Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os 15 melhores restaurantes vegan em Lisboa

Os 15 melhores restaurantes vegan em Lisboa

Aqui animais não entram. Nem ovos, nem manteiga, nem leite. Estes são os melhores restaurantes vegan em Lisboa

Hambúrger do Veganapati
Inês Félix
Publicidade

Quanto mais restaurantes vegan aparecem em Lisboa, mais criativa fica esta dieta restritiva. Não há ovos, leite ou manteigas de origem animal – e naturalmente nem vale a pena falar em carne ou peixe – mas estes menus não são um interminável desfile de saladas. Estes são os melhores restaurantes vegan em Lisboa. Animais entram, mas só pela trela. Descubra o que comer nestes 15 espaços, mesmo que continue a ser um carnívoro inveterado. Entrada, prato principal e sobremesa. O difícil vai ser resistir a tantos pratos bons e apetecíveis. Carne? Peixe? É que nem se vai lembrar disso.

Recomendado: As marcas sustentáveis que tem de conhecer

Os 15 melhores restaurantes vegan em Lisboa

1
Veganapati
Inês Félix
Restaurantes, Vegetariano

Veganapati

icon-location-pin Baixa Pombalina

O nome Veganapati junta a palavra vegan ao Deus do intelecto e da sabedoria, Ganapati (também conhecido como Ganesha), explica Ricardo Salsa, chef português 98% vegan e vegetariano há já 15 anos. O restaurante, vegan com inspiração na comida indiana, abriu em Outubro de 2018 e chegou a Portugal através de um grupo internacional, dono de uma cadeia de restaurantes indianos. Manish é o gerente do restaurante e o responsável por criar novos espaços para o grupo em diferentes cidades – o próximo Veganapati vai abrir na ilha da Madeira. Prove o guacamole com adai crocante (4,5€), o brownie (9€), o hambúrguer de feijão preto e tofu com maionese de lima e coentros com cebola caramelizada e abacate ou o bife de seitan bio (12,5€). Para finalizar delicie-se com a panna cotta de limão e cardamomo (4,5€). 

2
Legumi
Duarte Drago
Restaurantes

Legumi

icon-location-pin Grande Lisboa

Leonardo Lattari, sushiman, tinha um restaurante japonês tradicional em Lisboa, o Takumi Lounge. Um dia a filha pediu-lhe para parar de “matar peixe” para fazer as pecinhas, recusou-se a comer e Leonardo, que já estava no processo de se tornar vegetariano, começou a fazer rolinhos com legumes e plantas. O arroz de sushi e a alga é exactamente igual, mas não há salmão, atum ou peixe branco no recheio. “Parecia que estava a entrar na loja japonesa pela primeira vez, li todos os rótulos”, conta. Fez uns quantos jantares pop-up de sushi vegan na Mercearia do Abade, na Alameda, e correu tão bem que no início de Fevereiro abriu um restaurante focado em sushi vegan na Graça. Usa essencialmente legumes, como os espargos, pepinos, cogumelos, algas ou feijão. “Já cá vieram pessoas que não comiam sushi há anos e que se emocionaram com os sabores”, diz, explicando que “voltou à escola” para embarcar nesta aventura. Não ter o sashimi, as fatias finas de peixe, foi o mais difícil, mas o sashimi da casa aqui é um tofu especial. Há menu all you can eat aos almoços (18,90€) e jantares (22,90€), com três entradas, um combinado de sushi e as peças que quiser pedir de seguida. Para sobremesa tem também três gelados vegan e uma parceria com um pasteleiro para tartes e bolos caseiros, diferentes todas as semanas.

Publicidade
3
Quintal de Santo Amaro
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Quintal de Santo Amaro

icon-location-pin Lisboa

Larissa Abbud come carne, mas chegou do Rio de Janeiro e abriu o Quintal de Santo Amaro com uma lunchbox diária (8€, anunciada nas redes sociais todos os dias) e outras delícias vegan – das tostas com bonitas flores comestíveis aos bolos e tartes cruas e pratos com alguma inspiração brasileira. Toda a comida é servida em embalagens biodegradáveis para levar (apesar de pequenino, o espaço também tem umas quantas mesas), e Larissa tenta que os produtos sejam biológicos, sempre em busca de legumes e verduras da época. Ao sábado tem brunch.

4
Ao 26 vegan food project
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Vegetariano

Ao 26 – Vegan Food Project

icon-location-pin Chiado

Como o nome indica, o Ao 26 é um restaurante 100% vegan, onde não entra nada de origem animal. O que não quer dizer que não se degustem "bifanas", como a sublime, com seitan marinado com tomilho e mostarda, em pão bolo do caco, "queijo" cheddar e cogumelos salteados (8€) ou apenas com o seitan marinado em bolo do caco (5€). Há croque monsieur (7€), três opções de hambúrgueres e pratos do dia sempre a rodar.  Guarde espaço para as sobremesas, criadas pela fundadora Catarina Gonçalves, que entretanto abriu O Botanista, responsável por ideias tão boas quanto a tarte de oreo e manteiga de amendoim (3,80€). 

Publicidade
5
eight the health lounge
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Vegano

Eight – The Health Lounge

icon-location-pin Santa Maria Maior

Neste lounge 100% vegan, com tons crus e design nórdico, o menu está carregadinho de shots de bem-estar (medidas pequenas com todos os nutrientes e sabores concentrados, 1,50€), batidos pretos cheios de amoras e carvão activado ou saladas equilibradas (com proteínas vegetais em leguminosas ou em tofu, muitos verdes, cereais integrais que as tornam saciantes, e molhos feitos à medida – só com óleo de coco ou azeite), sopas e pequenos snacks doces sem açúcar ou mel adicionados: só fruta fresca.

6
The Green Affair
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Vegano

The Green Affair

icon-location-pin Avenidas Novas

O restaurante é 100% vegetal, nada é de origem animal e a ideia é apresentar pratos inteligentes, inspirados em cozinhas internacionais, com um empratamento apelativo e num ambiente algo sofisticado – os tons verde escuro e dourado predominam neste espaço nas Avenidas Novas. Na carta há pratos como o bife de seitan com molho de pimenta (10,50€), com o seitan feito de raíz, o caril katsu com panados de abóbora, courgette e tofu (8,50€) ou o arroz malandrinho de tomate com tofu, cogumelos e salicórnia (8,95€). Na hora da sobremesa, tem cinco à escolha, como o crumble de maçã verde e pêra rocha com crème fraîche de tomilho-limão (3,95€) ou o “cheesecake” crudívero de caju, citrinos e romã (4,95€). De segunda a sexta há menu de almoço com entrada, prato e bebida a 9,50€.

Publicidade
7
Esteva - Feijões, amêndoa e folha de ostra
Manuel Manso
Restaurantes, Cafeteria

Esteva

icon-location-pin Campo de Ourique

Este espaço é um dois em um: pode comer petiscos vegan e comprar cactos e suculentas para decorar a casa. Camila Nascimento, dona da Vintage Cactus, chamou a amiga Teresa, vegan há 13 anos, e juntas pensaram no conceito de pequenos-almoços, almoços e jantares, refeições sempre ligeiras, sem nada de origem animal e assente numa cozinha simples e sazonal. No pequeno balcão da cozinha há sempre dois bolos caseiros à fatia, feitos com farinha de espelta. Quando a Time Out foi conhecer o espaço, havia uns feijões com amêndoa e folha de ostra, com um caldo ao estilo ceviche, sem o peixe mas com um forte sabor e aroma a mar (7€), um prato feito apenas com raízes, com várias texturas de cebola (em puré, crocante, fumada) e a sandes Esteva, que recria uma sandes de chouriço, com um recheio de beterraba, cenoura e cebola caramelizada, tudo fumado (6€). As doses são pequenas, para ir experimentando e aprovando.

8
O Botanista - French toast
Duarte Drago
Restaurantes, Vegano

O Botanista

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

O Botanista tem um piso térreo muito verde, carregadinho de plantas e um menu vegan para todas as horas do dia, pensado por Catarina Gonçalves, do Ao 26 Vegan Food Project, e André Baptista, responsável pela parte de cozinha. São “coisas boas, que te alimentam e te sabem bem, e por isso esqueceste-te que não têm carne, peixe ou ovos”, explicam, reforçando que querem enaltecer o sabor de ingrediente e não fazer muitas misturas. Há opções de pequeno-almoço (como a french toast com framboesas, 6€), almoço e lanche (de quinta a sábado também há jantares), tudo feito com produtos frescos. E, para acabar de vez com os preconceitos de que os veganos não bebem álcool, há vários cocktails, dos mais clássicos aos “avant garden”, sangrias botânicas e vinhos biológicos de pequenos produtores.

Publicidade
9
My mother's daughters
Fotografia: Francisco Santos
Restaurantes, Vegano

My Mother's Daughters

icon-location-pin São Sebastião

No My Mother’s Daughters, o café de três filhas e sua mãe, no Largo de São Sebastião, comemse pratos sem produtos de origem animal, tendencialmente biológicos, com superalimentos à mistura e muita atenção ao desperdício – há quase sempre na carta uma entrada que se vende pelo nome “desperdício zero”. Funciona assim: o que sobrou do prato do dia de ontem é a entrada de hoje. Há bowls fotogénicas, entradas como o hummus com palitos vegetais e crackers de caju, e pratos do dia que tanto pode ser uma lasanha de cogumelos como uma tarte de abóbora.

10
Damn Doughnuts
©Inês Félix

Damn Doughnuts

Estes donuts são bonitos e gulosos, a massa é fresca e saborosa e há uma dezena de coberturas e recheios diferentes. Mas a história não acaba aqui: não têm produtos de origem animal ou conservantes e têm uma dose mínima de açúcar na massa (dependendo de cada cobertura e recheio). O cozinheiro é Nuno Mota, que depois de uma longa e frustrante procura por donuts vegan decidiu pôr as mãos na massa e fazer os seus. A Damn Doughnuts tem cerca de 11 variedades, entre simples, com cobertura ou recheados. Há o Mia Wallace, uma rosca envolvida em açúcar granulado branco e canela, o Glacé au citron, com um topping simples de glacé de limão, o White Walker, com cobertura de chocolate branco com avelã, e o Jackie Brown, com chocolate negro e flor de sal. Recheados são o Loco en el Coco, com cobertura de coco ralado e recheio de creme de leite de coco, ou o Chúpame los Huevos, com um recheio de doce de ovos, naturalmente sem ovos. Cada um custa 3€. Ainda não há uma loja física da Damn Doughnuts e vai precisar de estar atento às redes sociais (@damndoughnuts) – é lá que são anunciadas as próximas vendas e pontos de entrega. Nuno indica um dia e hora e é fazer a sua encomenda – atenção que devem ser comidos no máximo em 12 horas para garantir a qualidade e frescura original.

Publicidade
11
Veganeats
Duarte Drago
Restaurantes, Vegano

Veganeats

icon-location-pin Lisboa

Esta pequena cafetaria em Arroios serve bolos sem ingredientes de origem animal – peça o bolo de chocolate com amendoim, o único que repete todos os dias, caseirinho e húmido q.b. (1,50€ a fatia). Os restantes vão variando, pela mão de Ana Filipa Tereso, a cozinheira e dona do espaço. Serve também refeições ligeiras, começando pela sopa todos os dias diferente (1,30€) ou a quiche.

12
vegana burguers
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Hambúrgueres

Vegana Burgers

icon-location-pin Lisboa

O Vegana Burgers foi o primeiro restaurante de fast food vegan, com hambúrgueres de beterraba, grão e batata doce, caril e grão, feijão e cogumelos ou lentilhas e quinoa, servidos dentro de pães diferentes e coloridos. Há vários acompanhamentos, como a batata doce frita sem óleo (com maionese vegan), cuscuz ou salada, e também pode escolher comê-lo no prato.

Publicidade
13
Moko
©Inês Félix
Restaurantes, Vegetariano

Moko

icon-location-pin Lisboa

É uma pastelaria vegan que nos dá tudo a que temos direito – café, croissants de frutos vermelhos, pãozinho com queijo e pão de beterraba – mas sem uma única molécula animal. O dono é Renato Lai, taiwanês que chegou a Lisboa depois de passar pelo Brasil. Ao almoço, serve sopa de noodles (2,90€), dumplings vegan (2,80€), tostas (2€), hambúrgueres (3,50€-4€) e sumos naturais (1,70€-2€). Também pode levar os seus congelados vegan daqui.

14
Las Vegan
Manuel Manso
Restaurantes, Vegetariano

Las Vegan

icon-location-pin Lisboa

Ricardo Macedo apostou as fichas todas em Las Vegan e abriu um restaurante – não é gralha, este é mesmo o nome do espaço em Arroios, com uma ementa de comidas e bebidas completamente vegan e uma série de piadas e trocadilhos inteligentes. Tem saladas, sandes, como a Sand’época, com ricota de amêndoa, espinafres, nozes, fruta da época e molho de agave com limão em focaccia, hambúrgueres como o Gerard Vurger, os Send Nuddles, uns noodles de curgete com tomate seco, azeitonas pretas e nozes com pesto de kale. Uma das últimas adições ao menu foi o cachorro vegan, o Clark’ente. Para beber, prove a Lemon Mate, uma limonada orgânica com mate. E o que acontece no Las Vegan não tem de ficar necessariamente no Las Vegan: pode sempre pedir para levar.

Publicidade
15
Restaurantes

Jardim das Cerejas

icon-location-pin Grande Lisboa

Todos os dias há buffet vegan aos almoços (7,50€) e jantares (9,50€) no Jardim das Cerejas, que além do restaurante do Chiado, abriu agora um segundo em Picoas (Rua Andrade Corvo, 7). O banquete pode incluir lasanha com recheio de beringela, couve-flor e carne de soja, bróculos com tofu biológico, caril de grão de bico com curgete, cenoura, batata doce e molho de coco e manga ou umas almôndegas de legumes com molho de maracujá. A estes pratos, que todos os dias mudam, junta-se sempre o arroz basmati com nozes e sultanas, paparis, pizza, pakoras e saladas.

Lisboa saudável

Restaurantes

Os melhores restaurantes saudáveis em Lisboa

Saudável não é sinónimo de verde, light, vegetariano ou comida para passarinhos. E também não equivale a passar fome. Corremos a cidade para lhe trazer esta barrigada de restaurantes saudáveis em Lisboa. Bom apetite e muita saudinha.

Restaurantes

Os melhores restaurantes vegetarianos em Lisboa

Ter de comer as verduras todas até ao fim com sacrifício é coisa da infância e nos melhores restaurantes vegetarianos em Lisboa é também coisa do passado. Não vai encontrar aqui vegetais cozidos sem sal, tofu grelhado sem graça ou aquela omelete de última hora servida com salada mista para quem não come carne nem peixe. Se não acredita, explore esta lista com os 13 melhores restaurantes vegetarianos da cidade capazes de tornar as couves de bruxelas em verdadeiras estrelas de passerelle – e que, ainda por cima, lhe vão fazer bem à saudinha.

Publicidade