A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
WANDAVISION
Marvel Studios'WandaVision' é umas das mais recentes produções baseada no universo de super-heróis

O Universo Televisivo da Marvel: 16 séries para ver em streaming

O Universo Cinematográfico da Marvel não se cinge apenas aos filmes. Há ainda várias séries que pode ver nos serviços de streaming.

https://d32dbz94xv1iru.cloudfront.net/customer_photos/14d3bbef-59cc-4753-a960-2f64c64804b1.jpg
Escrito por
Luís Filipe Rodrigues
e
Sebastião Almeida
Publicidade

Os Agentes S.H.I.E.L.D. foi a primeira série a encolher o Universo Cinematográfico da Marvel (UCM) para o pequeno ecrã, em 2013. Nos anos que se seguiram, a Marvel Television produziu uma dúzia de programas em parceria com canais como a ABC e a Freeform e serviços de streaming como a Hulu e a Netflix. Até que a Disney lançou a sua própria plataforma de streaming e decidiu concentrar lá todas as futuras séries do UCM, e deixá-las a cargo dos Marvel Studios, até então apenas responsáveis pelos filmes. WandaVision foi a primeira a estrear-se, seguida de outras sequelas televisivas, como O Falcão e o Soldado do Inverno ou Loki, e já há mais uma dezena de projectos a caminho do Disney+, que hoje é a casa de quase todas as séries da Marvel. Mas há excepções.

Recomendado: Os melhores e os piores filmes da Marvel

As séries do Universo Cinematográfico da Marvel

Agente Carter

Criada por Christopher Markus e Stephen McFeely, a história passa-se depois dos acontecimentos de Capitão América: O Primeiro Vingador. Peggy Carter (Hayley Atwell) trabalha agora na Reserva Científica Estratégica. Ao olhos dos amigos, é apenas uma telefonista, mas o seu dia-a-dia muda quando Howard Stark é acusado de traição e a agente Carter terá de o ajudar a provar a sua inocência.

Disney+.

Cloak & Dagger

Aubrey Joseph e Olivia Holt são Cloak (Manto, para quem se lembra dele nos livros de banda desenhada da editora Abril) e Dagger (Adaga), os dois adolescentes com superpoderes que emprestam o nome a esta série adolescente da Marvel. Os dois jovens não demoram a perceber que, juntos, os seus poderes são mais efectivos, mas que essa proximidade traz uma maior complexidade às suas vidas. Uma história sobre a entrada na vida adulta que se prolongou por duas temporadas.

Amazon Prime Video.

Publicidade

Demolidor

Quando se estreou, em Abril de 2015, esta série de acção contemplativa, ainda que violenta, subiu a fasquia para os super-heróis na televisão. Estas séries, afinal, não tinham de ser produtos de nicho, podiam ser produções de prestígio e qualidade, bem filmadas e capazes de chegar a toda a gente. A primeira temporada, criada por Drew Goddard e ancorada na relação antagónica entre o Demolidor (Charlie Cox) e Wilson Fisk (Vincent D'Onofrio), um vilão humano e complexo, continua a ser melhor. Mas as duas que se lhe seguiram também valem muito a pena.

Netflix.

E Se...

A primeira série animada dos Marvel Studios explora o que podia ter sido do Universo Cinematográfico da Marvel se as suas histórias se tivessem desenrolado de outras formas ou tido outros desfechos. Cada episódio de meia hora é como um pequeno filme, mas num formato comprimido, onde é revisitado um momento fulcral da história recente da Marvel no grande ecrã. Mas as coisas não se desenvolvem como nos lembramos, nem como esperamos.

Disney+.

Publicidade

Helstrom

Daimon (Tom Austen) e Ana (Sydney Lemmon) Helstrom são os filhos de um assassino em série demoníaco, nesta série que se afasta muito das histórias e personagens da Marvel em que supostamente se inspira. O criador Paul Zbyszewski partiu dos comics para contar uma história de terror que tenta explorar as dinâmicas familiares e os traumas partilhados pelos dois irmãos.

Disney+.

Inumanos

Inspirada nas personagens criadas por Stan Lee e Jack Kirby nos anos 1960, Inumanos foi adaptada para a televisão por Scott Buck, que produziu também Punho de Ferro para a Netflix. A história passa-se na cidade de Attilan, na Lua, e centra-se na família real dos Inumanos, cujos antepassados foram geneticamente alterados por extraterrestres num passado longínquo. Depois de um período de grande instabilidade, são vítimas de um golpe militar e têm que procurar refúgio no Havai, no planeta Terra.

Disney+.

Publicidade

Jessica Jones

É discutível que Jessica Jones possa ser considerada uma série de super-heróis. Mas ninguém discute que é óptima televisão. Teve três temporadas, mas a melhor é a primeira, uma meditação de 13 episódios sobre stress pós-traumático e relações de poder, ancorada nas interpretações confiantes de Krysten Ritter, no papel da protagonista homónima, e David Tennant, como Kilgrave, um vilão que foi vítima de abuso e hoje é o abusador.

Netflix.

Loki

O Deus da Mentira, meio-irmão de Thor, desapareceu no meio da confusão de Vingadores: Endgame. Mas não de vez. Loki (Tom Hiddleston) usou o Tesseract para viajar no tempo e acabou no centro cronológico desta história: a TVA, ou Time Variance Authority, uma organização reservada que se ocupa da gestão das diferentes linhas temporais do multiverso da Marvel. É por lá que operam burocratas como Mobius M. Mobius (Owen Wilson), que mantêm as coisas na ordem, nesta série realizada por Kate Herron e escrita por Michael Waldron.

Disney+.

Publicidade

Luke Cage

Luke Cage (Mike Colter) é uma montanha de músculos à prova de balas. E é afro-americano. O que podia ser apenas um pormenor (apesar de nunca ser apenas isso) dá o mote, nas mãos do produtor Cheo Hodari Coker, para uma crítica ao racismo sistémico nos Estados Unidos e uma celebração da cultura negra americana. Teve apenas duas temporadas, mas deixou saudades.

Netflix.

Os Agentes S.H.I.E.L.D

A primeira série televisiva do Universo Cinematográfico da Marvel durou sete temporadas. Criada por Joss Whedon, o realizador das primeiras duas fitas dos Vingadores, com o seu irmão Jed Whedon e Maurissa Tancharoen, era protagonizada por Clark Gregg, no papel de Phil Coulson, um agente da S.H.I.E.L.D. que apareceu em vários filmes dos primórdios do UCM. Ao longo dos anos, foram introduzidos diversos heróis e vilões dos comics e os acontecimentos dos filmes influenciaram directamente o desenrolar da história.

Disney+.

Publicidade

Os Defensores

Demolidor + Jessica Jones + Luke Cage + Punho de Ferro = Os Defensores. Eis a fórmula, inspirada no sucesso de Os Vingadores, por detrás de uma das melhores séries do Universo Cinematográfico da Marvel, protagonizada por quatro heróis que mantêm uma relação de proximidade com as populações que defendem. Os vilões de serviço são os ninjas da Mão, os antagonistas de Demolidor e Punho de Ferro. Douglas Petrie e Marco Ramirez produzem.

Netflix.

O Falcão e o Soldado do Inverno

A minissérie de Malcolm Spellman quer abordar as grandes questões – da identidade, da igualdade, da liberdade de escolha, ecoando a agitação social que se tem vivido nos EUA e um pouco por todo o lado. Mas fá-lo a partir do ponto de vista de dois super-heróis que conhecemos dos filmes da Marvel: Sam Wilson/Falcão (Anthony Mackie) e Bucky Barnes/Soldado do Inverno (Sebastian Stan), numa aventura global que testa as suas capacidades e a sua relação.

Disney+.

Publicidade

O Justiceiro

Foi depois do sucesso na segunda temporada de Demolidor que Frank Castle ganhou espaço para uma série própria na Netflix. Antes, Jon Bernthal deu vida a Castle, um ex-fuzileiro que vagueava por Nova Iorque à procura de vingar a morte da família. E em O Justiceiro vê-se envolvido numa conspiração em que todos o querem morto. Violento e cruel, ele é um anti-herói, um homem sofrido que é uma máquina de matar, mas que distingue o bem do mal.

Netflix.

Punho de Ferro

É um tiro, ou melhor, um murro ao lado. Uma espécie de Arrow em pior, com um jovem milionário que regressa à civilização quando toda a gente o pensava morto. Finn Jones é Danny Rand, o Punho de Ferro, protector de K’un-Lun e inimigo mortal da Mão, nesta série de super-heróis envolta num orientalismo ambíguo. Melhorou um pouco na segunda temporada, mas foi o pior fruto da relação da Marvel com a Netflix.

Netflix.

Publicidade

Runaways

Seis adolescentes de diferentes origens unem-se contra os seus progenitores, membros do grupo de vilões Pride, que controla Los Angeles. Criada por Josh Schwartz e Stephanie Savage, a série conta com três temporadas na qual os jovens se emancipam e empreendem uma luta contra o grupo que controla a cidade. Mas, a meio do caminho, suspeitam da existência de um infiltrado entre eles. 

Disney+.

WandaVision

Concebida por Jac Schaeffer, realizada por Matt Shakman e protagonizada por Elizabeth Olsen (Wanda Maximoff, a Feiticeira Escarlate) e Paul Bettany (Vision, ou Visão), WandaVision é uma sitcom psicadélica, constantemente a piscar o olho aos clássicos do género e às histórias de quadradinhos. A acção passa-se depois do final de Vingadores: Endgame (2019) e marca o início de uma nova era.

Disney+.

Mais super-heróis para ver

Publicidade
Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade