A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
A Flor da Laranja
©Manuel MansoTajine de borrego com ameixa caramelizada

Especial Mundial 2018: restaurantes marroquinos, iranianos e espanhóis

Somos pelo fair play por isso fomos comer aos restaurantes dos nossos adversários da fase de grupos do Mundial: espanhóis, marroquinos e iranianos

Escrito por
Inês Garcia
Publicidade

Portugal calhou no grupo B do Mundial de Futebol 2018 e saiu-lhe na rifa Espanha, Marrocos e Irão. Nós cá não somos de intrigas mas a verdade é que até papamos grupos: ora veja-se, Lisboa está cheia de restaurantes com cozinhas do mundo inteiro. Os nuestros hermanos estão mais do que bem representados e com ovos rotos à altura, o calor de Marrocos está em tajines e há kooftehs iranianos escondidos em pequenos restaurantes com muito valor. Como somos pelo fair play, fomos sentar-nos às mesas destes inimigos e saímos de barriga cheia.

Mais Mundial? Descubra os melhores sítios para ver a bola em Lisboa, os melhores restaurantes e os melhores sítios ao ar livre para viver o Mundial em grande. 

Recomendado: Os melhores restaurantes do mundo em Lisboa

Restaurantes marroquinos, iranianos e espanhóis em Lisboa

  • 4/5 estrelas
  • Restaurantes
  • Iraniano
  • Chiado/Cais do Sodré
  • preço 2 de 4

Este pequeno restaurante na Praça das Flores tem mostrado que a comida típica iraniana tem muitas especiarias e ervas aromáticas. Não se deixe intimidar pelos nomes difíceis de pronunciar,  Pooneh Niakian está lá para o ajudar. Comece pelo couvert, uns frutos secos torrados caramelizados com canela e pão barbari, uma espécie de focaccia. Depois há fritatta de ervas aromáticas (5,30€), um peito de frango servido em naan (8,50€) ou umas espetadas condimentadas de carne de vaca e borrego (10,90€). 

Irão: 1001 Nights
  • Restaurantes
  • Iraniano
  • Areeiro/Alameda

Fica meio escondido num edifício de um ginásio ali para os lados de Roma-Areeiro e passa bem por um snack-bar português. É, antes, um restaurante com especialidades iranianas servidas em doses grandes. Tem espetadas com uma mistura de carne de vitela e cordeiro (as koobideh kabab) ou um refogado de pernil de cordeiro que acompanha com favas e aneto (baghali polo ba mahicheh). Nas sobremesas há um gelado persa, bastani sonati, feito com leite, ovos, açúcar, água de rosas, açafrão, baunilha e pistácio.

Publicidade
  • 4/5 estrelas
  • Restaurantes
  • Petiscos
  • Chiado/Cais do Sodré
  • preço 3 de 4

O casamento entre tapas espanholas e petiscos portugueses é harmonioso neste restaurante com cunho de Henrique Sá Pessoa. Comece por pedir um vermute, a bebida da casa, antes de explodir a bomba-croquete, misturar os ovos rotos ou ir picando umas batatas bravas. Há pratadas de paella, presa de porco ibérico ou o mais português tachinho de ervilhas com chouriço de porco alentejano. Nas sobremesas faça um pijaminha com toucinho do céu, mousse de torrão de Alicante e crema catalana.

  • Restaurantes
  • Espanhol
  • Chiado/Cais do Sodré
  • preço 2 de 4

É a verdadeira mesón espanhola para tapear em Lisboa. A ementa faz-se essencialmente de pratos para partilhar. Comece pelo jamón antes de se atirar aos clássicos ovos rotos, aqui com azeite de trufa (7,50€), às batatas bravas, numa versão mais requintada em rolinho e bem picantes, ou aos pimentos Padrón (6,50€). Vale a pena guardar espaço para pratos como o cochinillo assado no forno com batata doce ou a perna de cabrito, que chega à mesa com alecrim a fumegar.

Publicidade
Espanha: Casa Galega
  • Restaurantes
  • Oeiras

Esta discreta casa na zona histórica de Paço de Arcos serve bons pratos de inspiração galega, basca e de outras regiões espanholas. A paella valenciana é a especialidade da casa (22€) e só por si já vale a visita, mas antes disso prove o polvo (9,50€)  ou a orelha de porco à galega (4,50€), pique uns mexilhões à espanhola (4,50€) ou as setas al ajillo (4,50€). Nos pratos de carne há perdiz estufada com vinagre balsâmico e alecrim e costeletas de cordeiro. 

  • 3/5 estrelas
  • Restaurantes
  • Bairro Alto

Rabia Esserghini garante que o Flor da Laranja, restaurante que abriu no Bairro Alto em 2004, é o único restaurante verdadeiramente marroquino  no centro de Lisboa, especialmente depois do fecho do Pedro das Arábias e do Ali-a-Papa. Continua a servir bons pratos do país, sem nunca ter introduzido outro tipo de comidas para agradar a turistas. Há tajines de borrego com ameixas caramelizadas, que acompanham com batata doce, sultanas, mel e canela, favas com azeite e azeitonas, espinafres com limão ou beringela com tomate, ou cuscuz tradicional. Só abre para jantares, por isso não vai dar para ir lá à hora do jogo com Portugal (dia 20, às 13.00), mas pode ser que lhe abra o apetite.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Marroquino
  • Cascais

A decoração deste Kech em Cascais é simples mas a ementa é muito completa e garante a viagem até Marrocos. Nas entradas há hummus, saladas frias de cuscuz ou quente com beringela amassada e tomate, servida com pão ou o folhado pastilla, uma massa fina recheada com frango, amêndoas e canela. Há nove tajines diferentes, das de carne com ameixa às de salmão e legumes, e para finalizar gelado de menta ou três variedades de doces marroquinos, sempre com amêndoas e mel.

Cozinhas do mundo em Lisboa

  • Restaurantes
  • Mexicano

O melhor é pedir uma marguerita ou um cocktail com mezcal assim que chegar um destes restaurantes mexicanos em Lisboa – afinal a cozinha mexicana é conhecida pelo seu nível de picante (e aqui convém ter atenção às malaguetas assinaladas nas cartas, que não estão lá para enganar ninguém). 

Publicidade
Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade