O melhor das Avenidas Novas

No coração de Lisboa, uma cirurgia urbanística reduziu o colesterol rodoviário e melhorou a circulação. Há mais passeios, mais árvores e mais espaço para passear nas Avenidas Novas

Fotografia: Manuel Manso

Avenidas Novas foi o nome que se começou a chamar aos prédios e arruamentos construídos quando a cidade começou a crescer para Norte, no final do século XIX e início do século XX. O que começou por ser uma zona residencial para a burguesia lisboeta e os seus palacetes art nouveau tornou-se num bairro de prédios e muito comércio organizado numa grelha de avenidas. Não existiu nunca uma delimitação geográfica clara, mas administrativamente Avenidas Novas é uma Junta de Freguesia desde 2013. Resulta da fusão das Juntas de Nossa Senhora de Fátima e São Sebastião da Pedreira e está delimitada a Sul pelo Marquês de Pombal e a Norte por Entrecampos: mais especificamente a Av. das Forças Armadas. Dizemos-lhe tudo o que não pode perder nas novas Avenidas Novas.

Recomendado: Ciclovias em Lisboa. Só precisa de pedalada para percorrer a cidade

O melhor das Avenidas Novas

Os melhores restaurantes nas Avenidas Novas

Italianos, nepaleses, japoneses e, como não podia deixar de ser, portugueses, numa linha muito tradicional. As Avenidas Novas têm oferta para todos os gostos e carteiras. Esta é a nossa escolha dos melhores restaurantes nas Avenidas Novas para comer bem quando andar de passeio pela zona.

Ler mais
Por Mariana Correia de Barros

Oito paragens obrigatórias na Av. Duque de Ávila

O pó das obras assentou definitivamente nas Avenidas Novas e cada vez mais gente deixa o carro em casa para chegar ao trabalho de outra maneira. De bicicleta, de skate ou de trotinete, há muitas maneiras de escapar ao trânsito. Por estas bandas, a Duque de Ávila continua a ser a rua com mais pedalada. Ganhou um só sentido e o passeio foi alargado com uma zona de esplanadas ideal para recuperar o fôlego. Estas são as paragens obrigatórias na Av. Duque de Ávila.  Recomendado: Paragens obrigatórias no Saldanha

Ler mais
Por Clara Silva
Publicidade

Os melhores restaurantes no Saldanha para comer de manhã à noite

Pastelarias para as manhãs, restaurantes onde o prato do dia é a estrela e outros para ocasiões especiais. Para uma viagem ao passado, para o melhor éclair da cidade ou para comer à barra, já depois da meia-noite. Seguindo este roteiro pelos melhores restaurantes no Saldanha consegue isto tudo e nem precisa de se levantar cedo, que há uns quantos brunchs.

Ler mais
Por Catarina Moura

Dez paragens obrigatórias no Saldanha

Um filme indie? Um enxoval? À partida, seria difícil encontrar estes dois serviços num só bairro, mas Lisboa é tão incrível que nada disto se torna inverosímil. Bem-vindos ao Saldanha e aos seus nobres arredores, onde há vida, e muita. Venha daí descobri-la. 

Ler mais
Por Maria Ramos Silva
Publicidade

Lisboa bairro a bairro

O melhor de Campo de Ourique

Clássicos de sempre e espaços que ainda cheiram a novo. Padarias, gelatarias, um café italiano e até um restaurante de choco frito. Mas há muito mais que comida. Com este roteiro vai querer estacionar num bairro onde o estacionamento continua tramado. Percorra as ruas do movimentado bairro em busca do melhor de Campo de Ourique e descubra como se está bem no campo. Lisboa bairro a bairro:+ O melhor de Alvalade + O melhor do Chiado

Ler mais
Por Editores da Time Out Lisboa

O melhor de Belém

Esqueça por momentos que Belém é destino de turistas — e esqueça as enchentes que eles provacam — e vá viver aquela zona como se fosse a primeira vez. Belém é quase um epicentro de museus, que merecem ser visitados antes ou depois de uma bela refeição nos melhores restaurantes da zona. É seguir o nosso roteiro para não se perder. 

Ler mais
Por Francisca Dias Real
Publicidade

O melhor de Alcântara

Comércio com história, negócios que cheiram a novo, restaurantes que são verdadeiros tesourinhos, arte dentro e fora de portas, sair à noite com estilo fora do epicentro nocturno lisboeta e ainda fazer outra mão cheia de coisas à beira rio. 

Ler mais
Por Francisca Dias Real

Comentários

0 comments