fazer depois de esturricar todo o dia.

Praias, restaurantes, coisas para fazer e hotéis: o melhor da Comporta e de Tróia

comporta café
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Restaurantes na Comporta

É na língua mais apetecível do Verão que o estômago pode esfregar as mãos de contente. Do peixe fresco grelhado às amêijoas à Bulhão Pato, passando pelo arroz de lingueirão ou pelas piadinas, não parta à descoberta da Comporta sem este saboroso guia. 

Publicidade
casa da cultura na comporta
Fotografia: Arlindo Camacho
Compras

Um roteiro de lojas na Comporta

Quem viu a Comporta há 10 anos e a vê no ano da graça de 2017 vai concordar que a localidade está irreconhecível no que toca ao comércio. Como muitos que a frequentam, fez um lifting e tornou-se num pólo de comércio de rua, sempre nas linhas que a caracterizam, que é como quem diz, na moda hippie-chic, bohemian e, como não podia deixar de ser, beach style. O que tem a fazer é garantir que o subsídio de férias está na conta à ordem e aventurar-se entre as várias portas que estão abertas.

Publicidade
tróia resort
©DR
Hotéis

Os melhores sítios para ficar na Comporta

Convencionais quartos, suites, cabanas, villas, ou apartamentos. Confira o roteiro com os melhores hotéis em Tróia e na Comporta e escolha a modalidade ideal neste paraíso com praias de mar azul turquesa. 

Llubomir Sublime
Fotografia: Manuel Manso
Viagens

O que há de novo na Comporta e em Tróia

As praias são as mesmas de sempre, de areia branca e fina e água verde-água. Mas há novidades fresquinhas para conhecer este Verão na costa entre Tróia e a Compota. Faça bom proveito. 

Outras escapadinhas

Herdade do Esporão
©DR
Coisas para fazer

Escapadinhas: sete sugestões de enoturismo no Alentejo

É sobretudo na planície dourada (mais seca e quente), mas também nos declives das serras (mais húmidos) que crescem as vinhas alentejanas — e cada terroir garante um sabor distinto aos vinhos. Em Portalegre, por exemplo, as vinhas estão plantadas nas encostas graníticas da Serra de São Mamede, criando uma espécie de microclima que torna as temperaturas mais baixas que o habitual. Dividida em oito principais sub-regiões vinícolas — Borba, Évora, Moura, Redondo, Granja/Amareleja, Portalegre, Reguengos e Vidigueira — a vinicultura no Alentejo esteve até tarde em segundo plano, por causa da produção de cereais, tendo apenas começado a desenvolver-se nos anos 50 do século passado. Com a região a ser demarcada em 1988, o Alentejo tornou-se numa das zonas mais ricas e interessantes em enoturismo. Conheça as nossas sugestões de enoturismo no Alentejo. 

Casa Museu José Maria da Fonseca
Fotografia: Arlindo Camacho
Viagens

Nove sugestões de enoturismo na Península de Setúbal

O que era visto como trabalho é agora motivo de romaria pelo país: as vindimas. Com data incerta (tanto podem começar em meados de Agosto como prolongar-se até Outubro), a técnica de podar as uvas, acartá-las em cestos (ou em recipientes mais modernos), deixá-las no lagar para serem pisadas numa amena cavaqueira que pinta as pernas de roxo — até se separar o vinho do mosto —, armazenar o líquido em barricas ou bacias de inox, esperando que o tempo trabalhe depressa e bem, é um ritual que está ao alcance de todos. São vários os enoturismos, adegas ou produções vinícolas com programas que permitem acompanhar o nascer do vinho desde o cacho até à garrafa. Para quem não quiser ginasticar as pernas, há soluções mais tranquilas como provas de vinho, visitas a adegas ou a tranquilidade da vinoterapia.  

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com