A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Contra
Mariana Valle Lima

21 restaurantes em Alcântara para comer a qualquer hora

Em poucas zonas da cidade se acha tanta diversidade com tanta qualidade para tantos gostos e carteiras como nestes restaurantes em Alcântara.

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

À beira-rio ou mais para dentro, clássicos de sempre convivem com novidades que dão cada vez mais cor e vida a Alcântara. Tanto há tascas tradicionais a preços acessíveis como um estrela Michelin, restaurantes de diferentes latitudes, espaços pensados para levar a família e restaurantes que à noite viram discotecas. As Docas, agora renovadas, voltam a ter a vida de outros tempos, enquanto a LX Factory continua uma paragem obrigatória. Nestes restaurantes em Alcântara, há opções para todos os gostos e ocasiões. Quer procure um sítio para passar um bom domingo com os miúdos ou uma festa com os amigos.

Recomendado: Restaurantes para petiscar em Lisboa

Os melhores restaurantes em Alcântara

  • Restaurantes
  • Português
  • Estrela/Lapa/Santos
  • preço 1 de 4

Quando em 2019 se soube que o Maravilhas ia mudar de casa, para umas portas ao lado, para poder crescer, temeu-se o pior. Estaria o futuro deste templo da comida tradicional portuguesa ameaçado? José Margarido, crítico da Time Out, voltou lá nesta nova vida e percebeu que não. O restaurante tem agora dois pisos. Cresceu no espaço, no pessoal e nos preços, mas não perdeu a alma de casa de pasto. O menu continua de conforto, sempre seguro, e um serviço eficiente, de simpatia tranquila.

  • Restaurantes
  • Português
  • Alcântara
  • preço 2 de 4

É um dos meninos bonitos da LX Factory, com uma decoração escolhida a dedo, onde muito do que se cozinha é feito com produtos que chegam directamente de um mercado improvisado no restaurante. Tanto lá pode ir para o picanço, como para se atirar a pratos de inspiração italiana, como receitas tradicionais portuguesas.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Japonês
  • Alcântara

Ou se ama ou se odeia. Assim é o okonomiyaki, o prato estrela do Izanagi. Mas há muitas alternativas para quem não está inclinado para este género de panqueca e prefere ficar pelo sushi. A ideia deste restaurante do grupo Sushi Café é mostrar a Lisboa uma gastronomia semelhante à que se come nas ruas e lojas do metro no Japão, com pratos robatayaki, feitos na grelha japonesa robata, e teppanyaki, numa chapa. A forma mais doce de terminar a refeição é com o miso cheesecake, com caramelo de miso e maçã verde com Favaios e noz.

  • Restaurantes
  • Nepalês
  • Estrela/Lapa/Santos
  • preço 2 de 4

Um restaurante nepalês em Alcântara, onde, diz o crítico Alfredo Lacerda, “é tudo saboroso e a cheirar a especiarias”. Boas chamuças de frango, bom o caril de borrego, mas o melhor mesmo é dar uma vista de olhos pela infindável ementa e escolher consoante o que a fome acusar – e a vontade de picante idem.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Italiano
  • Estrela/Lapa/Santos
  • preço 2 de 4

No Ruvida — "áspero" na tradução para português — o dia começa com um pedaço de massa de tamanho considerável e tudo é feito à mão. Valentina, uma das figuras do negócio define o conceito como uma cozinha atípica que procura trazer receitas ultra tradicionais só possíveis de encontrar em determinadas zonas de Itália, numa viagem que quer, aos poucos, dar a provar todo o país com a sazonalidade como foco.

  • Restaurantes
  • Russa
  • Alcântara
  • preço 2 de 4

Sempre foi conhecido como o restaurante onde se bebia vodka à refeição e isso, felizmente, não mudou. O Tapadinha é um russo que se aguenta de pedra e cal em Lisboa há vários anos e que serve, além do bife tártaro, claro está, frango à Kiev, salada russa (diferente da nossa) e galubtsi, isto é, vegetais recheados com carne.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Português
  • Alcântara
  • preço 1 de 4

É “a” tasquinha para comer caracóis nos meses em que os rastejantes dão o ar da sua graça, mas é também o sítio certo para comer um bife à casa com batatas fritas, pregos, iscas, costeletas de borrego ou arroz de lingueirão. É tão amado entre os alcantarenses que divulgá-lo nestas páginas é coisa para os deixar ligeiramente irritados.

  • Restaurantes
  • Português
  • Alcântara
  • preço 2 de 4

É o restaurante do Mercado de Alcântara e é um autêntico paraíso para amantes de peixe e marisco frescos. Vão eles directamente para a brasa, entrem num tacho para fazer um belo arroz de lingueirão ou uma açorda de ovas, sirvam para lhes cortarem as cabeças e usá-las como um bom pitéu. Não esquecer: guardar espaço para as sobremesas.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Português
  • Estrela/Lapa/Santos
  • preço 2 de 4

Uma das grelhas mais respeitadas de Lisboa fica mesmo em cima do rio, na Estação Marítima da Rocha do Conde de Óbidos. No Último Porto, que continua a servir apenas aos almoços, tudo o que vai para o prato é fresco: há peixe espada, chocos, douradas, pampos, cabeça de garoupa ou ovas grelhadas, tudo servido nas tradicionais travessas de inox.

  • Restaurantes
  • Português
  • Alcântara

Os lustres e os candeeiros de tecto contrastam com as mesas e cadeiras mais industriais deste restaurante de grandes dimensões da Lx Factory. No 1300 Taberna servem-se pratos contemporâneos, começando pelo ovo a 64 graus com bimis e espargos grelhados ou tártaro de peixe do dia mas também bacalhau à brás ou arroz de pato de forno.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Alcântara

Tem o nome do chef basco que é o comandante de um dos melhores restaurante do mundo, o Azurmendi, em Espanha. Tem menus de degustação num espaço pequeno e intimista, com a comida a ser preparada e explicada aos clientes com toda a atenção. O chef executivo brasileiro Luís Bernardes  é o responsável por servir os dois menus, o Adarrak (125€ sem bebidas) e o Erroak (110€ sem bebidas). Há pairing de vinhos a 75€ e 85€. A má notícia é que o restaurante está encerrado temporariamente. A boa é que deve reabrir a 1 de Abril.

  • Restaurantes
  • Alcântara

O chef basco Eneko Atxa chegou em Lisboa em dose dupla. O Basque fica numa primeira sala no espaço do antigo Alcântara Café e oferece comida tradicional basca para partilhar, num ambiente mais ruidoso e festivo. Tem pratos como o lombo de bacalhau al pil-pil ou pescada de anzol com mistura tradicional de pimentos assados.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Asiático contemporâneo
  • Alcântara
  • preço 2 de 4

Ainda os restaurantes asiáticos estavam longe de entrar na 
moda e já Yoon Chin Lai, no 
seu primeiro Café Malaca, apresentava gyosas, caris verdes, sopas tomyam e afins. A mudança para a LX Factory foi radical, e com ela vieram muito mais lugares e mais pratos, sempre da Indonésia, Tailândia, Vietname e Malásia, o seu país de origem.

  • Restaurantes
  • Alcântara

É impossível fugir ao óbvio, um elemento muito conhecido dos últimos anos na Lx Factory que marcou a paisagem (ou terá sido o Instagram?) em Lisboa. A colorida estátua de Leonel Moura, “Crista Rainha”, deixou de morar no terraço do Rio Maravilha para agora dar as boas-vindas no Contra, nas Docas. Aberto no lugar de um antigo e conhecido pub irlandês, o Contra quer ser tanto um restaurante de boa comida, como um ponto de encontro para copos com bons cocktails. É Contra de nome, mas opõe-se a pouca coisa. As carnes são um dos destaques da carta, mas também há, por exemplo, um polvo grelhado com arroz do mesmo (18€), três opções de hambúrgueres – um deles vegan (14€) – ou uma salada com alface, bacon crocante, tomate, molho caesar, croutons e lascas de parmesão (9,20€). As noites, de quinta-feira a sábado, são animadas por DJ’s.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Português
  • Alcântara
  • preço 2 de 4

Madonna jantou no Solar dos Nunes meses depois de se ter mudado para Lisboa. Mas por mais papa-celebridades que o leitor seja, não deve ser essa a razão pela qual vai experimentar a cozinha dos Nunes. Até porque a estrela brilhará pouco ao lado de especialidades tão boas quanto a perdiz estufada à alentejana ou a açorda de alho com bacalhau. Há uma secção inteira dedicada aos pratos de caça, e as sobremesas, que aqui se chamam lambarices, incluem sericaia com ameixa de Elvas, encharcada de Mourão e fidalgo real.

  • Restaurantes
  • Português
  • Estrela/Lapa/Santos
  • preço 2 de 4

Esta tasca sobrevive sempre cheia de clientes em busca de um bom peixe grelhado.  A lista de peixe fresco é grande, mas tome também atenção ao bacalhau assado. As carnes grelhadas não ficam atrás e tudo chega à mesa em doses grandes e com acompanhamentos simples, mas saborosos. É bem provável que seja o único restaurante da cidade com um dialecto próprio – criado há 30 anos. Se ouvir falar em “Mantorras”, pense em peixe-espada preto; se quiser umas batatas a murro, peça-as “à Sá Pinto”.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Frutos do mar
  • Estrela/Lapa/Santos
  • preço 2 de 4

Quem não é de Alcântara, costuma falar no “largo das cervejarias” para referir a intersecção entre as ruas Prior do Crato, Vieira da Silva e Maria Pia. Hoje contam-se ali quatro casas de marisco e uma delas chama-se, apropriadamente, O Palácio, membro de pleno direito da real lista das melhores cervejarias de Lisboa. Aqui moram navalheiras, canilhas, percebes e outros vícios do mar, mas também uma ementa do dia bastante recomendável. 

  • Restaurantes
  • Alcântara

Existe há mais de duas décadas, mas a actual gestão, feita pelo grupo Capricciosa, resolveu renovar a decoração e a carta com a expertise do grupo José Avillez, um dos accionistas. Além de pratos internacionais, como ceviches, tártaros, boas chamuças e caris, há risoto de cogumelos e o bife à Doca de Santo de sempre. No Verão de 2021 abriu outro restaurante, latino-americano, lá dentro, o Lat.A

Publicidade
  • Restaurantes
  • Latino-americano
  • Alcântara

O Lat.A e tem um menu carregadinho de clássicos da gastronomia latino-americana, do Brasil, Chile, México, Argentina ou Peru, sempre com batuques do samba, salsa ou merengue em loop a acompanhar. Empanadas, pastéis de vento, ceviches, guacamole e tacos são alguns dos pequenos pratos para partilhar, mas tem também moqueca, picanha ou costeleta de boi na brasa. Aos fins-de-semana há feijoada à brasileira com tudo o que manda a tradição, com carne seca, entrecosto de porco, calabresa, barriga fumada, orelha fumada, arroz, feijão, couve, farofa e laranja para duas pessoas.

  • Restaurantes
  • Alcântara
  • preço 3 de 4

É um dos restaurantes da moda, onde é certo que o jantar vai acabar fora de horas e na pista de dança. E a grande vantagem é que nem é preciso sair do restaurante para isso. Abriu nas Docas, onde antes ficava o Doca Peixe, e à noite o ambiente consegue ser muito boémio. No andar de cima, com uma lareira para os dias mais frios, as mesas desaparecem para dar espaço à pista de dança. Não é de estranhar, por isso, a aposta forte nos cocktails. Mas isso não significa que a comida é deixada para trás. Pelo contrário. Na cozinha está o chef Sandro Farinho, que já passou por restaurantes como A Cevicheria ou o Feitoria. À semelhança do que acontece no Sem Vergonha, dos mesmos donos, a carta dá toda ela para ser devorada em conjunto, mesmo os pratos que aparecem sinalizados como sendo “do chef”.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Caminhadas e passeios
  • Alcântara

Retratos de povos sul-americanos e asiáticos decoram as paredes do interior do Matchamama, no Lx Factory. Sobressaem entre o verde do jardim suspenso no tecto e candeeiros de palha que nos dão a sensação de que não estamos em Lisboa. Lá fora, uma esplanada com aquecedores, descontraída, bonita e também privada, com árvores a rodearem a área. João Carreira, Bernardo Silva Carvalho e Viviane Rocha Leote são responsáveis pelo restaurante, e por este andar já tratam a restauração por tu. João e Bernardo estão à frente de outros espaços, como A Praça ou o Central da Avenida, também na LxFactory; e Viviane está ligada à Confraria e ao Nikkei. Desde Setembro que, neste Matchamama, servem pratos de várias regiões da Ásia, ao mesmo tempo que dão um salto ao Peru. 

Os melhores restaurantes em Lisboa por zona

  • Restaurantes

Moderno, tradicional e guloso. Alvalade tem de tudo um pouco, uma característica que também se aplica à oferta gastronómica do bairro. E acredite que é uma verdadeira volta ao mundo em muitos, muitos pratos. A Ásia está bem representada, em pratos oriundos do Nepal, Japão, Índia ou China, mas também Itália e, claro, Portugal que tem uma das melhores cozinhas do planeta. Mas antes de rumar a um dos bairros mais completos da cidade de Lisboa, comece por picar esta lista com os melhores restaurantes de Alvalade.

  • Restaurantes

Oeiras é terra de inúmeros prazeres, já o sabemos. Há o mar, os espaços verdes, a programação cultural, mas é mesmo à mesa que somos mais felizes. Para que também o seja, indicamos-lhe as instituições gastronómicas do concelho onde só terá de puxar da carteira uma nota azulinha para pagar o repasto. Leu bem: por menos de 20 euros, vai sair satisfeito destes restaurantes em Oeiras.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade