Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os melhores sítios para comer caracóis em Lisboa
Pomar de Alvalade - Caracois
Fotografia: Ana Luzia

Os melhores sítios para comer caracóis em Lisboa

Fizemos como o caracol, pusemos as antenas ao sol para lhe dizer quais os melhores sítios para comer caracóis em Lisboa

Por Inês Garcia e Luís Filipe Rodrigues
Publicidade

A época do petisco rastejante começa oficialmente em Maio, o primeiro mês sem "r" – dizem os especialistas que, apesar de não ser regra absoluta, é nestes meses mais quentes e soalheiros que o caracol é melhor, porque com o chuva o bicho começa a meter-se dentro da terra. Aproveite as esplanadas de cafés e cervejarias para praticar o novo normal com cuidados: sempre sem ajuntamentos, sempre com a distância certa (nos restaurantes a distância entre mesas deve ser de dois metros e deve usar máscara para se movimentar dentro do espaço). Estes sítios já reabriram e são dos melhores para comer caracóis em Lisboa.

Recomendado: Marisco ao domicílio

Sítios para comer caracóis em Lisboa

Casa dos Caracóis

Restaurantes Campolide

Caixa pequena 6€ C/Médias 10€ C/Grandes 15€ Balde pequeno 25€ Balde grande 38€

A loja de Campolide é um dos 11 estabelecimentos do grupo Francisconde, que todos os anos distribui mais de duas mil toneladas destes moluscos por todo o país e não só – são eles que abastecem muitas cervejarias alfacinhas, por exemplo. Aqui não há mesas, nem balcões onde comer os animais, apenas serviço de take-away e a possibilidade comprar os caracóis ainda vivos ou já cozinhados. Também há caracoletas assadas por 11€. E sangrias: branca, tinta, espumante, (5,50€ a 12€), de frutos vermelhos (7,50€ a 14,50€) ou de maracujá dos Açores (6,50€ a 16,50€).

Cervejaria Boa Esperança

Restaurantes Frutos do mar Benfica/Monsanto

Travessa 8€

Mesmo ao lado do mais famoso Edmundo, em Benfica, encontra-se esta Boa Esperança, um pequeno espaço algures entre a tasca e a marisqueira que, nos meses sem "r", serve alguns dos melhores caracóis de Benfica. Também pode apostar nos mariscos e nos restantes petiscos sem medos, desde que guarde um espaço na barriga para o prego especial da casa. Têm serviço de take-away.

Publicidade

Coreto do Bairro

Restaurantes Português Carnide/Colégio Militar

Dose 5€

No Coreto do Bairro, aclamado pelas tirinhas de choco frito, a esplanada tem espaço para estar à vontade, sem precisar de espreitar o prato do vizinho – mas quando passam as travessas de inox cheias de caracóis para a mesa do lado faz com que pense duas vezes no petisco que vai pedir. É isso mesmo, atire-se a uma destas enquanto é tempo deles, com uma cerveja fresquinha e um cesto de pão torrado para acompanhar. A dose fica-lhe pelo módica quantia de 5€, vem bem servida e inundada naquela molhanga onde aconselhamos molhar o pão até secar a travessa.

O Filho do Menino Júlio dos Caracóis

Restaurantes Cervejarias Marvila

Prato 5€ 

Poucos caracóis em Lisboa têm tanta fama como os do Menino Júlio. Perdão, de O Filho do Menino Júlio. E, por isso, é sempre um regresso ansiado – ainda mais este ano. As portas reabriram dia 20 de Maio e os bichos já começaram a ter saída. Também há caracoletas assadas (12€ o prato) e petiscos como o pica-pau de vitela ou porco, moelas estufadas, gamba cozida ou amêijoas. Há desinfectante espalhado pela sala e é obrigatório o uso de máscara dentro do estabelecimento, até chegar altura de levar o petisco à boca.

Publicidade

O Lutador

Restaurantes Português Alcântara

Dose 7€ 

Quando se pergunta ao dono desta tasquinha em Alcântara qual é o segredo dos seus caracóis, ele responde, confiançudo, com um "não têm truque, são mesmo bons". Mais nada. São a especialidade da casa, mas também há caracoletas assadas (9€). No Lutador encontra ainda bons pratos do dia de cozinha tradicional e outros petiscos como as navalheiras ou as amêijoas à Bulhão Pato. O bife à café com batatas fritas é outra opção a ter em conta.

O Palácio

Restaurantes Frutos do mar Estrela/Lapa/Santos

Travessa 6€ Prato 4€

É uma instituição alcantarense e uma das cervejarias que vale a pena conhecer na cidade, com marisco fresco todo o ano, bons pregos e melhores bifes. E, como não podia deixar de ser, entre Maio e Agosto, é domicílio de bons moluscos terrestres – o prato custa 4€, a travessa não é mais de 6€; a dose de caracoletas assadas vale 9,50€.

Publicidade

Pomar de Alvalade

Restaurantes Português Alvalade

Travessa 7,5€ 

Não deve haver ninguém em Alvalade que não conheça o antigo restaurante dos pais de Paulo Bento, cujas paredes continuam decoradas com fotografias do outrora jogador e actual treinador. O arroz de moelas com gambas é um dos pratos fortes da ementa, e os petiscos são outra especialidade. Incluindo as caracoletas assadas (9,50€), com um molho guloso, e os caracóis. Tem take-away.

A Tabuense

Restaurantes Cervejarias Alvalade

Travessa 7€

Os rastejantes da Tabuense também se encontram entre os mais afamados de Alvalade e arredores. Há quem diga até que são os melhores. A época do bicho estende-se até ao fim do Verão e uma travessa custa 7€. Não há cá pires nem meias-doses, mas há outros petiscos que merecem a atenção dos comensais, como as caracoletas assadas e as moelas.

Publicidade

O Velho Eurico

Restaurantes Português Castelo de São Jorge

Meia dose 5€

A tasca da Mouraria, renovada por José Paulo Rocha e Fábio Algarvio, reabriu dois meses depois com a sua cozinha tradicional portuguesa mas acrescentaram pratos do dia – por lá vão passando o rancho à minhota (8€) ou os chocos grelhados (9€) – e um menu de petiscos, onde brilham os caracóis e as moelas. Têm esplanada e convém reservar se quiser voltar aos hábitos pré-confinamento, mas também pode pedir para levar. 

Outros petiscos

Paredão do estoril
Fotografia: Manuel Manso

Ponha-se à fresca: experimente treinar ao ar livre em Lisboa

Coisas para fazer

O treino ao ar livre e em grupo deixou ser uma moda para passar a ser parte do cenário lisboeta. Depois de ler as nossas propostas, se vir uma grupeta à beira-rio ou gente a subir e descer bancos de jardim, já sabe de onde vêm. Praticar exercício físico fora de quatro paredes pode ser a solução perfeita para tempos estranhos como estes que vivemos. À beira-mar ou tirando partido dos altos e baixos de Lisboa (e de outras geografias da Área Metropolitana), conheça estes grupos para treinar ao ar livre em Lisboa, para suar sozinho ou em grupo (grupos controlados, atenção).

jardim da estrela
David Clifford

Os melhores sítios para fazer piqueniques em Lisboa

Coisas para fazer Eventos alimentares

Sabe onde piquenicar em Lisboa? É a forma ideal de fugir da cidade sem chegar a sair dela. É pegar, meter na cesta e estender a toalha nesses hectares relvados jardins fora. Há verdadeiros tesourinhos que vai querer conhecer, sobretudo agora que está oficialmente aberta a época do bom tempo, os raios de sol já queimam e a vontade de sair de casa é mais que muita, ainda que cada saída deva ser feita com a devida prudência. Se não é adepto de esplanadas cheias de gente, pode optar pelos espaços verdes e atirar-se a um lanchinho com a família ou entre amigos.

Publicidade
Man wearing a mask
Photograph: Shutterstock

Dez mandamentos da nova "normalidade"

Coisas para fazer

O chamado desconfinamento foi o grito do Ipiranga para muitos portugueses. Por outro lado, há quem ainda hesite em voltar ao normal, à rua, às lojas, às praias e a tudo o que implique não poder encomendar para casa. Seja qual for o caso, é ainda preciso alguma cautela na sua nova apresentação à sociedade. O pior parece já ter passado e agora não vamos estragar tudo. Por isso, pelo menos nos próximos tempos, é preciso abraçar uma nova forma de estar. Metemos a mão na consciência e redigimos os 10 mandamentos para a nova “normalidade”. Quem não cumprir é um ovo podre. 

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade