Hambúrguer Chilly Cheese do Ground Burger
©Inês Félix

Os melhores restaurantes e cafés para quando está de ressaca em Lisboa

Não se enrole nos lençóis, recupere o fígado e aconchegue o estômago nestes restaurantes e cafés para quando está de ressaca em Lisboa.

Publicidade

O cenário na manhã pós-saída pode ser devastador. Zero vontade de sair da cama, um estômago em dor e uma garganta a implorar por água. Em vez de ficar a sofrer enrolado nos lençóis, aceite que o melhor a fazer é mesmo pegar na réstia de coragem que tem, vestir e enfrentar o dia (ainda que de óculos de sol). E isso significa também procurar comida de conforto – e isso tanto pode ser uma torre de panquecas altas e fofas, um hambúrguer com um qb de gordura que nos afaga as dores (de alma e tudo) ou um refrescante smoothie bowl. Não sucumba à comida de plástico. Hidrate-se. Peça água. Mas se o sol lhe der energia e começar a sentir-se campeão, vá directo às mimosas e bellinis e recomede tudo novamente.

Recomendado: A melhor comida de tacho em Lisboa

Restaurantes e cafés em Lisboa para quando está de ressaca

  • Árabe e Médio Oriente
  • Cais do Sodré
  • preço 2 de 4

Não negue logo à partida um brunch que desconhece. Esta refeição é servida apenas aos sábados e domingos mas é um tabuleiro de comida de conforto. Confie no poder reconfortante de um pão pita morninho com hummus, nos ovos turcos (fritos em manteiga e servidos com iogurte grego temperado com sal e limão), nos palitos de halloumi frito, falafel ou espetadas kefta. É muito completo e pode escolher duas bebidas para acompanhar, uma fria e uma quente. Se já estiver noutra, pode acrescentar uma mimosa de hibiscos (mais 2€) ou um bloody mary (mais 2€).

  • Cafés
  • Santos
  • preço 2 de 4

Pequenino e minimalista na decoração mas com uma ementa capaz de o fazer voltar ao mundo dos vivos. Além de quatro menus de brunch (14-16€), serve tudo à carta. E estamos aqui a falar de todas com pão de fermentação lenta, panquecas doces ou salgadas, ovos mexidos ou waffles caseiros e gulosos. A parte de cafetaria tem todos os clássicos e há três smoothies carregados de energia (a partir de 4,50€).

Publicidade
  • Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Há panquecas pornográficas, com doce de leite, banana e frutos vermelhos e quatro menus de brunch, com dois ovos, estrelados ou mexidos, comuns a todos. Um tem iogurte com granola e tosta de hummus, outro tem salsichas do Kaffeehaus e gaufres doces, e há uma opção com salmão marinado e panquecas e ainda uma com salada fresca, bacon e abacate. Para algo mais substancial, e se já for mais tarde, há sopas de nacionalidade russa e pratos com nome impronunciável mas de conforto, como o frango à Kiev, recheado com manteiga e ervas (13,50€).

  • Vietnamita
  • Chiado/Cais do Sodré

Um caldinho para aquecer. A Praça das Flores ganhou uma nova nacionalidade com o Phôfinho, um restaurante vietnamita, pequenino, que serve apenas três phos, a sopa de noodles de arroz tradicional do Vietname. Há o de vaca (pho bo, 9€), galinha (pho ga, 9€) ou vegetariano (pho chai, 9€). Cada um chega à mesa com uma segunda taça, com os frescos prontos a acrescentar ao caldo fumegante. Pode acrescentar rebentos de soja, amendoins, hortelã, coentros, cebola roxa, lima kaffir, chili, malagueta e lima e ainda temperar com os dois molhos disponíveis em todas as mesas, o hoisin ou o sriracha.  

Publicidade
  • Grande Lisboa
  • preço 2 de 4

Aqui o foco são as smoothie bowls e as bowls de aveia, feitas com ingredientes de alta qualidade nutricional, diferentes bases e toppings a dar textura. Tem seis opções frias e outras seis quentes, todas bem apetrechadas. Há também três opções de panquecas e opções mais singelas se o estômago ainda não estiver capaz, como a tosta de manteiga de amendoim.

  • Hambúrgueres
  • São Sebastião

A meca dos hambúrgueres, essa comida ideal para dias de ressaca e qualquer outro, tem morada aqui (e desde 2018 também no Time Out Market). O brioche é caseiro, as batatas fritas estaladiças e os 150% gramas de carne Black Angus compõem o cenário para uma refeição irrepreensível, seja qual for a escolha que fizer. Se for de quinta a domingo ainda apanha os dónutes artesanais da Crush Doughnuts e faz o descalabro na dieta num dia só.

Publicidade
  • Europeu
  • Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Das imagens aos sabores, o Porto está um pouco por todo
o lado nesta cervejaria que já tem quatro espaços em Lisboa (Barata Salgueiro, Alvalade, Avenida da República e Odivelas). Um dos pontos fortes destas francesinhas é o molho, picante q.b. e nada enjoativo. Há três tipos de francesinha, comes em bife, com ovo ou sem. Para estômagos mais pequenos, há a vantagem de poder pedir só meia francesinha.

  • Nepalês
  • Grande Lisboa

É acompanhamento para refeição ou entrada mas um consolo para o estômago quer seja a versão mais simples ou com coberturas. No nepalês Annapurna (com casas em Arroios, na Graça, ou do outro lado do rio, em Almada), além do mais básico pão, tem com alho (2,65€), recheado com legumes (2,65€), com carne de cabrito picada (2,85€), com queijo (2,85€) ou com queijo e cogumelos picados (2,95€).

Publicidade
  • Chinês
  • Baixa Pombalina

O Panda Cantina é um pedaço da região de Sichuan, na China, plantado no centro de Lisboa. E a sua casa se quiser renascer das cinzas como deve ser. Aqui é tudo caseiro, os noodles são feitos na casa, os caldos e as carnes chegam a levar três horas de preparação e a sobremesa é, também ela, preparada na cozinha. O menu é simples, com o ramen como tema central, e há três variedades a provar: porco, vaca e tofu (7,80). 

  • São Vicente 

Ovos safam sempre em qualquer situação. Estes Benedict, no escalfados no ponto certo, são ideias para a sua recuperação. Há três versões: a veggie leva cogumelos e espinafres e é servida num bolo do caco escuro, com farinha de malte (custa 9,90€), a de salmão fumado  vem num bolo do caco tradicional (11,20€) e a de bresaola, uma carne fria parente do presunto, usa o mesmo tipo de pão (10,10€). 

Publicidade
  • Asiático contemporâneo
  • Santa Maria Maior
  • preço 2 de 4

O Mercado Oriental, no Martim Moniz, tem vários conceitos por onde escolher. Sandes de panado japonesa no Kamakura, baos no Bao Bar, pho no Mint House. Recomendamos-lhe ainda o prato de minchi, com carne moída, batata frita cortada em cubinhos pequenos, e um ovo estrelado, acompanhado por uma taça de arroz na Taberna Macau.   

  • Baixa Pombalina

É um ilustre representante de sua majestade em Lisboa. Um bom sítio para ver a bola, mas não só. O movimento começa pela fresca, com o english breakfast (11,95€), um prato cheio com bacon, cogumelos, ovo estrelado, salsichas, feijão, tomate e batatas fritas. Acompanhe com lattes e capuccinos, mas se quiser ou precisar de algo mais pesado, espreite as torneiras de cerveja à pressão e a extensa carta de cocktails.

Publicidade
  • Chiado

Este será um dos sítios mais consensuais para o pós-festa, especialmente se for com um grupo de amigos. Os donos da pizzaria Valdo Gatti abriram o Caffè di Marzano no Largo Rafael Bordalo Pinheiro. É café, vinoteca e vermuteria, onde juntaram os pequenos-almoços nova-iorquinos às influências italianas para todo o dia. Há ovos Benedict, panquecas, paninis e uma selecção matinal de sumos prensados a frio mas também pequenas pizzetas, as versões mais pequenas das pizzas da Valdo Gatti.

Comida de conforto em Lisboa

Cozidos, estrelados, mexidos, escalfados, as opções são muitas, mas o veredicto final nunca anda muito longe do prazer. Visual e gustativo, entenda-se. A cidade tem cada vez mais mesas que lhes prestam atenção. Seja na receita de um médico que, após longas horas de banco, percebeu que a cura para todos os males estava em cozê-los a baixa temperatura e juntar chouriço, seja nas recordações da avó de um cozinheiro israelita, os pratos com ovos em Lisboa são, mais do que um petisco, a bandeira de uma universalidade culinária.

Acha que a sua receita de panquecas é a melhor do mundo? Dê folga à frigideira lá de casa, rume a um destes cafés especialistas em pequenos-almoços e brunches e fique a conhecer boas panquecas, redondas, fofas, leves ou densas, mais altas ou mais baixas, das doces e carregadinhas de chocolate às novas versões fit, feitas com aveia e com muita fruta. Para um grande pequeno-almoço (olá brunch), um almoço diferente (que estas torres de panquecas são bom alimento para o resto do dia e existem até em versões salgadas) ou um lanche como deve ser.  

Publicidade
  • Português

É uma tachada daquelas que pede algumas horas na mesa e uma boa pinga a acompanhar (nos dias mais quentes, reforce os líquidos)  – não é por acaso que o prato não se encontra facilmente nem todos os dias. É uma das receitas mais tradicionais da culinária de Portugal, preparado com grão-de-bico, diversos legumes e vários tipos de carne e enchidos, que podem variar de região para região. Nestes três restaurantes tradicionais em Lisboa, são servidos ora em panelas de barro ora em tachos grandes, sempre em doses generosas e com um bom caldinho. 

Recomendado
    Também poderá gostar
    Também poderá gostar
    Publicidade