Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right 11 séries na Amazon Prime Video que valem a pena
The Office
©IMDB The Office

11 séries na Amazon Prime Video que valem a pena

A companhia de Jeff Bezos tem vindo a preencher o catálogo. Saiba que séries na Amazon Prime Video não pode perder

Por Sebastião Almeida e Tiago Neto
Publicidade

Em 2016, o serviço ficou disponível em Portugal para gáudio dos amantes da arte de fazer streaming e elaborou um catálogo com conteúdos para todos os gostos. Há clássicos a fazer parte do cardápio e títulos mais recentes que justificam um mergulho demorado pela plataforma. É certo que a escolha agora é grande, e a concorrência faz-se de apostas cada vez melhores no que diz respeito ao conteúdo original, mas a Amazon Prime Video não quer ficar para trás e tem pescado bons títulos pelo caminho. Prova disso são estas onze séries.

Recomendado: As séries originais que tem de ver na Amazon Prime

11 séries para ver na Amazon Prime

Into The Badlands

Nasceu como uma série para um nicho e talvez por isso não tenha durado mais. O cancelamento por parte do AMC, no entanto, não retira qualidade a Into the Badlands, uma história de artes marciais passada num futuro pós-apocalíptico que nos chegou pela produtora de Quentin Tarantino e com equipas de O Tigre e o Dragão e Kill Bill. Foi feita por gente que sabe do assunto e com um grande investimento por parte do AMC, que via na série o sucessor de The Walking Dead. Há três temporadas para ver.

Parks And Recreation

Criada por Greg Daniels e Michael Schur, com Amy Poehler à frente de um elenco que incluía também Aziz Ansari, Rashida Jones, Nick Offerman, Aubrey Plaza e Chris Pratt, entre outros, Parks and Recreation é uma das melhores sitcoms americanas do século XXI. Uma sátira política inspirada em The Office que se centrava nos desafios e elementos ridículos da administração política local, com uma enorme empatia e sem nunca ceder ao cinismo. 

Publicidade

Homecoming

A história começa com Heidi Bergman (Julia Roberts), que trabalha na Homecoming, uma instalação que ajuda os soldados a fazer a transição para a vida civil. Entretanto, Bergman decide sair, mas vários anos depois o Departamento de Defesa quer saber o porquê. É nessa altura que Heidi percebe que há toda uma outra história por trás da que ela achava ser verdade. Depois de terminada a temporada de estreia, a série retorna para a segunda vaga já sem Julia Roberts – que passou a produtora executiva. Agora, temos a cantora e actriz Janelle Monáe em destaque e uma nova história, com novos personagens. Mantém-se, no entanto, o mesmo universo da primeira temporada, em que ainda existe a instalação Homecoming, administrada pelo Grupo Geist. 

Downton Abbey

É a mais memorável e premiada série histórica feita na última década. Criada por Julian Fellowes, também o principal argumentista, Downton Abbey retrata o início do século XX (concretamente, o período entre 1912 e 1926) pelos olhos da aristocrática família Crawley e dos seus criados. O desastre do Titanic, a I Guerra Mundial, o surto de gripe espanhola, a luta pela independência irlandesa, entre outros acontecimentos marcantes, sucedem-se à medida que acompanhamos as vidas dos personagens.

Publicidade

The Office

Da mente de Ricky Gervais mas adaptado ao lado de lá do Atlântico, The Office segue o quotidiano dos trabalhadores de uma empresa de papel com câmeras que os acompanham em formato documentário. Na equipa estão Michael Scott (Steve Carell), o chefe, que não é muito inteligente ou engraçado; Dwight Shrute (Rainn Wilson), um vendedor que leva o seu trabalho muito, muito, muito a sério; Jim Halpert (John Krasinski), um vendedor que é o brincalhão do escritório. E Pam Beesly (Jenna Fischer), a recepcionista que está noiva, mas que também é a paixão de outra pessoa no escritório. Com estes personagens é comédia garantida.

The Grand Tour

Clarkson, Hammond e May mudaram-se para o streaming mas continuaram a fazer o que melhor sabem: experimentar carros de topo e dar-nos grandes motivos para gargalhadas (acima do limite de velocidade). A série que acabou por ser uma alternativa ao que os três tinham conseguido na BBC, com Top Gear, arrancou desde cedo com expectativas altas e uma base de fãs considerável, e tem vindo a melhorar de temporada em temporada. Afinados os detalhes, há também spin-offs para deitar um olho.

Publicidade

Marvelous Mrs. Maisel

Anos 1950, Nova Iorque. Mrs. Maisel vive a vida perfeita até que descobre que o seu marido a trai com a secretária. Clássico, não é? Midge Maisel (Rachel Brosnahan) acaba um dia num bar, desgostosa e consideravelmente intoxicada, sendo levada pela polícia. O que ela não sabe é que momentos antes protagoniza um excelente espectáculo de stand-up enquanto se queixa da vida. A partir dessa noite, Mrs. Maisel passa a esconder a faceta de comediante da família e do seu ex-marido, ao mesmo tempo que se debate com episódios de sexismo, audiências amargas e competição feroz no circuito do humor nova-iorquino. Inspirada subtilmente na carreira da comediante Joan Rivers, a série com três temporadas é um dos maiores trunfos da Amazon. Prova disso são os prémios que tem arrecadado. 

O Homem do Castelo Alto

O livro de Philip K. Dick deu origem a um dos mais aclamados conteúdos originais da Amazon Prime. Estreou-se em 2015 e chegou a Portugal um ano depois, altura em que o serviço ficou disponível no nosso país. Ridley Scott é um dos produtores da série que nos transporta para um mundo em que, no pós-Segunda Guerra, em 1962, a Alemanha nazi e o Japão controlam o território norte-americano. Quando a irmã de Juliana Crain (Alexa Davalos) é assassinada, ‘Jules’ dá por si a juntar-se à Resistência Americana. A maior esperança da resistência são filmes que mostram uma aparente realidade alternativa em que os Estados Unidos e os Aliados venceram a guerra. O Homem do Castelo Alto, como é conhecido no submundo que luta contra os ocupantes, é o responsável por estes vídeos que são encarados como propaganda mas, na verdade, podem ser muito mais que isso. 

Publicidade

Mr. Robot

Chegou à televisão em 2015 e arrebatou a crítica com uma excelente primeira temporada. Elliot Alderson (Rami Malek), um jovem programador com um distúrbio de ansiedade, é recrutado para integrar um grupo de hackers anarquistas intitulado Fsociety. Tudo o que acontece em seguida pode ou não ser verdade. A lembrar um Fight Club (1999) feito para a televisão, as restantes temporadas não conquistaram a crítica de forma tão unânime. Mas Sam Esmail, criador da série, revolucionou o panorama da televisão com um enredo complexo e uma criatividade técnica que não se tinha visto até então. 

The Good Wife

Alicia (Julianna Margullies) foi sempre uma mulher dedicada à família, até que o marido, um ex-procurador do Ministério Público é implicado num escândalo sexual e de corrupção, acabando atrás das grades. A até então dona de casa é obrigada a dar uma volta à sua vida e a sustentar a família. Vencedora de cinco Emmys, a série criada por Michelle e Robert King inspirou-se nos escândalos políticos do ex-Presidente Bill Clinton e do senador John Edwards. Segundo os criadores, a imagem de uma mulher que permanece calada ao lado do marido, depois de admitir o envolvimento num acto de má conduta, tornou-se um cliché e é isso que este produto explora ao longo das sete temporadas.

Publicidade

Justified

Graham Yost é o criador da série que se baseia em Raylan Givens, um Marshall dos tempos modernos com um conceito de justiça a fazer lembrar os pistoleiros do Oeste. Estreou-se em 2010 e Timothy Olyphant foi quem deu vida ao temido Raylan Givens até à sexta e última temporada, que foi para o ar em 2016. Inicialmente emitido no FX, está disponível na íntegra no catálogo da Amazon Prime Video. 

Mais séries e filmes para ver

As 19 séries da HBO que tem de ver

Filmes

Desde que chegou a HBO (para não falar nos outros serviços de streaming que apareceram entretanto) ficou ainda mais complicado gerir a agenda – e não falamos apenas da vida social, mas do calendário de estreias de séries. A pensar nisso, fizemos-lhe uma selecção das séries na HBO que vale a pena ver e que nunca o farão perder tempo. 

The Irishman
©Netflix

19 filmes originais Netflix que tem de ver

Filmes

Já lá vai o tempo em que a Netflix só nos fazia colar aos monitores e ecrãs pelas séries. Não que tenha deixado de o fazer, mas a gigante do stream apontou baterias a outras paragens e a aposta tem compensado. A mudança de paradigma no cinema, as burocracias dos estúdios e a insistência da rentabilidade nas bilheteiras sobre a história fizeram com que muitos projectos nunca vissem a luz do dia. 

Publicidade
Filmes, Shawshank
©IMDB

Os melhores filmes na Netflix

Filmes

Já sabemos que a oscilação de conteúdos faz parte. Isto é, o que hoje temos disponível, amanhã desaparece sem deixar rasto. Por isso, tudo o que lhe pedimos é que mergulhe rapidamente nesta lista. Prepare os snacks, as pipocas, se as tiver, hidrate-se e ponha os olhos nos melhores filmes na Netflix.

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade