As melhores feiras e mercados de Lisboa

O que não falta são opções para fazer compras mais à vontade. Eis as melhores feiras e mercados de Lisboa e arredores
Mercado LX Rural
Mercado LX Rural
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

Lisboa tem espaço para todas as bancas e mais algumas. E se há variedade! Em palácios, à sombra de contentores, paredes meias com museus ou em jardins. Da moda à decoração e ao design, passando por produtos frescos do dia e traquitanas.

Recomendado: Os melhores sítios para fazer compras em Lisboa

Clássicos

mercado jardim, alvalade, bairro das estacas
©Inês Félix
Coisas para fazer, Mercados e feiras

Mercado Jardim de Alvalade

icon-location-pin Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

Nasceu de uma proposta do Orçamento Participativo e o projecto de requalificação foi escolhido pela própria população num processo de discussão pública que envolveu todos os interessados. Um projecto do arquitecto Rui Mendes que inclui dois murais do artista urbano portuense GODMESS. Lá dentro encontra bolos regionais, flores, hortaliças ou fruta e se quiser peixinho fresco só tem de planear com mais antecedência. Há uma parceria com o Cabaz do Peixe, uma associação de Sesimbra composta por dezenas de embarcações de pesca artesanal que também vende cabazes online.

mercado do lumiar
Fotografia: Duarte Drago
Compras, Mercados e feiras

Mercado Lumiar + Bio

icon-location-pin Lumiar

Com três letrinhas apenas se escreve a palavra bio. E o novo mercado usa-a em quase tudo. Mercearias bio, padaria bio, restaurante bio. É tudo bio. Ou quase tudo. Dentro do renovado espaço, um projecto dos arquitectos João Carrasco e Daniela Ermano, a presença dos produtos biológicos não passa despercebida ou não fosse um dos parceiros a Associação de Agricultura Biológica (Agrobio), em conjunto com a Junta de Freguesia do Lumiar e a Câmara Municipal de Lisboa.

Publicidade
Mercado de Campo de Ourique - Sala 1
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Global

Mercado de Campo de Ourique

icon-location-pin Campo de Ourique

Inaugurado em 2013 no coração de Campo de Ourique, recebeu um lifting inspirado no Mercado de San Miguel, em Madrid. E assentou-lhe tão bem que é difícil arranjar assento ao fim de semana para jantar em qualquer uma das mais de vinte tasquinhas. Ele é fruta e legumes frescos de um lado, comes e bebes do outro.

A Time Out diz
©CML
Notícias, Vida urbana

Mercado de Arroios

O renovado Mercado de Arroios, fundado em 1942, reabriu no início do ano e há um espaço para eventos, um espaço infantil e 20 novas lojas. Está ainda a ser estudada a criação de uma estufa hidropónica (de cultivo de plantas fora da terra, com água e nutrientes) na cobertura do Mercado. Se o entusiasmo lhe abrir o apetite, fique para almoçar na Tasca do Mercado, que aposta em comida tradicional portuguesa, tendo na carta pratos como polvo à lagareiro, ervilhas com ovos escalfados ou um bom bife com ovo a cavalo.

Publicidade
mercado de benfica
©CML
Coisas para fazer, Mercados e feiras

Mercado de Benfica

icon-location-pin Benfica/Monsanto

É considerado um dos mercados de maior sucesso em Lisboa, e dos mais tradicionais, a fazer aquilo que fazem os mercados: venda direta ao público de produtos frescos. Também há uma zona de restauração. Do peixe, ao pão e até uma banca de caracóis, tudo se vende por lá. Adjacente ao mercado, num espaço exterior, há bancas para venda de vestuário e calçado.

Coisas para fazer, Mercados e feiras

Mercado da Ribeira

icon-location-pin Cais do Sodré

É um mercado do século XIX que começou por se chamar Mercado da Ribeira Nova e o povo, espantado por ver uma cúpula num mercado hortícola, chamava-lhe Mesquita do Nabo. As bancas com produtos frescos continuam a funcionar numa das alas, mas desde 2014 que este espaço se tornou o espelho da revista Time Out Lisboa, aqui representada em três dimensões. O Time Out Market Lisboa tem uma selecção dos melhores restaurantes da cidade, bares,  espaços comerciais e uma sala de espectáculos. Uma fusão perfeita.

A Time Out diz
Publicidade
mercado de alvalade
©JFAlvalade
Coisas para fazer, Mercados e feiras

Mercado de Alvalade

icon-location-pin Alvalade

O Mercado de Alvalade continua a ser um dos mais dinâmicos da cidade, e com a mais recente requalificação ganhou também um espaço infantil ideal para as crianças ficarem enquanto pais e avós fazem as compras da semana. Para além de todas as bancas de venda de frescos no local, o Mercado de Alvalade disponibiliza agora uma zona de alimentação com tapas, sopas, sumos naturais ou fruta já cortadinha. Aliado a tudo isto, o mercado passa a ter uma programação com eventos ligados à gastronomia  e alimentação saudável.

mercado 31 de janeiro
©CML
Coisas para fazer, Mercados e feiras

Mercado 31 de Janeiro

icon-location-pin Lisboa

São sete mil metros quadrados com terraço incluído. O Mercado 31 de Janeiro, renovado em 2014, conta com um largo espaço de bancas e serviços para os vendedores que sempre ocuparam aquele espaço, mantendo a tradição. Agora o mercado tem um espaço infantil e a presença regular de bancas de vestuário vintage, livros e artesanato.

Publicidade
mercado de santa clara
Fotografia: Francisco Santos
Coisas para fazer, Mercados e feiras

Mercado de Santa Clara

icon-location-pin São Vicente 

O Mercado de Santa Clara é o mais antigo dos mercados cobertos lisboetas. Tornou-se num local onde além das banquinhas de venda tradicionais passou a haver exposições ou workshops de quando a quando. Mesmo ali na zona está também o Panteão Nacional e o Campo de Santa Clara, onde às terças e sábados se instala a Feira da Ladra.

Frescuras

Mercado Agrobio Campo Pequeno
©Agrobio

Agrobio Campo Pequeno e Santa Clara

Há já quem não passe sem os mercados da Associação Portuguesa de Agricultura Biológica, todos os sábados de manhã, sobretudo quem aprecia o ritual de fazer compras pela fresca. No Campo Pequeno ou no Campo de Santa Clara, mesmo ao lado da Feira da Ladra, os frescos são a especialidade do dia, se bem que também há compotas, pão e outras iguarias.

Sáb 09.00-18.00.

Lx Rural
Fotografia:Arlindo Camacho

Lx Rural

Os produtores do Oeste estão a fazer sucesso e há mesmo quem venha de propósito à Lx Factory para comprar os frescos da semana. Aqui, pelo menos aos domingos, saloio é um bonito elogio. Ele é pão de Mafra, verduras acabadas de colher, tudo trazido de Torres Vedras e arredores, bem pela fresca. Quem organiza este mercado semanal ao ar livre (só se recolhe quando o tempo não ajuda) faz questão de identificar cada banca e de pôr clientes e produtores à conversa. O resultado são compras ainda mais eficazes e uns vislumbres do campo em plena cidade.

Dom 09.30-16.00. 

Publicidade
 Mercado Biológico do Príncipe Real
Fotografia:Arlindo Camacho

Mercado Biológico do Príncipe Real

“Como é que isto se faz?”, “Acompanha bem com o quê?”, “E isto dá-se em qualquer sítio?”. Guarde todas as dúvidas sobre hortícolas, leguminosas e afins para as manhãs de sábado, no Jardim do Príncipe Real. São as vantagens de ter o próprio produtor do lado de lá da banca. Encontre de tudo um pouco e descubra ingredientes difíceis de avistar nas grandes superfícies. 

Sáb 09.00-15.00.

Mercado saloio, cascais
Fotografia: Ana Luzia

Mercado de Cascais

O velhote Mercado de Cascais tem 64 anos mas ganhou nova vida quando, em 2015, juntou a peixeiras e floristas restaurantes modernos e bares de cocktails. Todas as quartas-feiras e sábados de manhã, enche-se de frutas e verduras frescas. Procure a banca da Faustina, a vendedora mais antiga do pedaço, que madruga para levar de Mafra para a Linha as suas batatas, alhos e ameixas.

Qua e Sex 06.30-14.00. 

Modernices

Village Underground
Fotografia: Manuel Manso

Cargo

É preciso estar à coca, já que o mercado do Village Underground não gosta de se reger por um calendário fixo. A paisagem, já se sabe, é única, e as bancas esforçam-se por seguir a via da originalidade, seja com loiças, malhas, cadernos cosidos à mão, jóias ou acessórios para embonecar a bicicleta. São negócios com sangue jovem e génio criativo aguçado, DJs e furgonetas de comida, tudo ao molho e com muita fé nas artes. 

Rua 1º de Maio, 101 (Alcântara). 

Coolares Market
©Coolares Market

Coolares Market

Lá porque fica no cimo do monte, não quer dizer que o Coolares Market ande menos atento às últimas tendências de moda. Pelo contrário. O cenário campestre-chique da Caza e Quinta de Cima do Pé da Serra (é comprido, não é?) consegue ser verdadeiramente inspirador. Pelo caminho, desfrute da paisagem, nas calmas, que estas bancas estão lá à sua espera, um fim-de-semana por mês. 

Último fim-de-semana do mês 11.00-19.00.

Publicidade
Crafts & Design
©Arquitexturas

Crafts & Design

A cada edição do Crafts & Design, o Jardim da Estrela adere em força ao tema, sejam os canteiros em flor da Primavera, sejam as primeiras folhas secas do Outono. O alinhamento de bancas junta alguns dos artesãos mais habilidosos da cidade com as marcas de que todos falam. Uma coisa é certa: este mercado transborda de boas ideias, mas também de vendedores cheios de pinta, inspirados pela moda de outras épocas. Afinal, é a mais antiga de uma nova geração de feiras. 

Primeiro fim-de-semana do mês 10.00-19.00.

Lxmarket
©DR

Lx Market

Começou por ser o mercado de eleição para todos os lisboetas de guarda-roupa bem recheado, atingidos de súbito pela vontade de cultivar o desapego. Em vários anos de Lx Market, muita coisa mudou. O conceito chegou a ir ao Parque das Nações e a embarcar na caravana do Out Jazz, mas nos últimos tempos tem andado mais sossegado e cheio de pequenas marcas. Artesanato, discos, acessórios, peças de autor e alguns vestígios da segunda mão de outros tempos. 

Domingos 11.00-18.00.

Publicidade
Mercado Novos e Usados do CCB
©CCB

Mercado do CCB

O Novo & Antigo assumiu a alcunha e tornou-se no Mercado do CCB. O conceito, esse, continua o mesmo. Uma pequena cidade, onde encontra de tudo, de camisolas quentinhas e sabonetes artesanais a compotas e fruta da época. De caminho, compre bilhetes para um espectáculo produzido pelo CCB. Tem 30 por cento de desconto em dia de mercado.

Primeiro domingo do mês 10.00-18.00. 

Relíquias de colecção

Feira da Ladra
Fotografia:Ana Luzia

Feira da Ladra

Há coisas que nunca mudam e ainda bem. Falamos da selecção ecléctica e absurda que a Feira da Ladra mostra todas as semanas. O clássico lisboeta não passa de moda e continua a ter uns quantos achados daqueles, basta ter paciência para correr tudo a pente fino. Armas, moedas e selos antigos são as peças mais procuradas por coleccionadores, mas o surreal espreita ao virar de cada esquina na forma de Barbies descadeiradas, electrodomésticos moribundos e bibelôs que desafiam a criatividade dos decoradores mais atrevidos.

Ter e Sáb 08.00-18.00.

Camera

Outros mercados

Aos domingos, as bancas de frescos tiram folga e a nave central do Mercado da Ribeira é ocupada pelo Mercado das Colecções (09.00-13.00). E querendo, também lhe pode chamar mercado dos palavrões: a filatelia, a numismática, os alfarrábios, a medalhística e a cartofilia são os pratos fortes, servidos a coleccionadores a sério, que sabem bem do que andam à procura. 

Bem mais diversificada é a Feira da Avenida da Liberdade, no segundo fim-de-semana do mês (10.00-19.00). Junte aos produtos biológicos o chamado artesanato urbano, identificável à distância pelas bolsinhas de retalhos e pela bonecada em papel maché. Gostos à parte, um belo passeio pelo Passeio Público de outros tempos. 

Nos últimos sábados do mês, as hortaliças partilham o jardim com a Feira de Antiguidades, Velharias e Artesanato do Príncipe Real (09.00- 18.00). O nome diz tudo. Apesar das poucas bancas, esta feira junta meio mundo.

Venha às compras cá dentro

Hype Market
©Hype Market

Hype Market

O mercado trocou o Arco do Cego por Alvalade, mas a clientela permanece fiel. Da roupa à bijutaria, dos sapatos à cosmética, toda a família vai poder enfeirar. Mas o Hype Market não fica por aí. A organização junta-lhe marcas de design, decoração e arte. Boas compras.

Palace Market
Fotografia:Ana Luzia

Palace Market

O Palace Market tornou-se rapidamente um sucesso e todo o espaço é pouco para o número crescente de marcas e clientes. O forte é o guarda-roupa feminino, se bem que os pequenos fashionistas não saem mal servidos. Uma ou outra sugestão de decoração e tem-se casa cheia. É o mercado mais chique de Lisboa e arredores e o único da sua espécie. 

Rua das Portas de Santo Antão, 89.

Publicidade
the spot market
©DR

The Spot Market

The Spot Market já conquistou o seu lugar na agenda lisboeta. As marcas chegam de todo o país e como a maioria está habituada a vender online, tem aqui uma oportunidade de contactar directamente com as compradoras. Elas, por sua vez, podem mexer em tudo o que o ecrã, normalmente, não deixa. 

Rua D. João V, 24. Primeiro sábado do mês 10.30-19.30. 

Pequenos feirantes

Mercadito da carlota
© Blog da Carlota

Mercadito da Carlota

Desde 2011 que o Mercadito acontece duas vezes por ano, a cada mudança de estação, e ainda não parou de crescer. Mérito de um conceito pioneiro, que já passou pelo Ritz, pela Estufa Fria, pelo Museu da Carris e pelo CCB. O leque de marcas para adultos tem vindo a aumentar, das últimas modas para pais e mães à decoração.

Em forma

Get Zen
©Get Zen

Mercado Get Zen

Depois das carrinhas gourmet, da corrida ao vintage e da febre do design, chega uma nova geração de mercados. É o caso do Mercado Get Zen. Estreou-se nos jardins do Palácio Pimenta, e o nome não foi escolhido em vão. Há bancas de produtos naturais, dos alimentos biológicos à cosmética, mas também demonstrações de terapias alternativas, oficinas de aproveitamento de materiais, guerreiros japoneses, yoga, feng shui e muito mais.

Publicidade