A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Tasco Force
Mariana Valle Lima

Os melhores restaurantes em Alvalade

Da Ásia a Itália, passando por Portugal, faça uma viagem pelos melhores restaurantes de Alvalade.

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Moderno, tradicional e guloso. Alvalade tem de tudo um pouco, uma característica que também se aplica à oferta gastronómica do bairro. E acredite que é uma verdadeira volta ao mundo em muitos, muitos pratos. A Ásia está bem representada, em pratos oriundos do Nepal, Japão, Índia ou China, mas também Itália e, claro, Portugal que tem uma das melhores cozinhas do planeta. Mas antes de rumar a um dos bairros mais completos da cidade de Lisboa, comece por picar esta lista com os melhores restaurantes de Alvalade. Bom apetite e boa viagem.

Recomendado: Os melhores restaurantes de petiscos em Lisboa

Os 18 melhores restaurantes em Alvalade

  • Restaurantes
  • Alvalade

Uma vez em Alvalade pode ir a Paredes de Coura almoçar. A viagem a norte é possível n’Os Courenses (Rua José Duro, 27D), um popular restaurante de origens minhotas virado para um pequeno jardim. Aqui os clientes podem sentar-se a provar iguarias como filetes de pescada e filetes de choco com arroz de lingueirão (também pode ser com arroz de feijão, como preferir) e rapar o tacho. O cozido à portuguesa sai às quinta-feiras e sábados e há sempre pratos do dia, que podem passar por um cabrito assado no forno ou filetes de polvo. A comida é um chamariz, mas Manuel Braga, um dos sócios, sublinha que outro segredo do sucesso do restaurante são os funcionários que têm muitos anos de casa e “conhecem toda a gente”, diz, referindo-se à clientela habitual. É um negócio familiar, porque o outro sócio é o irmão José Braga, mas “até o pessoal faz parte da família”.

  • Restaurantes
  • Padarias
  • Alvalade

Quando em 2018 o Isco abriu em Alvalade e a apresentámos como uma padaria de pão artesanal e vinho, mal sabíamos que tantas vezes lá iríamos parar, fosse para o pequeno-almoço ou para o almoçar, ou até para petiscar e jantar. Natalie Castro, mão forte da casa, prepara o menu com os produtos que ali lhe chegam e consegue sempre surpreender – já fez uma versão "isqueira" da francesinha, pratos de Nova Orleães ou Lyon e até cabidelas. Volta e meia convida outros cozinheiros para pequenos e rápidos pop-ups’s sempre a sair boa comida e sempre com pão à mistura. Diariamente há sopas do dia, sandes e charcutaria caseira.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Português
  • Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

A cozinha tradicional é cumprida à risca para estes lados, um templo de boa comida com lugar cativo em Alvalade. Há que entrar neste restaurante, criado por pessoas vindas de Paredes de Coura, com a ideia de que vai sair satisfeito e com uma barrigada de uma óptima massada de peixe, do farto polvo à lagareiro ou de bons grelhados – quer de carne, quer de peixe. Tem o selo de restaurante familiar, para ir junto com avós e netos, mas recomenda-se marcar mesa, sobretudo ao fim-de-semana.

  • Restaurantes
  • Asiático contemporâneo
  • Alvalade
  • preço 3 de 4

Este pan-asiático leva-o numa viagem por vários países do Oriente sem ter de sair de Alvalade. A carta é extensa e tem propostas do Japão, Índia, China, Vietname, Coreia ou Tailândia e com direito a cerimónias de chá. O ambiente é o de uma típica taberna asiática, com madeira tosca e candeeiros que são redes de pesca. João Francisco Duarte é, desde Junho do ano passado, o chef responsável por trazer para mesa novidades um hot pot de berbigão suado em saké com escabeche de cebola roxa e coentros ou um usuzukuri de pregado com ponzu, trufa e caju. No piso debaixo, está o bar com cocktails de autor e quatro salas privadas, num ambiente de luxo decadente, com mesas redondas e muitos detalhes nas paredes em seda, veludo ou bambu, para uma experiência mais intimista.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Alvalade

O nome diz-lhe muito sobre esta casa de boa comida portuguesa: a salsa vem de Trás-os-Montes, os coentros do Alentejo. E nem a separação da dupla que o abriu, José Duarte e Belarmino Jesus, fez com que essas raízes se alterassem. Depois de se perder com entradinhas, dos ovos com túberas à canja de tordos, tome atenção aos pratos do dia, que tanto podem consagrar umas mãozinhas de vitela como a perdiz com lombarda. As especialidades da casa são os pratos de caça e os de bacalhau, do confitado com grão ao bacalhau com natas e coentros.

  • Restaurantes
  • Chinês
  • Alvalade

É o chinês mais português da cidade. A dona, filha do fundador, Dihuan Lin, fez cá a escola e responde sem sotaque às questões mais técnicas. Acresce que, em vez do mobiliário de plástico, há madeiras escuras, prateleiras com boas garrafas de vinho e atoalhados de pano – um ambiente confortável e sofisticado mais próximo do bistrô do que da sala-fonte-luminosa-brilhante-fluorescente. De notar, contudo, que a mesa grande redonda, com placa giratória ao centro – uma das grandes invenções gastronómicas que os chineses nos deram – não foi descartada e proporciona bons momentos a famílias alargadas.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Português
  • Alvalade
  • preço 2 de 4

Com um cálice de conhaque gigante e cachecóis do Benfica e fotografias do Estádio da Luz, fica claro que, apesar do nome do bairro, o clube do Sr. Carlos não é o Sporting. Comprou a casa há  anos aos pais de Paulo Bento e conserva as fotografias do jogador nas paredes. Introduziu o arroz de moelas com gambas que tinha comido uma vez num restaurante e replicou em casa e deu fama aos caracóis, no tempo deles – é ver nas toalhas de papel na montra se há destes bichos. Remate-se com o bolo folhado com doce de ovos legítimo do Prontinho, também em Alvalade.

  • Restaurantes
  • Tailandês
  • Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

Os portugueses parecem gostar mais da Tailândia, do que a Tailândia dos portugueses. Afinal, continua a ser dificílimo encontrar um bom restaurante do género em Lisboa. Este mora em Alvalade e da etnia à cozinha, tudo o mete num voo com destino a Banguecoque. Seja mais corajoso que o comum dos mortais na escolha e vá além do pad thai, em pratos como os pastéis de peixe com especiarias, a sopa tom yan goong e o pato assado com caril vermelho.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Italiano
  • Alvalade
  • preço 2 de 4

Esta é a segunda casa do Pasta Non Basta, que se estreou na Avenida Elias Garcia no início de 2017. É um misto de osteria, o equivalente a uma casa de petiscos italiana com pratos para dividir, com pizzeria, onde o modelo seguido é o das pizzas de massa fina, feitas com farinha 00 em forno de lenha, e restaurante de pastas, risotos e pratos de carne. O Pasta Non Basta de Alvalade tem ainda a vantagem de ter uma esplanada e uma vertente de bar mais vincada.

  • Restaurantes
  • Português
  • Alvalade

O Restaurante Mercado de Alvalade fica dentro do mercado, escondido, do lado oposto à entrada principal, na Avenida Rio de Janeiro. Para o encontrarmos, temos de ir à sua procura. Há uma porta directa a partir do mercado, mas está sempre encostada; e, do lado da rua, é preciso subir umas escadas para o encontrarmos. Mesas bem postas e atoalhadas, copos de vinho correctos e, mais do que tudo, aquela carta típica de restaurante de peixe como deve ser. Uma dúzia de “Sugestões” do dia, onde encontramos barriga de atum grelhada, lulas da costa, pregado frito com arroz de tomate, carapauzinhos, lulinhas em azeite e alho. E há depois uma secção de “Peixes”, com lagareiros, ovas de pescada, filetes de polvo com arroz do mesmo ou peixes para grelhar ao quilo, como robalos grandes, garoupa e salmonete, tudo passível de ser escrutinado na montra de peixe a um canto da sala, tudo consistentemente hirto e brilhante como raramente se vê em Lisboa e tudo acompanhado com legumes de época, seja grelos, seja feijão verde em juliana fina (e que diferença faz).

Publicidade
Everest Montanha Alvalade
  • Restaurantes
  • Indiano
  • Alvalade

O Everest Montanha, além de ter roubado o nome à montanha mais famosa, ainda deu o mesmo nome a outros tantos irmãos em Lisboa, neste caso em Alvalade. Este nepalês não desilude na hora de pedir o que de melhor se come para aqueles lados, como é o caso do chicken vindalu, peito de frango com batatas, piri piri e especiarias; ou do saag paneer, um caril de espinafres e queijo fresco da casa e especiarias, para empurrar com o pão paratha a servir de talher. Se não quiser cuspir labaredas é melhor avisar os empregados sobre a intensidade do picante que deseja.

  • Restaurantes
  • Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

Em casa, a mesa serviu sempre para juntar os amigos, uma premissa que Ana Nabais e João Blanco quiseram levar para fora de portas. E assim nasceu o Sem Cerimónias, um espaço sem pretensões onde os petiscos voltam a servir de mote para reunir pessoas. A carta vai da carne ao peixe, passando por algumas especialidades de autor. O pão do João é a coqueluche, uma invenção feita com massa caseira que é depois recheada com bacon, cogumelos, pesto, queijo e tomate.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Pizza
  • Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

A discussão da Melhor Pizzaria de Lisboa é cansativa, mas este é um dos nomes que surge habitualmente que os ânimos se exaltam. A Lucca tem alguma da melhor comida redonda da cidade e os clientes têm a possibilidade de pedir duas pizzas em uma. Isto é, duas variedades na mesma circunferência, para partilhar. A Lucca também aposta noutros pratos da gastronomia italiana, entre massas, saladas e carnes.

  • Restaurantes
  • Português
  • Alvalade
  • preço 2 de 4

Da cozinha desta casa virada para o quartel de bombeiros de Alvalade estão sempre a sair pratos com boa comida do Minho, dos rojões e do bacalhau à minhota à lampreia, por encomenda quando é tempo dela. Na cozinha está a D. Idalina e é ela quem, juntamente com mais duas cozinheiras, leva para a frente esta Adega nos dias em que está cheia. Entre as duas salas e a esplanada cabem umas 45 pessoas – chegue cedo que não aceitam reservas.

 

Publicidade
  • Restaurantes
  • Alvalade

Depois de ter mudado de porta na Lx Factory, o restaurante funcional abriu em Alvalade com um terraço interior invejável e uma horta. Se em Alcântara é o público estrangeiro que ao descobrir a Lx Factory acaba por passar por ali, em Alvalade há uma vida de bairro que parece ser feita à medida do Therapist. Também por isso aqui há novidades como uma zona de grab & go com sandes e sumos prontos a serem levados e uma pequena zona de mercearia a granel, onde é possível comprar alguns dos ingredientes usados diariamente na cozinha como os blends originais ou as granolas doces e salgadas. O menu funcional é o mesmo da casa em Alcântara.

  • Restaurantes
  • Português
  • Alvalade

O Tasco Force fica mesmo junto ao bulício comercial da Avenida da Igreja, mas mal lá entramos é como se estivéssemos no campo, um jardim de encantar com mesas de madeira, relva, passarinhos e limoeiros, muitos limoeiros. A carta tem vários clichés da cozinha de petisco de tasca, do pica-pau do lombo ao bitoque, das tábuas de queijo ao cheesecake de maçã. "São bons os petiscos, com matéria-prima acima da média e cozinheiro com mão nos fogões", garante Alfredo Lacerda.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Alvalade

Neste restaurante típico de Alvalade não se serve apenas um bom prego. Servem-se três, de acordo com o gosto e as possibilidades de cada um. Há um prego no pão, um prego especial no pão e um prego do lombo no pão. Muda o corte e a qualidade da corte da carne, mas mantém-se o sabor a alho e sal. É o que se quer. Saiba também que tem diante de si um dos croquetes mais competentes da cidade e que, na época devida, a lampreia do Rio Minho com arroz é uma aposta forte na carta. Uma dose, para dois, tem entre oito a dez pedaços, mas também há meias doses. Se pedir com antecedência também a fazem à bordalesa.

  • Restaurantes
  • Alvalade
  • preço 1 de 4

O ramen – ou melhor, os noodles chineses – são a estrela da casa. Rijinha a massa, o caldo cheio de aromas a alho e ossos, pedaços de carne tenra, mas com nervo a desfazer-se, couve pak choi. Mas há outros pratos que vale a pena provar, de tal forma que foi na pandemia que a casa começou a ganhar nome com as encomendas para casa. A vertente da comida para fora é tão forte que estão sempre alinhados sobre as mesas vários saquinhos da Uber, prontos a encher de chop soey – mas também de pato assado, galinha com amendoins, massa de arroz com gambas (bem boa), legumes salteados com shitake (impecáveis) ou arroz chao chao com gambas (guloso).

Mais que comer

  • Restaurantes

Se já deu por si no Oceanário a olhar para um tanque e a pensar “este aqui ia bem com umas batatinhas cozidas”, então se calhar está na altura de marcar mesa num restaurante em que a especialidade seja o peixe e de antecipar, ou prolongar, a sensação de Verão e maresia o ano inteiro (na época delas, é sentar-se na esplanada e aumentar os níveis de vitamina D). A Time Out juntou-se ao cardume dos piscívoros e diz-lhe quais são os melhores restaurantes de peixe em Lisboa e nos arredores. Garantimos que aqui é tudo fino e fresco, sem espinhas, claro.

  • Restaurantes

Depois de uma pausa no crescimento, culpa de quem nós sabemos e não deve ser aqui nomeado, a restauração volta a florescer na capital. E é mesmo caso para dizer: venham eles. Queremos toda a comida do mundo, chefs a abrir restaurantes de fine dining ou conceitos mais democráticos com caldinhos, snacks, japoneses a ensinarem-nos que esta gastronomia não é só peixe cru e sushi ou boa comida portuguesa. Ou até comida que nos trata da alma e traz bom astral. Queremos ficar sentados no restaurante a conversar e apreciar as vistas ou pegar e levar para casa. Fizemos-lhe um guia com os melhores novos restaurantes em Lisboa abertos nos últimos meses. Não se sinta desactualizado e marque já mesa – é só escolher a gastronomia que mais lhe apetece hoje.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade