Os melhores sítios para comer ostras em Lisboa

O Dia Mundial da Ostra é 5 de Agosto, mas é bivalve para se comer o Verão inteiro nestes sítios para comer ostras em Lisboa.
Fotografia: Arlindo Camacho Ostras com kimuchi e esferificações de lima
Publicidade

Todo o planeta celebra o Dia Mundial da Ostra a 5 de Agosto, só os Estados Unidos mostram emancipação e celebram o Dia Nacional da Ostra. Geopolítica à parte, a ostra portuguesa já foi uma importante fonte de rendimento em Lisboa, no Estuário do Tejo, até aos anos 1970, quando em França, para onde eram exportadas, eram conhecidas como les portugaises. Os níveis de poluição do rio aumentaram no final do século e as ostras nunca mais voltaram. Hoje há programas para a recuperação desta espécie particular no Estuário do Sado.

Até haver novas da ostra portuguesa, contentemo-nos com a ostra do Pacífico, ou giga, a que mais é produzida nas rias Formosa, de Alvor, no rio Mira, no Alvor. Para comer ostras em Lisboa não tem de acordar às quatro da manhã e meter os pés na água, basta ir a um destes restaurantes, uns clássicos, outros novos, que vão além do centro de Lisboa.

Recomendado: Os melhores restaurantes de praia

Os melhores sítios para comer ostras em Lisboa

restaurante pesca de diogo noronha
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Haute cuisine

Pesca

icon-location-pin Princípe Real

Diogo Noronha foi à Pesca para fazer uma ementa 90% (palavras do próprio) feita de peixe e marisco, mas onde os vegetais também importam, em acompanhamentos bem trabalhados. Mas à entrada está o barman Fernão Gonçalves, que faz grandes cocktails para provar com ostras, ao natural, com pérolas de mirin, água de pepino e limão confit ou com foie gras e beterraba. 

Preço: a partir de 3€

Restaurantes

Sea Me

icon-location-pin Bairro Alto

Poucos restaurantes em Lisboa se podem orgulhar de ter um viveiro próprio. O Sea Me ostenta o feito aos seus clientes e ainda lhes propõe que provem as ostras de criação própria da Ria Formosa. Porém, vendem também ostras do Sado e as francesas Gillardeau. É escolher.

Preço: duas ostras do Sado, 8,50€

A Time Out diz
Publicidade
Cervejaria Sem Vergonha
©Manuel Manso
Restaurantes, Cervejarias

Cervejaria Sem Vergonha

icon-location-pin Lisboa

É uma cervejaria-marisqueira que não quer ter formalismos e tanto dá para uma imperial e um pires de tremoços ou prato de ostras como para uma refeição completa. O menu é muito completo, dos petiscos ao marisco (que vem dos viveiros do Guincho), pratos de peixe fresco e de carne. 

Preço: 3€

A Time Out diz
JNCQUOI
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

JNcQUOI

icon-location-pin Avenida da Liberdade

No DeliBar do JNcQUOI, no piso intermédio deste empreendimento do grupo Amorim, há um balcão com capacidade para 42 pessoas e uma carta própria, assinada também pelo chef António Bóia. Também pode passar só para comer um pratinho de ostras do Algarve e um copo de vinho.

Preço: seis unidades, 16€

A Time Out diz
Publicidade
Nómada, restaurante
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Fusão

Nómada

icon-location-pin Avenidas Novas

As ostras deste sushi de fusão vêm do Sado, mas podem vir de outros pontos do país, com a garantia de que serão sempre nacionais. Desde Julho que se servem ao natural, com kimuchi e esferificações limão e pimenta, escabeche japonês ou vinagrete mignonette. Remate tudo com uns tatakis
 ou um ceviche.

Preço: de 3,45€ a 4,20€ a unidade

A Time Out diz
cervejaria liberdade
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Cervejarias

Cervejaria Liberdade

icon-location-pin Avenida da Liberdade

Se gostava de acabar o ano
 (e estoirar os últimos euros do subsídio) numa degustação de ostras, marque mesa na Cervejaria Liberdade, mande vir champanhe e peça uma de cada espécie. Não precisa de esperar pelo revellon para exerimentar as francesas Gillardeau (24€/dose) e Fines de Claires (22€/dose) ou as portuguesas do Algarve, de Setúbal (16€/dose) e de Aveiro (21€/dose).

Preço: doses de seis ostras com preços acima; à unidade a partir de 3€

Publicidade
o relento
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Frutos do mar

O Relento

icon-location-pin Oeiras

É verdade que quase todas as marisqueiras desta cidade servem ostras. E quase sempre de origem nacional. N’ O Relento, excelente marisqueira em Algés, muitas vezes apagada pelas suas familiares da Grande Lisboa, as ostras selvagens vêm de Setúbal, são servidas ao natural e vendidas ao quilo.


Preço: 20€/kg

Francisco Nogueira
Restaurantes

Sea by Local

icon-location-pin Grande Lisboa

O lugar não deixou de ser um palácio lá por estar cheio de balcões de comida com o devido serviço de mesa, claro. Um dos conceitos do Palácio Chiado é o Sea by Local que, para além das poke bowls, serve ostras à unidade e às meias dúzias, com diferentes temperos inspirados na tradição japonesa.

Preço: uma ostra, 2,40€; meia dúzia, 13€

Publicidade
Restaurante Ramiro - Sala
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Frutos do mar

Ramiro

icon-location-pin Intendente

O Ramiro é casa do marisco e isto já não é novidade para nenhum lisboeta. Aqui, na avenida Almirante Reis, pode até começar pelas ostras, mas deite um olho à sapateira e à santola, e se sentir em maré de gastar, deite a mão ao carabineiro e ao lagostim. Já sabe que a sobremesa é um prego. 

Preço: 11,97€/ kg

PS - Não se esqueça que o Ramiro encerra em Agosto: terá de adiar as celebrações do Dia Mundial da Ostra ou ir a outro lugar qualquer.

A Time Out diz
Água e Sal
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Água e Sal

icon-location-pin Sintra

Miguel Esteves Cardoso define o Água e Sal, em Sintra, com duas palavrinhas: perfeição e simplicidade. À frente desta marisqueira está o filho da Dona Lurdes da famosa Adega das Azenhas que criou um espaço onde pode comer umas quantas ostras e rematar tudo com um gelado.

Preço: 21,90€/kg

Publicidade
Marisco na praça
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Marisco na Praça

icon-location-pin Cascais

Nada como ir à fonte, isto é, ao lugar de onde vêm as ostras, mas já que não é nada cómodo entrar dentro de água, o mercado de Cascais tem este Marisco da Praça, bem perto da peixaria. Ainda vai admirar os bichos no gelo.

Preço: actualizado diariamente

A Time Out diz
Restaurate Marquês de Palma - Balcão
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Marquês de Palma

icon-location-pin Sete Rios/Praça de Espanha

Os leitões que vai ver pelo Marquês de Palma vêm da bairrada mas são assados nesta cervejaria em São Domingos de Benfica. Converse um pouco com as lagostas que estão dentro do aquário, mas não se esqueça que está aqui por causa das ostras.

Preço: 2,50 a unidade

Publicidade
Restaurantes

Edmundo

icon-location-pin Benfica/Monsanto

É uma das mais conhecidas marisqueiras de Lisboa e é espaçoso, o que dá jeito para aqueles almoços e jantares de família em que vai a criançada toda. Há muitos petiscos por onde escolher e há percebes, sapateira, lavagante ou ostras. Uma dose de gambas à guilho é 13,50€. No fim da mariscada, peça um prego no pão (3,60€).

Preço: 20€/kg

Marisco para todos

Mariscada - Pinóquio
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

As melhores cervejarias de Lisboa

Cervejaria resulta da junção de cerveja com selvajaria. Fomos à procura das melhores casas da cidade onde se come como um animal. O quê? Marisco, saladinhas, croquetes, pregos e outras coisas boas que escorreguem bem com uma imperial fresquinha. 

bruxas do mar do inferno
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Três sítios para comer bruxas

Com o bom tempo, chegam os petiscos ao fim do dia e as mariscadas com imperial fresquinha. Dê-se ao luxo de lhes juntar umas bruxas e se o sabor a mar não chegar, mergulhe-as em maionese. Estes são os três melhores sítios para comer bruxas em Lisboa

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com