Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right 30 coisas para fazer no Parque das Nações

30 coisas para fazer no Parque das Nações

Mais de duas décadas depois da Exposição Universal, saiba tudo o que pode fazer por aqui e corra o parque de lés a lés.

parque das nações
Fotografia: Arlindo Camacho
Por Maria Ramos Silva e Raquel Dias da Silva |
Publicidade

É um paraíso para runners em particular, atletas em geral. Num parque familiar onde as corridas são mais que as mães, ao ar livre é que se está bem. São cinco quilómetros ao longo do Tejo, com um terço de área ocupada por espaços verdes. Mas há mais motivos para aproveitar o melhor da zona oriental de Lisboa. Aulas de pintura e arte pública, bazares e mercados bio, lojas de decoração e um centro de realidade virtual, serviços a pensar nos miúdos e nos pais, mais propostas de lazer para todos, do barulho das máquinas no fervilhante Casino à calmaria do Teatro Camões, sem esquecer os certames da FIL e os concertos na Altice Arena. É uma festa no Oriente.

Recomendado: O melhor do Parque das Nações para as crianças

Coisas para fazer no Parque das Nações

Exposição Risco no Pavilhão do Conhecimento ( 2016)
©DR
Museus, Ciência e tecnologia

Teste o Conhecimento neste pavilhão

icon-location-pin Parque das Nações

Há actividades permanentes como tubos de vento e máquinas de berlindes e rabiscos, para não falar da história das mulheres na ciência em Portugal, que tornam este museu paragem obrigatória para famílias. Depois há mostras temporárias e oficinas para miúdos; e ainda autênticos fenómenos, como Cães e Gatos, que convida miúdos e graúdos a explorarem o mundo dos seus animais de companhia preferidos e pode ser vivida até Setembro. Não perca também Doing, uma exposição para pensar e fazer.

skybar oriente
Fotografia: Manuel Manso
Hotéis, Hotéis de luxo

Lave a vista no Sky Bar do Tivoli Oriente

icon-location-pin Parque das Nações

O Tivoli Oriente desempoeirou o terraço e abriu um Sky Bar no 16.º piso do hotel – é mais alto que o da Avenida da Liberdade (que fica no 9.º andar) e tem vista desafogada para o Tejo e para a ponte Vasco da Gama (com o Montijo e Alcochete ao fundo). É a tendência do momento: estar nas alturas, de copo na mão, a ver o pôr-do-sol. Há mais de dez cocktails de assinatura, fora os clássicos, que vêm para a mesa com pipocas e batatas fritas. E jarros de bebidas espirituosas para partilhar com os amigos. Para ir picando, há ainda nachos com queijo cheddar, mini-pregos do lombo e uma secção de sushi de fusão, preparado num balcão à vista de todos.

Publicidade
Casino Lisboa - Sala Mista
©DR
Atracções

Aposte as suas fichas no Casino

icon-location-pin Parque das Nações

Calma: pode passar o dia inteiro dentro do casino e nem precisa de andar a brincar com o seu orçamento. Inaugurado em 2016, onde ficava o Pavilhão do Futuro da Expo 98, há jogo sim, mas também há três restaurantes, quatro bares, uma galeria de arte e dois espaços para concertos, o Auditório dos Oceanos e a Arena Lounge, o bar onde acontecem espectáculos gratuitos.

 

Hotel Myriad, Torre Vasco da Gama
©Paulo Valdivieso

Junte-se à brigada nocturna

O ponto de encontro é a loja Kid to Kid e as datas já fazem parte da agenda semanal de muito bom corredor. Todas as terças, às 20.30, e todas as sextas, às 19.30, participe na Corrida Nocturna Parque das Nações. Conte com um percurso de corrida com diferentes ritmos, distribuição de garrafas de água e maçãs a todos os participantes, e ainda o sorteio de dorsais frquentes para provas de caminhada e running. A inscrição é gratuita e o ponto de encontro é na Alameda dos Oceanos, 102. Se a meio da corrida ficar com fome e sede, nada tema: oferecem águas do Vimeiro e maçãs de Alcobaça.

