Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right As melhores lojas e ateliês para comprar jóias em Lisboa
Ateliê Cata Vassalo
Fotografia: Francisco Santos Ateliê Cata Vassalo

As melhores lojas e ateliês para comprar jóias em Lisboa

Lisboa é uma pedra preciosa em bruto que estas senhoras trataram de lapidar.

Por Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Com cada vez mais marcas de jóias portuguesas em Lisboa, não há desculpas para não brilhar pela cidade, quer em ocasiões especiais, quer para animar os dias cinzentos. Nesta lista, apresentamos as melhores lojas e ateliês para comprar jóias em Lisboa. Mas o melhor é mesmo não ser preciso endividar-se para levar uma peça para casa: há espaço para jóias acessíveis, sem descurar o design, mais orgânico ou mais geométrico. Brincos, pulseiras, colares, de todas as formas e feitios, em materiais nobres, mas também em plástico, nylon e até impressão em 3D.

Recomendado: As melhores concept stores em Lisboa

Uma foto da Time Out Magazine

A Time In Portugal já está disponível

Pode ler a última edição no conforto do seu sofá

Ler a revista

Marcas de jóias portuguesas para brilhar em Lisboa

cata vassalo
cata vassalo
©cata vassalo

1. Cata Vassalo

Compras Artigos para noivas Sintra

Catarina Vassalo ficou conhecida graças aos toucados e grinaldas – para noivas e não só – mas na Primavera de 2018 resolveu arrojar e juntou aos ganchos, coroas, bandoletes, pregadeiras, chapéus e canotiers de todas as cores, uma colecção de brincos. A partir daí têm predominado as flores, folhas, pedraria e muitos dourados – um básico que serve para qualquer ocasião, seja para um dia de trabalho, ou para brilhar numa festa. 

Joana Mota Capitão
Joana Mota Capitão
©DR

2. Ateliê Joana Mota Capitão

Compras Areeiro/Alameda

Ora geométrica, ora com um toque tribal, o estilo de Joana Mota Capitão é assim, versátil. Dos brincos que quase tocam nos ombros e dos anéis que pedem mais do que um dedo às pequenas peças para trazer bem junto à orelha. Pelo meio, a joalheira também produz peças personalizadas e nem os homens ficam de fora, basta visitar o ateliê (não se esqueça de marcar: joanamotacapitao@gmail.com). 

Publicidade

3. Ateliê Inês Telles

Compras Estrela/Lapa/Santos

Inês Telles dá nome à sua marca e ao seu ateliê homónimo. Cada jóia é criada manualmente, em prata e em ouro, e produzidas em pequenas colecções quase exclusivas. A magia acontece no seu estúdio-oficina na Calçada das Necessidades, aberto ao público consoante marcação prévia (jewelry@inestelles.com). 

Carolina Curado
Carolina Curado
©DR

4. Ateliê Carolina Curado

Compras Campo de Ourique

Ninguém nesta cidade cruza melhor biologia e joalharia do que Carolina Curado. A aventura começou com as folhas de ginkgo biloba e zircões, mas hoje o trabalho da designer (a quem se juntou Fátima Reis) é uma autêntica dissecação da vida selvagem, só que banhada a ouro. Insectos, crânios de animais e caveiras humanas são aplicados a brincos, fios, anéis e pulseiras, um verdadeiro zoo dourado. O resultado é irresistível e está à venda na 39A Concept Store e na loja do hotel Ritz, ou numa visitinha à joalheira no ateliê de Paço d'Arcos (carolinabccurado@gmail.com). 

Publicidade

5. HLC

Compras Moda Princípe Real

H de Helena. L de Lopes. E C de Cardoso. A HLC é o projecto de Helena Lopes Cardoso, que estudou Economia, mas acabou por se dedicar à veia artística, tirando também um curso de joalharia. Na loja da Embaixada, tem peças em prata (banhadas a ouro amarelo, ouro rosa ou prata) que dão para todas as mulheres e todas as ocasiões: de uma ida à praia a um casamento, de um jantar com amigos a uma reunião de trabalho. 

6. Juliana Bezerra

Compras Joalharia Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Podem não ser as jóias que mais dão nas vistas, mas que Juliana Bezerra soube agarrar-se bem ao conceito que ela própria definiu para as suas peças, isso até os adeptos do bling bling conseguem reconhecer. A inspiração vem directamente da botânica. Sementes, folhas, cascas – a natureza está por todo o lado, mesmo em referências quase microscópicas, apenas visíveis aos olhos dos mais atentos. Para ver as peças ao vivo e, com sorte, ver Juliana em acção, basta fazer-lhe uma visita, no Pateo Bagatela (Ter-Sex 13.00-19.00; Sáb 10.00-13.00). 

Publicidade
Ana Sales
Ana Sales
©DR

7. Ana Sales

Compras Joalharia Baixa Pombalina

Primavera, Verão, Outono ou Inverno. Seja qual for a estação do ano, Ana Sales nunca se afasta muito da natureza. As folhas continuam lá, aos molhos, para fazerem um brilharete, ou em pequenas doses, para poderem ser combinadas com outras peças. Pode visitar o ateliê da joalheira, ainda que com marcação (91 794 8036 ou anasalesjewelry@gmail.com), para peças personalizadas ou discutir ideias com Ana. As peças também estão à venda noutras lojas que pode consultar nesta lista.

8. Leonor Silva Jewellery

Compras Joalharia Areeiro/Alameda

Na Oficina 8, junto à Alameda Dom Afonso Henriques, Leonor Silva trabalha e recebe clientes, amigos e curiosos, que podem simplesmente ver a artista a trabalhar. As três colecções –Cork Collection, Survival Kit Collection e Eat me if you can – Luxury Food – estão lá para surpreender, que neste alietê não há espaço para jóias banais.

Publicidade
Tânia Gil
Tânia Gil
©DR

9. Tânia Gil

Compras Joalharia Chiado/Cais do Sodré

São jóias, mas algumas mais parecem fragmentos de natureza encontrados por aí. E não é por acaso. Tânia Gil é outra das tais joalheiras recolectoras, por isso, é pau, é pedra, é búzio, é concha, é o que aparecer pelo caminho. Esta artesã é pouco dada ao ouro. Fica-se pela prata e pelo bronze, uma combinação sombria, mas que resulta na perfeição nas mãos de Tânia.

Vangloria
Vangloria
©DR

10. Vanglória

Compras Chiado

A Vanglória é a prova de que a joalharia pode ir buscar inspiração a qualquer área. Neste caso, é a matemática a entrar em acção. Quando Fibonacci faz parte das leituras obrigatórias da criadora, Vanessa Pires, o resultado só podia ser à base de triângulos e espirais, valores acrescentados em peças de pequena escala, mas com detalhes suficientemente ricos para darem nas vistas onde quer que vão.

Publicidade
NOL Jewellers
NOL Jewellers
©DR

11. NOL Jewellers

Compras Joalharia Chiado

Nesta joalharia eleva-se a arte a outro nível e todo o processo de produção é feito na casa. A NOL abriu no Chiado a sua primeira loja, pelas mãos
 de Luísa Bernardes e Nuno Pestana, um casal de joalheiros juntos desde 1990. Cada peça é vista como uma obra de arte, até porque se dedicam maioritariamente à produção de exemplares únicos e à medida de quem quer algo especial. A combinação de metais preciosos com materiais orgânicos é uma das mais-valias da marca, que além das peças por encomenda tem as suas próprias colecções.

jóias
jóias
Fotografia: Kathia Bucho

12. Kathia Bucho Jewellery

Compras Alvalade

Kathia Bucho é um dos nove autores de joalharia portuguesa que, em 2019, desenharam uma colecção exclusiva inspirada na arquitetura do MAAT. Com ateliê em Lisboa, a designer une o trabalho de joalharia clássica tradicional em materiais nobres à utilização irreverente de plásticos, nylons e impressão em 3D.   

Publicidade
jóias
jóias
Fotografia: Allis Jewellery

13. Allis Jewellery

Atracções Alcântara

Esta marca inteiramente portuguesa é mérito de Inês Calado e Rute Marques, que produzem peças de joalharia através tanto de técnicas tradicionais de ourivesaria como de tecnologias mais avançadas, como o 3D e o corte a laser. Já as inspirações são diversas, desde os animais e as suas texturas até ao design de edifícios arquitectónicos ou às formas do corpo. Entre os serviços disponíveis, existe também um workshop de alianças de casamento, com preço sob consulta, para todos os apaixonados interessados em criar as suas próprias peças de joalharia. Com ateliê em Lisboa, na zona da Graça, vendem as suas peças na Lx Factory, mas também na Storytailors, no Papua Market e na Le Frique Concept Store. 

jóias
jóias
Fotografia: Sopro Jewellery

14. Sopro Jewellery

Compras Chiado

Esta marca portuguesa de joalharia foi seleccionada para integrar a coleção de jóias da loja do museu holandês The Hermitage a propósito da exposição “Jewels! Glittering of the Russian Court”. O mérito é da designer Andreia Quelhas Lima, que se inspira na natureza e nas estações do ano para criar artesanalmente pulseiras, brincos e colares. À venda online, as suas peças também estão disponíveis em Lisboa, na Violet&Ginger, no número 29 da Calçada do Sacramento.

As melhores compras, bairro a bairro

Louis Vuitton
©STEPHANE MURATET

As melhores lojas da Avenida da Liberdade

Compras

O encanto da 10.ª rua mais luxuosa do mundo está nas lojas que enchem as belíssimas montras de peças de roupa, sapatos, jóias e relógios com preços com mais de quatro dígitos. Junte-se aos turistas mais ricos para ver as modas, cumprimentar o segurança à porta e estoirar o ordenado sem culpas, se por acaso é isso que lhe apetece fazer.

Bernardo
Fotografia: Inês Félix

As melhores lojas no Príncipe Real

Compras

As melhores concept stores em Lisboa têm morada no Príncipe Real, mas também há espaço para designers portugueses no bairro mais cool da cidade, onde há uma porta aberta a cada dois passos. É verdade que pode ir tropeçando nos turistas, mas há algumas portas onde tem mesmo de parar para entrar, seja para encher a casa, o armário e até o quarto dos brinquedos dos miúdos.

Publicidade
pikikos
Fotografia: Manuel Manso

Vamos às compras em Campo de Ourique

Compras

Paços de Ferreira está para o móvel como Campo de Ourique está para as lojas de bairro, sobretudo as de família. Não há rua neste bairro sem uma montra que arranque suspiros babados e que não nos desperte uma vontade imensa de abrir os cordões à bolsa para comprar qualquer coisa para os miúdos, para nós ou lá para casa.

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade