Os 36 melhores restaurantes no Porto abertos ao domingo

Nesta lista, com os 36 melhores restaurantes no Porto abertos ao domingo, só precisa de escolher o que mais lhe agrada
Il Pizzaiolo
© Marco Duarte Il Pizzaiolo
Por Inês Bastos e Teresa Castro Viana |
Publicidade

O domingo é, apesar de não parecer, o primeiro dia da semana e o que antecede a temida segunda-feira. Portanto, temos a certeza que, como nós, concorda que merece ser bem passado. Em família, com os amigos ou com a sua cara-metade, este dia sugere bons momentos à volta da mesa. Escolhemos os 36 melhores restaurantes do Porto abertos ao domingo, e há opções para todos os gostos. Entre comida de autor, pizzas, pratos típicos portugueses, hambúrgueres, muita carne, comida oriental e outros, a única tarefa que lhe deixamos em mãos é escolher o sítio.

Recomendado: Dez restaurantes para famílias no Porto

Os 36 melhores restaurantes no Porto abertos ao domingo

1
Antiqvvm
© João Saramago
Restaurantes, Europeu contemporâneo

Antiqvvm

icon-location-pin Massarelos

Depois de vários anos na Casa da Calçada, em Amarante, o chef Vítor Matos assentou arraiais no antigo Solar do Vinho do Porto, na Quinta da Macieirinha, e rapidamente fez olhinhos aos críticos do guia Michelin. A primeira estrela chegou em 2016 e só veio confirmar o sucesso do Antiqvvm, que, apesar de querer "regressar ao passado e aos sabores conservadores", segundo o próprio chef, traz para a mesa pratos que apetece comer com os olhos.

2
Antonio Mezzero
© Cláudia Paiva
Restaurantes, Italiano

Antonio Mezzero

icon-location-pin Matosinhos

As pizzas napolitanas do italiano Antonio Mezzero são feitas como manda a lei: em forno a lenha, com massa fina e a borda mais grossa. A maioria dos ingredientes vem directamente de Nápoles e isso é um bom presságio. A Passione, com alheira de caça, queijo de cabra curado e vinho do Porto reduzido, e a Qualità, com mozzarella de búfala, burrata e ouro alimentar, são algumas das especialidades.

Publicidade
3
Il Pizzaiolo
© Marco Duarte
Restaurantes, Pizza

Il Pizzaiolo

icon-location-pin Galerias

Há cada vez mais adeptos de pizza napolitana na cidade e, para quem o é, o Il Pizzaiolo é um óptimo refúgio. Também há saladas, massas e uns óptimos risotos, como o trufado com cogumelos, óleo de trufa e parmesão, e o de espargos e pinhões. Como o restaurante está aberto durante toda a tarde, pode matar a fome a qualquer hora.

A Time Out diz
4
BOP
© João Saramago
Restaurantes, Cafés

BOP

icon-location-pin Baixa

Mais do que um sítio para ouvir boa música, beber boas cervejas e bom café de especialidade, o BOP é um óptimo sítio para devorar nachos, asas de frango picantes, hambúrgueres, mac&cheese, bagels e muito mais. Ou seja, é um ponto de paragem obrigatória em dias de ressaca.

A Time Out diz
Publicidade
5
Crab Bao do BAO'S - taiwanese burger
© Cláudia Paiva
Restaurantes, Taiwanês

BAO'S – Taiwanese Burger

icon-location-pin Cedofeita

"Fiquei satisfeito e, mais do que isso, feliz. Há boa street food a acontecer no Porto." Quem o diz é o crítico da Time Out, Ricardo Capitão, que deu quatro estrelas a este restaurante na rua de Cedofeita, especializado em baos, uns pãezinhos recheados taiwaneses cozinhados a vapor. Há baos recheados com barriga de porco, com frango crocante, nuggets de bacalhau, tofu, caranguejo de casca mole e pernil desfiado. Se não ficar satisfeito, há ainda taças de arroz com barriga de porco braseado, pak choi e gema curada; e sobremesas típicas para dividir.

6
BB Gourmet Bolhão
© João Saramago
Restaurantes, Fusão

BB Gourmet Bolhão

icon-location-pin Baixa

A dois passos do Mercado do Bolhão, este é um dos espaços da cadeia BB Gourmet mais frequentados. Pela localização e porque é possível passar um dia inteiro aqui sentado: há confeitaria, cafetaria, restaurante e bar de sobremesas. Aliás, as sobremesas são um aspecto fundamental deste espaço. Bonitas que se fartam, o difícil é escolher entre as várias opções. Para dar início à refeição vão sempre bem uns croquetes de vitela com maionese de alho. E para não ter saudades quando for para casa, há uma montra com opções preparadas em vácuo para levar.

Publicidade
7
Brasão Cervejaria - Francesinha
© João Saramago
Restaurantes, Cervejarias

Brasão Cervejaria

icon-location-pin Aliados

Qual das Brasão? Ora aí está uma questão de fácil resposta: qualquer uma das duas. A carta é igual nos dois espaços e isso é sinal de que as cadeiras da Brasão dos Aliados já não chegavam para sentar todos os esfomeados que por lá passavam. Que se abra outro espaço, então, ao lado do Coliseu (Rua Passos Manuel, 205). E quais as razões que atraem toda esta gente? A francesinha acompanhada por uma Sovina, criada especialmente para um feliz casamento entre o prato e o copo, a cebola frita com maionese de alho negro e os bifes da vazia no ponto.

8
Cafeína
© Tiago Lessa
Restaurantes

Cafeína

icon-location-pin Foz

Com 20 anos de casa feita pelo empresário Vasco Mourão e o chef Camilo Jaña, que veio do Chile e se apaixonou pela cozinha deste restaurante fozeiro na primeira refeição que fez em solo portuense, o Cafeína é um dos nomes mais importantes da restauração portuense. Na carta, clássicos como o bacalhau gratinado com creme de cebola e o tornedó Wellington são algumas das sugestões.

Publicidade
9
Cantinho do Avillez - Porto
© João Saramago
Restaurantes, Português

Cantinho do Avillez

icon-location-pin Flores

O Cantinho do Avillez, primeiro restaurante do chef Avillez em solo portuense, funciona num registo informal, com uma carta onde brilham alguns petiscos, como os peixinhos da horta e as vieiras marinadas, pratos como as lascas de bacalhau e a vitela de comer à colher, e sobremesas como a emblemática Avelã 3, com três texturas do fruto seco.

10
Casa D'Oro - Pizza Diavola
© João Saramago
Restaurantes, Italiano

Casa D'Oro

icon-location-pin Porto

Vamos todos bater uma salva de palmas à responsável por este espaço em cima do rio? Maria Paola Porru, italiana de gema, abriu um italiano dois-em-um na torre de onde em tempos se controlou a construção da ponte da Arrábida. Dois-em-um porque o andar de baixo é um restaurante mais formal e o andar de cima serve algumas das melhores pizzas da cidade. Se estiver indeciso, peça uma às metades, é possível. Indo por outros caminhos, pode apostar numa lasanha ou numa carbonara. É à confiança. Visto das janelas envidraçadas do restaurante, ou mesmo do terraço, o pôr-do-sol é um espectáculo digno de bilhete.

Publicidade
11
Casa Nanda - Arroz de Polvo
© Marco Duarte
Restaurantes, Português

Casa Nanda

icon-location-pin Bonfim

A Casa Nanda é daqueles restaurantes familiares que expõe orgulhosamente as suas conquistas mediáticas nas paredes. Assim, e uma vez que estamos fartos de assumir publicamente – a par do escritor e cronista Miguel Esteves Cardoso – a nossa paixão assolapada por comida caseira capaz de nos encher o estômago e a alma até nos dias mais cinzentos, não vai ser difícil encontrar-nos nestas paredes de pedra. E basta abrir a carta para encontrar as razões. Dos filetes de pescada ao costeletão de boi na brasa, que alimenta facilmente duas pessoas, ninguém sai daqui com fome. No que às sobremesas diz respeito, peça opinião a quem o estiver a servir. Vão alternando, mas são sempre caseiras.

12
Esquina do Avesso - Parfait de foie gras
© João Saramago
Restaurantes, Petiscos

Esquina do Avesso

icon-location-pin Leça da Palmeira

A criatividade fervilha na cabeça e nas mãos do chef Nuno Castro e da sua equipa. E a prova mais evidente disso são os pratos que recheiam a carta da esquina do Avesso, em Leça da Palmeira, sempre saborosos e fotogénicos (rejubilem-se os que adoram alimentar invejas no Instagram). O parfait de foie gras e pistáchio, as vieiras mexicanas, a corvina com coração de alface e o pica-pau do mar são apostas ganhas. Termine com a sobremesa de chocolate, banana e avelã.

Publicidade
13
gion
© Marco Duarte
Restaurantes, Japonês

Gion

icon-location-pin Baixa

O atendimento "rápido, atencioso e informado" não foi a única crítica positiva que Ricardo Capitão fez ao Gion, restaurante de sushi tradicional entre as Flores e a Ribeira. A panqueca okonomiaki de camarão e polvo, com alface e lascas de bonito, e o temaki de salmão e abóbora caramelizada também foram elogiados. Ah! E ao almoço, o Gion tem um menu a 12€ que vale muito a pena. Fica a dica.

A Time Out diz
14
Ikeda
© Cláudia Paiva
Restaurantes, Japonês

Ikeda

icon-location-pin Campo Alegre

Com uma das salas mais bonitas da cidade (sim, é a que vê na foto), o Ikeda é um restaurante japonês para todas as ocasiões: para refeições rápidas, ao balcão, para almoços de negócios na sala privada no jardim, ou para jantares de amigos repletos de bom sushi tradicional e algumas criações mais fora-da-caixa.

A Time Out diz
Publicidade
15
LSD Largo de São Domingos
© João Saramago
Restaurantes, Fusão

LSD Largo São Domingos

icon-location-pin Flores

Neste restaurante no Largo de São Domingos, ao almoço aposta-se em pratos mais leves e, durante a tarde, em tábuas, petiscos e copos de vinho. Ao jantar, há opções para todos os gostos, da caldeirada de polvo ao carne, carne, carne, um prato servido em três actos. Curioso? Não se esqueça de marcar mesa.

16
Mundo - Restaurante
© Marco Duarte
Restaurantes, Global

Mundo

icon-location-pin Baixa

A comida do mundo está a virar tendência na cidade. Neste restaurante animado na Picaria, com DJ todas as noites, a carta assinada por João Pupo Lameiras percorre todos os cantos do mundo. Cavala curada com tzatziki, dumplings, moqueca de corvina e camarão com banana frita, tagine de frango do campo e noodles udon são alguns dos pratos que pode provar por lá.

A Time Out diz
Publicidade
17
MUU - Steakhouse
© João Saramago
Restaurantes, Steakhouse

MUU

icon-location-pin Galerias

Com uma decoração industrial e uma garrafeira invejável ao fundo da sala, o MUU é um dos restaurantes mais badalados da Baixa e um paraíso para carnívoros. O Johnny’s Scotch, uma versão do ovo escocês, envolto em carnes, panado, muito guloso e crocante, com um puré de chalotas e couves de Bruxelas, despertou a atenção da crítica Dulce Dantas Marinho, assim como o tomahawk, uma das carnes fortes da lista.

A Time Out diz
18
Nogueira's Porto
© Marco Duarte
Restaurantes, Steakhouse

Nogueira's Porto

icon-location-pin Galerias

Com a carne como estrela da companhia (prove as costelinhas cozinhadas a baixa temperatura e o Black Angus New York steak, uma "obra de arte" para o crítico Ricardo Capitão), o Nogueira's é também um bom sítio para começar a noite. Há bons vinhos, cocktails de autor e música aos fins-de-semana.

A Time Out diz
Publicidade
19
O Afonso
© Marco Duarte
Restaurantes, Português

O Afonso

icon-location-pin Porto

De francesinhas está o Porto cheio mas nem todas são como as d'O Afonso, uma casa que ganhou fama desde que apareceu no Parts Unknown de Anthony Bourdain. Com o pão torrado, o bife saboroso, a linguiça, o queijo e o molho ligeiramente picante fizeram as delícias do crítico Ricardo Capitão.

A Time Out diz
20
tripas do restaurante o rápido
© João Saramago
Restaurantes, Mediterrâneo

O Rápido

icon-location-pin São Bento

O Rápido fica mesmo ao lado da estação de São Bento e isso podia tê-lo empurrado para o rol de restaurantes-beira-estação em torno dos quais não pairam especiais níveis de confiança. Ainda bem que não caiu no fatídico clichê e se apresenta como um óptimo pouso para uma refeição bem portuguesa. Às segundas-feiras há bacalhau à espanhola e as quartas-feiras estão reservadas para o cozido à portuguesa. Os rojões e o polvo assado no forno são outros dos clássicos da casa.

Publicidade
21
Palco - Abóbora Maça Reineta e Especiarias
© João Saramago
Restaurantes

Palco

icon-location-pin Baixa

O chef Arnaldo Azevedo era ainda um miúdo quando pisou este palco do hotel Teatro pela primeira vez. Agora, com 33, já provou que a fama de chef jovem e promissor era mais do que merecida. Reparou nos nomes do hotel e do restaurante? A temática teatral não fica por aí e entra mesmo pela carta adentro. Ao almoço há um menu que muda semanalmente e ao jantar pode optar entre um dos dois cenários de degustação, o Palco e o Almeida Garrett, ou as peças soltas (opções à carta, vá).

22
Peebz - Hambúrguer Peebz
© João Saramago
Restaurantes, Hambúrgueres

Peebz

icon-location-pin Foz

Quem defende que praia combina com saladas e sumos detox não conhece o Peebz, na Foz. Além de ser um dos poucos representantes da zona especializado em hambúrgueres, ganha (muitos) pontos pela qualidade da carne, uma mistura de três cortes de novilho. Juntamos a isto umas batatas fritas crocantes e ainda com alguma casca, e a refeição faz-se por si só. Quando o nosso crítico passou por lá disse que "há muito tempo que não provava um hambúrguer tão bom, com um equilíbrio tão certo entre o pão adocicado, carne de qualidade e ingredientes frescos".

Publicidade
23
Pisca
© João Saramago
Restaurantes, Português

Pisca

icon-location-pin Foz

A dupla copos e petiscos é levada muito a sério no Pisca, na Cantareira. Aqui as tapas são rainhas, com destaque para os calamares com limão e alioli de amêndoa, os ovos rotos e a tortilha, muito elogiada por Marta Brown, nossa crítica. Se o piso de baixo for pequeno para todos os que quiserem petiscar, suba ao primeiro andar, onde encontra o restaurante propriamente dito. No final, um passeio pela beira-rio é sempre recomendado para facilitar a digestão.

24
Portarossa - Francesinha
© João Saramago
Restaurantes, Italiano

Portarossa

icon-location-pin Foz

O Portarossa, um dos restaurantes de Vasco Mourão, merece um lugar nesta lista. Das pizzas aos antipasti há opções para todos os gostos. Comece a refeição com um creme de tomate fumado e depois passe para as pizzas. A nossa preferida é a rústica, feita em forno a lenha com tomate, mozzarella, grelos, linguiça e ovo. Se ainda houver estômago para a sobremesa, devore a panna cotta clássica.

Publicidade
25
Portucale - Bacalhau à Marinheiro com Camarão
© João Samarago
Restaurantes, Português

Portucale

icon-location-pin Bonfim

O melhor elogio que podemos dar ao Portucale, no Bonfim, é que parou no tempo. Desde que abriu, em 1969, que não se deixa levar pelas modas que tomam a cidade de assalto. Nem gastronómicas, nem de decoração. Aqui reinam as madeiras, os veludos, o couro e as tapeçarias do pintor Guilherme Camarinha. Para a mesa vêm pratos tradicionais portugueses como o bacalhau à marinheiro com camarão, uma das estrelas da carta. Outra aposta muito pedida e é o cherne grelhado com molho ravigote, acompanhado de esparregado, batatinhas cozidas e cenouras.

26
Reitoria - Cachaço de Porco Preto
© João Saramago
Restaurantes, Steakhouse

Reitoria

icon-location-pin Baixa

O Reitoria, perto da Praça dos Leões, tende a agradar a gregos e troianos. E isso quase nunca é tarefa fácil. No andar de cima servem-se alguns dos melhores pedaços de carne da cidade, muitos deles cozinhados num Josper. Aliás, este é um excelente sítio para fãs de carne maturada, e a entrecôte de boi velho, acompanhado com batatas fritas, é um dos pratos mais pedidos da casa. Se quiser uma refeição mais leve, dirija-se ao andar de baixo e aposte nas focaccias em pão caseiro.

Publicidade
27
RO - Okonomiyaki Misto
© João Saramago
Restaurantes, Japonês

RO

icon-location-pin Aliados

No RO – leia-se Ramen e Outros –, de João Pupo Lameiras e Francisco Bonneville, o ramen, famoso caldo com noodles, é a estrela da carta. Vá por nós e prove o veggie, à base de cogumelos, e o shoyu, com frango e cachaço de porco. Se preferir outras andanças, atire-se ao mazemen (uma versão de ramen sem caldo), ou ao domburi (uma taça de arroz com toppings), mas guarde espaço no estômago para petiscos como o okonomiyaki misto, uma espécie de panqueca, servida aqui com lulas, gambas e porco.

28
Taberna dos Mercadores
© João Saramago
Restaurantes, Português

Taberna dos Mercadores

icon-location-pin Ribeira

Dos mesmos donos da Adega São Nicolau e Terreiro, na carta da Taberna dos Mercadores também se faz uma ode à comida portuguesa, bem feita e muito bem servida. Entre as especialidades estão a açorda de mariscos, o robalo ao sal, as costelinhas com arroz de salpicão e, por encomenda, o arroz de pica no chão ou o de línguas de bacalhau.

Publicidade
29
cozido taberna santo antónio
© João Saramago
Restaurantes, Português

Taberna Santo António

icon-location-pin Baixa

A dona Hermínia devia ter uma estátua em sua honra, ou não fossem dela as mãos que fazem magia na Taberna Santo António. Mas não são só as dela, já que a cozinha quase não tem mãos a medir para os muitos clientes que enchem a casa à hora de almoço e ao jantar. Quando se entra dá-se logo de caras com a montra das sobremesas. Se vir que a mousse de chocolate está quase a desaparecer, peça para reservar uma para si. Depois só tem de escolher um dos quatro pratos do dia. Se houver empadão de alheira e grelos ou pataniscas é um dia de sorte. Mas não fique triste se não fizerem parte da selecção – na verdade, sai-se sempre feliz, seja qual for o prato.

30
Terminal 4450 - Black Angus
© João Saramago
Restaurantes, Steakhouse

Terminal 4450

icon-location-pin Leça da Palmeira

Se quisermos falar de restaurantes bem inseridos no espaço que os rodeiam, o Terminal 4450 fica no topo dessa lista. Em pleno porto de Leixões, a entrada faz-se por uma manga que dá acesso a um balcão de check-in, e até as cartas são uma espécie de passaporte. Nada escapou na elaboração do conceito desta steakhouse. Nem a comida. O Black Angus foi "histórico" para o nosso crítico Francisco Beltrão, mas há muitas (e boas) opções no grill, como o t-bone e o tomahawk. Vão para a mesa com batata frita, batata a murro, arroz de estrugido, esparregado, salada, feijão preto, coleslaw, palitos de polenta frita, portobellos grelhados ou aros de cebola.

Publicidade
31
The Yeatman
© DR
Restaurantes, Restaurantes

The Yeatman

icon-location-pin Vila Nova de Gaia

Dizer que uma refeição num restaurante com duas estrelas Michelin é uma experiência, já é um lugar-comum, nós sabemos. Mas aqui é mesmo e nós explicamos porquê: começa-se com um copo no Dick’s Bar, com vista para o rio e para a cidade, e só depois os clientes são encaminhados para a mesa do único restaurante do Norte duplamente estrelado. A vista continua a ser a mesma: o Douro e o Porto, com a ponte Luís I incluída. Os menus de degustação ficam a cargo do chef Ricardo Costa e a harmonização vínica é obrigatória. Vá por nós.

32
Traça
© Cláudia Paiva
Restaurantes, Steakhouse

Traça

icon-location-pin Flores

Que sítio no Porto junta melhor petiscos ibéricos com alguns dos melhores pedaços de carne da cidade? O Traça, claro. Além da boa oferta, este espaço ganhou o direito de se intitular o primeiro restaurante do agora muito concorrido Largo de São domingos. A carta é extensa, mas aposte as fichas todas na carne, como o costeletão charolês (que alimenta duas almas esfomeadas) ou o jarrete de vitela confitado durante 15 horas a 70ºC. Mas não deixe de lado as lâminas de foie gras sobre maçã caramelizada, uma das entradas mais pedidas.

Publicidade
33
Typographia Progresso
© João Saramago
Restaurantes, Restaurantes

Typographia Progresso

icon-location-pin Flores

Foi numa antiga tipografia que Luís Américo abriu este restaurante, com uma carta que percorre algumas zonas do globo. Há pratos mais locais, à moda do Porto, como as tripas e o bacalhau à Zé do Pipo, comida portuguesa e criações francesas, como o bife tártaro, ou italianas, como a carbonara. O couvert é um dos pontos altos da refeição, com vários tipos de pão feitos ali mesmo.

A Time Out diz
34
Vinum
© João Saramago
Restaurantes, Português

Vinum

icon-location-pin Vila Nova de Gaia

O Vinum é uma extensão das caves do século XIX, nas quais envelhecem os vinhos do Porto da Graham’s. Rodeado por mais de três mil pipas de carvalho, este restaurante tem, além de uma incrível vista para o Porto, uma óptima carta de vinhos e pratos de autor. Destacamos todas as opções que incluam vaca velha de Trás-os-Montes na descrição, mas também não recusamos um arroz cremoso de camarão ou o leitão crocante, na fotografia.

Publicidade
35
Wish Restaurant & Sushi - Sushi
© João Saramago
Restaurantes, Japonês

Wish Restaurante & Sushi

icon-location-pin Foz

No Wish Restaurante & Sushi, na Foz, o chef António Vieira (ex-Shis, que foi destruído pelo mar em 2014) recria alguns clássicos e garante novidades que valem a pena. Pode optar pelo sushi ou escolher pratos como a tranche de robalo com puré de grão ou o tornedó com molho de cogumelos. À sobremesa, nem olhe para a carta: peça logo o fondant de caramelo.

36
Zenith - Açaí Bowl e Granola
© João Saramago
Restaurantes, Cafés

Zenith Brunch & Cocktails Bar

icon-location-pin Baixa

A fila de gente à porta, turistas e portuenses esfomeados, já não é novidade. Lá dentro – o espaço tem um aspecto levemente industrial e há mesas comunitárias para partilhar com estranhos – servem-se refeições tão saudáveis quanto gulosas. Há panquecas de manteiga de amendoim com gelado, french toasts com crème fraîche e compota de mirtilos, tapiocas com abacate e ovo, tostas de salmão fumado, ovos Benedict, smoothie bowls e, como o nome indica, muitos cocktails para provar.

Outras sugestões

Porto tours- Shopping
© DR
Coisas para fazer

10 coisas para fazer ao domingo no Porto

Somos contra os domingos desperdiçados em frente à televisão. Se é como nós, mas nunca sabe o que fazer neste dia, não há motivo para alarme, já que lhe preparámos esta lista com 10 sugestões de coisas para fazer ao domingo no Porto, que não pode deixar de aproveitar. E não se preocupe, pois há opções para todos os gostos, que vão de uma ida a um bom restaurante a um roteiro de arte urbana, ou de uma sessão relaxante num spa, a uma tarde de copos com os amigos. Divirta-se, é para isso que aqui estamos. Recomendado: As melhores coisas para fazer sozinho no Porto

Publicidade