Publicidade
Coisas para fazer

Acompanhe o grupo de teatro do parque

icon-location-pin Parque das Nações

Cabe ao actor e encenador Miguel Cavaco motivar semana após semana a trupe de moradores da zona para os ensaios. Só assim é possível atingir resultados no Grupo de Teatro das Nações, um conjunto amador que dá vida a um projecto de proximidade, iniciado em 2017. Imagina um serão bem passado nas salas de condomínio das respectivas casas? Neste caso, é possível. 

Altice Arena
DR
Música

Reserve euros para concertos

icon-location-pin Parque das Nações

Conheceu várias encarnações. Foi Pavilhão da Utopia (1998), Pavilhão Atlântico (1998–2013) MEO Arena (2013–2017) e agora dá pelo nome de Altice Arena. A fórmula mantém-se: uma sala de visitas para espectáculos em grande escala, em especial concertos. Para não perder pitada, basta estar atento ao calendário.

Publicidade
Arraial dos navegantes
©Vânia Marecos
Coisas para fazer

Conte os dias para a festa

icon-location-pin Parque das Nações

Pense fora da caixa, ou do bairro, e aposte na descentralização quando o assunto são os Santos Populares. Se lhe faltarem argumentos para convencer os amigos, informe-os que o Arraial dos Navegantes se gaba de ser a festarola do género “com mais lugares sentados de Lisboa” (qualquer coisa como dois mil), algo que pesará na conta quando os seus pés começarem a pesar chumbo. O Arraial dos Navegantes do Parque das Nações é uma organização conjunta da Paróquia de Nossa Senhora dos Navegantes e do Agrupamento 1100 – Parque das Nações, do Corpo Nacional de Escutas (CNE).

feira internacional de artesanato
©DR
Atracções

Pape feiras na FIL

icon-location-pin Parque das Nações

Pelo Centro de Exposições e Congressos de Lisboa, desfilam certames para todos os gostos, incluindo algumas das maiores feiras temáticas do país. Tem sido ainda palco de grandes eventos nacionais e internacionais como a Cimeira da Nato, o EUROSKILLS, o Rotary International ou o Web Summit. Em Outubro, irá receber o Vintage Festival, que regressa para o ajudar a renovar a artilharia lá de casa com máquinas de escrever antigas, máquinas de jogo, móveis recuperados, roupa ou acessórios de época.

Publicidade
gama rústica
DR
Compras

Renove-lhes o quarto

icon-location-pin Parque das Nações

A Gama Rústica promete elevar a fasquia de fofura: o cariz semi-artesanal e os estilos rústico e romântico fazem com que cada produto seja intemporal e que passe de geração em geração, com muita personalidade. Ainda por cima, tem a vantagem de ser portuguesa e especialista em enxoval de bebé, criança, decoração e acessórios. Por ter produção própria, tem a possibilidade de execução dos seus produtos de um modo exclusivo, com todo o pormenor e aconselhamento necessários.

moda sustentável
DR
Miúdos

Torne-se/torne-os mais ecológicos

icon-location-pin Parque das Nações

Há um mundo verdíssimo de fraldas reutilizáveis, toalhitas, material descartável, acessórios para a praia, brinquedos eco e muito mais, que fazem com dê por bem empregue a exploração da zona norte do Parque das Nações, para correr as prateleiras da loja EcologicalKids. Se tem dúvidas, nada de dar voltas à cabeça. É mais fácil consultar o blogue da marca ou recorrer ao atendimento online.

Publicidade
lojas para crianças
DR
Miúdos

Recicle o que já não lhes serve

icon-location-pin Parque das Nações

A Kid to Kid tem a devida extensão na zona da Expo e mantém o princípio das lojas congéneres. Preocupado com o bem-estar do planeta e da sua conta bancária? Leve artigos do seu filho e pré-mamã, para receber dinheiro ou créditos na loja em troca, e encontre roupa para criança em segunda mão.

Atracções, Torres e miradouros

Entre em modo agrobio

icon-location-pin Parque das Nações

As manhãs de sábado, das 09.00 às 14.00, são de agricultura biológica em diferentes pontos da cidade e esta zona não escapa à tendência. É junto à Torre Vasco da Gama que se reúnem os produtos hortícolas e frutícolas da Mother Bio, Quinta da Areia, Quinta da Herdeira, Horta do Charco, Leira do Meio, Sopas Bio, Biomara, Trilhos Verdes, Gabinete Escalabitano e de João Pedro Silva.

Publicidade
Medithai
Medithai
Coisas para fazer

Relaxe à la tailandesa

icon-location-pin Parque das Nações

Cerca de 25 minutos de massagem à cabeça (por 25€) podem fazer a diferença no seu dia. O Medithai, Centro Tailandês de Massagens Terapêuticas, abriu em 2008 e se precisa de relaxar, ou de matar saudades da Tailândia sem sair de Lisboa oriental, o espaço faz questão de informar que os acessórios vêm todos daquele país, para se sentir realmente no éden.

Fifty Seconds
©Manuel Manso
Restaurantes, Haute cuisine

Descubra a melhor vista com a melhor comida Fifty Seconds

icon-location-pin Parque das Nações

O primeiro restaurante de Martín Berasategui, o chef espanhol com mais estrelas Michelin, em Lisboa, fica no topo da Torre Vasco da Gama, no hotel Myriad by Sana, e o nome faz jus à subida: do sopé até à sala demoramos exactamente 50 segundos. Lá em cima, vista 360º (parte da experiência é também a visita à cozinha, que com jeitinho permitem), dois menus de degustação (e escolha à carta) para uma viagem de três horas, no mínimo, pelos clássicos de Berasategui, como o mil-folhas de foie gras com maçã verde e enguia fumada e outras criações em parceria com o chef executivo Filipe Carvalho.

Publicidade
The Fifties American Diner
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Americano

Viva o sonho americano

icon-location-pin Parque das Nações

Se no seu sonho americano entram grandes milkshakes cor-de-rosa (o de morango custa 4€ mas também há de baunilha, chocolate, caramelo, bolacha oreo e M&M's) e hambúrgueres XXL, este é o restaurante para si. Para os aventureiros e de estômago grande, há um “burger challenge” que envolve 1kg de hambúrgueres grelhados com bacon crocante, cogumelos salteados, cebola grelhada, queijo americano e queijo mozarella. 

The Old House
©The Old House
Restaurantes, Chinês

Tenha prazer à mesa

icon-location-pin Parque das Nações

A seguir ao beijo francês, a sensação mais excitante que um adulto pode experimentar na boca chama-se ma la e resulta do ardente/dormente típico da cozinha de Sichuan, a província mais gourmet da China. O The Old House tem vários pratos com ma la, produzido através da combinação de malaguetas e pimentas de Sichuan. As pimentas de Sichuan são misteriosas bolinhas da família do limão. É por causa delas que vai ficar com os lábios dormentes. Lábios dormentes é bom. E para que não haja dúvidas, a morada é: Rua da Pimenta. Alinhamento cósmico?

Publicidade
Academia Pintura Parque das Nações
DR
Coisas para fazer

Treine o traço

icon-location-pin Parque das Nações

Uma Academia de Pintura localizada na primeira linha de frente do rio? Confere. O quadro é este: fica a um passo do Teatro Camões e oferece um belo cenário para dar largas à criatividade e ao talento. Caso estes dois não estejam devidamente apurados, inscreva-se num dos diferentes cursos e oficinas disponíveis. Esta é uma escola de pintura para todas as idades e níveis de experiência, especializada em desenho, técnicas aquosas (aguarela e acrílico) e urban sketchers, e oferece ainda formação para crianças. Os preços começam nos 30€ (joia de inscrição). 

1UP Gaming Lounge
©DR
Coisas para fazer, Jogos e passatempos

Jogue uma partidinha

icon-location-pin Parque das Nações

Bar temático de videojogos, salão de jogos e loja de (adivinharam!) videojogos.
 A 1UP Gaming Lounge é o habitat natural de todos os gamers que gostam de ter uma vida offline. Um bar
 com PCs, consolas retro e actuais, arcadas e muitos jogos à disposição. Quem acha que os fãs de videojogos são pessoas sem capacidade de socialização, este espaço é a prova do contrário. Organizam-se também alguns torneios de videojogos.

Publicidade
Centro de Realidade Virtual
Manuel Manso
Coisas para fazer

Fuja da realidade para o virtual

icon-location-pin Parque das Nações

Este espaço no Parque das Nações não é muito grande, mas é o suficiente para poder viver mais de 20 experiências de realidade virtual, sozinho ou em grupo (até quatro pessoas). No Centro de Realidade Virtual não querem cair nos habituais jogos para gamers, por isso há desde cinema imersivo – onde parece realmente que está dentro do filme, como se fosse uma personagem – ou até um exercício onde é preciso escalar o Evereste. Também pode teletransportar-se através de um jogo de Google Earth e andar por uma qualquer cidade no mundo ou, imagine-se, sair ileso de uma escape room virtual. No Centro de Realidade Virtual compra o tempo e não a experiência, portanto consoante o pacote de minutos que preferir, vai poder gastá-lo em vários jogos – até ao último segundo.

cães
Fotografia: Inês Lamego/ JFA

Traga o seu amigo patudo

Está previsto que uma nova rede de parques caninos replique a experiência piloto desenvolvida na cidade, no âmbito do Projeto de Requalificação do Jardim do Campo Grande – Zona Norte, onde foi criado um parque para cães de média dimensão. Mas não precisa de esperar por nada, em bom rigor. Os passeios largos do parque e as zonas relvadas vizinhas do rio são uma perdição para qualquer animal de estimação e respectivo dono zeloso. Fique a saber que por aqui até encontra instalados bebedouros para o seu patudo. O primeiro de todos foi instalado no Jardim do Neptuno, uma das opções para passear.

Publicidade
Coro das Nações
©Junta de Freguesia P. das Nações
Coisas para fazer

Afine a voz

icon-location-pin Parque das Nações

É no Instituto Português do Desporto e Juventude que todas as semanas ensaia o Coro das Nações, o grupo amador, multilingue e multinacional cuja actividade começou no Verão de 2016. Luís Bragança Gil, compositor e maestro, dirige este conjunto de vozes. Não há limite de idades, nem desculpas, caso tenha vontade e/ou vocação para a coisa.

teleférico parque das nações
©DR
Coisas para fazer

Veja o parque das alturas

icon-location-pin Parque das Nações

Desaconselhamos que siga as pisadas do nosso intrépido fotógrafo, que passou a viagem em pé, de braço de fora da janela, com a sua máquina fotográfica. Mas não deixe de fazer o seu postal das alturas. Sente-se e aproveite a vista, porque a deslocação em teleférico, cerca de 30 metros acima do solo e do rio, vale a pena. É uma das heranças de 1998 e não deve ficar exclusivamente nas mãos e olhos dos turistas.

Publicidade
Oceanário de Lisboa
Fotografia: Ana Luzia
Atracções

Mergulhe no Oceanário

icon-location-pin Parque das Nações

É como imaginar uma grande garrafa de água que comporta cinco milhões de litros de água salgada. Ou um tanque que é um verdadeiro parque de diversões para a peixeirada. De uma forma mais formal, falamos de um imponente aquário central – e de quatro habitats marinhos que adensam a ilusão de que estamos perante um só e infindável oceano. O Oceanário de Lisboa é uma das heranças mais populares do tempo da Expo e continua a mobilizar hordas de visitantes. O périplo desenrola-se em dois níveis, o terrestre e o subaquático, atravessando as águas temperadas, tropicais e frias dos diferentes oceanos do planeta. Também pode levar os miúdos a dormir com os tubarões, uma das actividades paralelas que mais atenção desperta.

Parque das Nações
Arlindo Camacho

Desfrute do rio

Vela, canoagem ou o armazenamento do seu caiaque. Na Doca dos Olivais, junto ao Oceanário de Lisboa, a água está mesmo a pedi-las e aos domingos não se falha. Todas as semanas entre as 10.00 e as 12.00 o centro náutico aposta na canoagem para maiores de 10 anos. Pode comprar aulas avulso (7,50€) ou poupar com a subscrição mensal (25€) se os miúdos quiserem repetir a dose. Curso de patrão local? Também se arranja

Publicidade
minimalista
DR
Compras

Perca a cabeça com peças minimalistas

icon-location-pin Parque das Nações

Achille Castiglioni, Arne Jacobsen, Hans Wegner, Philippe Starck, Jasper Morrison ou Marcel Wanders são nomes que seguramente vai encontrar na Loja Minimal. É num discreto cantinho do Parque que vende produtos das mais conceituadas marcas de design, dos clássicos às mais recentes criações, além de ainda prestar serviços de consultoria, arquitectura, design de interiores e apoio a arquitectos. Se ainda não estourou todo o orçamento, espreite a vizinha Cool Design.

bicicletas gira

Aposte no Gira

Do extremo norte ao extremo sul da freguesia, os pés podem acusar a estafa. O Lisboa Bike Sharing, que agora se chama Gira, lançado em Setembro de 2017, dá uma ajuda. O serviço funciona com uma aplicação, para requisitar a sua bicicleta (desde 10€). Junto à estátua do Sol também pode alugar um Sitgo.

Publicidade
pavilhão de portugal
©DR
Coisas para fazer

Tenha uma experiência à pala no Pavilhão de Portugal

icon-location-pin Parque das Nações

Longe vão os tempos da Expo, do Gil, da Estátua do Sol e de outras aventuras à beira-rio, mas há edifícios que justificam uma visita mais atenta e demorada ao Parque das Nações. Afinal, quantas vezes na sua visa se pôde dar ao luxo de trocar a pala de um reles boné pela pala do Pavilhão de Portugal projectada por Álvaro Siza Vieira?

parque das nações
Fotografia: Arlindo Camacho

Confira toda a arte a seus pés

Há poucas galerias a céu aberto como o Parque das Nações. Dos bancos listados de Carrilho da Graça às estátuas de João Cutileiro, basta estar atento para conviver com trabalhos de artistas portugueses fundamentais. Fernanda Fragateiro, Pedro Calapez, Pedro Cabrita Reis, entre muitos outros, deixaram a sua marca nesta zona. Oriente-se através deste roteiro de arte urbana.

Publicidade
LXSkate
©LXSkate
Coisas para fazer, Aulas e workshops

Mostre o que vale no terreiro dos radicais

icon-location-pin Parque das Nações

Ainda se lembra de ir ao festival Super Bock Super Rock no Parque Tejo? Parabéns, é sinal que envelheceu e sobreviveu. Tudo certo. Há motivos para regressar a esta zona sempre que possível, agora para assistir ao desempenho de skaters e bikers, provavelmente mais novos que a própria Expo. As tábuas e duas rodas circulam por aqui, com uma incrível vista para a ponte e um descanso que só visto. Pode fazer o mesmo que alguns dos radicais e trazer uma cadeira de abrir, quando lhe apetecer repousar.

Outros bairros em Lisboa

principe real, top
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

O melhor do Príncipe Real

Cool é incrível, invejável, desejável, pode ser espectacular, óptimo, bom, maneiro, porreiro, giro, divertido, bacano, yo!, fixe, bestial. E é o que acontece no Príncipe Real, onde as novidades se sucedem, as referências se mantêm e as figuras convivem, onde o novo se alicerça no antigo e a cidade não se expulsa a si mesma.

Torre de Belém
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

O melhor de Belém

Esqueça por momentos que Belém é destino de turistas — esqueça também as enchentes que eles provocam — e vá viver aquela zona como se fosse a primeira vez. É seguir o nosso roteiro para não se perder no melhor de Belém.

Publicidade
Mexilhoeiro
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

O melhor de Cascais

Procuramos estar atentos a tudo o que por aqui nasce. E a verdade é que às idílicas praias junta-se uma agenda de eventos preenchida, restaurantes fantásticos, imenso espaço para fazer desporto e, claro, carradas de novidades.

Publicidade