O melhor de Marvila: coisas para fazer a leste do paraíso

Dizem que este é o bairro mais cool de Lisboa e é provável que tenham razão. Descubra o melhor de Marvila.
Marvila
Fotografia: Manuel Manso
Por Clara Silva |
Publicidade

Marvila é a única zona da cidade em acelerada renovação sem ter o turismo como motor. Antigos armazéns abandonados são agora espaços de cowork onde também se pode andar de skate, há fábricas de cerveja artesanal a cada canto do bairro (e até formam um districto entre elas), salas de espectáculo (ou de raves) onde cabem mil pessoas e espaçosas galerias de arte, uma vertente crescente para estes lados pelo espaço que Marvila ainda tem para disponibilizar.
 Fomos espreitar e descobrir as maravilhas de Marvila para lhe trazer um roteiro completo do bairro. 

Recomendado: Roteiro de arte urbana em Lisboa

O melhor de Marvila: coisas para fazer a leste do paraíso

Fábrica Lince
Fotografia: Manuel Manso
Bares, Cervejaria artesanal

Lince

icon-location-pin Grande Lisboa

Tudo começou como uma brincadeira, “a fazer cerveja em casa em baldes”, e tornou-se um “emprego full-time”. António Carriço (na foto) e Pedro Vieira, criadores da cerveja artesanal Lince, trabalharam juntos na Vodafone. A paixão por cerveja, semelhante “a cozinhar”, levou-os a arranjar um armazém na Rua do Açúcar (vizinho ao da sede do autocarro Hippotrip), onde montaram uma fábrica. Desde Novembro de 2016 já fizeram “17 tipos de cerveja”, algumas para outras marcas. Por enquanto, a Lince tem quatro à venda: uma stout, uma blonde, uma belgian pale ale e uma american IPA. Se tudo correr bem, este ano ganhará também um tap room perto da fábrica. “Agora está a ser mais difícil [arranjar um espaço] porque a zona é mais disputada e há processos complicados com heranças.”

musa
Fotografia: Francisco Santos
Coisas para fazer

Fábrica Musa

icon-location-pin Marvila

Nenhuma visita à nova Marvila faz sentido sem passar pela Musa, a fábrica e tap room da cerveja artesanal criada por Nuno Melo e Bruno Carrilho. O espaço, ao estilo industrial, é de facto inspirador e as cervejas ganharam nomes como Mick Lager, Red Zeppelin Ale ou Saison O’Connor. A isto junta-se uma boa programação musical e uma dúzia de torneiras de cerveja feita ali mesmo.

Publicidade
Coisas para fazer

Dois Corvos Cervejeira

icon-location-pin Marvila

Foram os primeiros a instalar-se no bairro e orgulham-se também de terem sido a primeira fábrica de cerveja artesanal em Lisboa. Susana Cascais e Scott Steffens abriram as torneiras de cerveja no Verão de 2015. Desde então já se tornaram numa das marcas artesanais mais conhecidas do país. Vale a pena ir à fábrica e tap room para provar outras cervejas desconhecidas, experiências às quais chamaram de Marvila Series e que não chegam aos outros bares.


+ Os melhores bares de cerveja em Lisboa

Marvila: A Leste do Paraíso

casa do bacalhau
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Português

A Casa do Bacalhau

icon-location-pin Alfama

Pelo nome já sabe ao que vem e é o sítio ideal para impressionar os seus amigos estrangeiros de visita à cidade. Há bacalhau de todas as maneiras e feitios, e segundo as várias modas do país. Aqui estão as melhores pataniscas de Lisboa segundo o concurso do Peixe em Lisboa de 2017.

+ Três pratos de bacalhau a não perder em Lisboa

Frango Kong Pao com amendoins da Dinastia Tang
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Chinês

Dinastia Tang

icon-location-pin Marvila

Abriu portas em 2014 e elevou decisivamente o nível da cozinha chinesa servida em Lisboa. Entretanto, já se sabe, 
a concorrência aumentou. Mas continua a ser dos mais bem decorados da cidade e a refeição nunca faz perder a viagem.

+ Os melhores restaurantes chineses em Lisboa

Publicidade
Rui do Barrote - Picanha
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Português

Rui do Barrote

icon-location-pin Marvila

Tem fama de ter uma das melhores picanhas da cidade
 – e a maminha não fica atrás. Prepare-se para sair de barriga – e carteira – cheia. Por enquanto, os preços continuam acessíveis e há menus de grupo. Os grelhados são as grandes estrelas da companhia.

+ Tascas a não perder em Lisboa

ilegítimo
Manuel Manso
Compras

Ilegítimo

icon-location-pin Marvila

Esta rulote traz a comida que faltava ao Collectors, o armazém com espaço para lojas e cowork em Marvila. Anne e Antoine são franceses e garantem ter as melhores batatas fritas de Lisboa. “São primeiro cozidas em óleo vegetal a baixa temperatura, arrefecidas e por fim fritas a alta temperatura”, diz este chef, sem medo de revelar segredos. A juntar a isto há hambúrgueres 100% carne de vaca, pães com base de brioche feitos por Antoine todos os dias, pickles caseiros e uma versão para vegetarianos a que se juntam bowls diferentes todos os dias. No Collectors Marvila, de terça a sexta-feira, das 11.00-16.00.

Publicidade
Chakall
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

El Bulo Social Club

icon-location-pin Marvila

Foi o primeiro chef a chegar ao bairro, em 2016, com o El Bulo Social Club, um espaço de 1300 metros quadrados que é muito mais do que um restaurante. É um sítio para ver futebol, para dançar tango enquanto os miúdos brincam, é uma loja com produtos argentinos, estúdio de gravação do seu programa de TV, bar e também é onde funciona a sua empresa de catering.

+ Os melhores restaurantes latino-americanos em Lisboa

Entra
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Português

Entra

icon-location-pin Marvila

Esta taberna moderna foi dos primeiros restaurantes da nova vida de Marvila, e desde 2010 que convida quem passa a entrar. É o sítio certo para quem não gosta de tomar decisões. Tem um menu surpresa a cada jantar com duas entradas, prato de peixe, de carne e sobremesa.

Publicidade
Restaurantes

Refeitório do Senhor Abel

icon-location-pin Marvila

O mais recente restaurante da zona, o segundo projecto de Chakall, quer concorrer ao título de melhor pizza de Lisboa. Tem um trunfo: o siciliano Roberto Mezzappelle. No Refeitório do Senhor Abel há várias pizzas com massas de fácil digestão, carpaccios e burratas.

Brunch café com Calma
Fotografia:Arlindo Camacho
Restaurantes, Português

Café com Calma

icon-location-pin Marvila

Nada como começar um fim-de-semana com calma, no brunch do Café com Calma, o café que Rita Estanislau abriu na Marvila semideserta de 2015. É servido ao sábado, entre as 12.00 e as 16.00, e tem opção vegetariana (14,90€).

+ Os melhores brunches em Lisboa

Publicidade
Varanda do Vale Formoso - Bacalhau à Brás
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Português

Varanda do Vale Formoso

icon-location-pin Marvila

Apesar do nome, não espere formosura em nada, a não
 ser na comida. O bacalhau à Brás tem boa fama, tal como o bitoque de vaca, que ganhou o primeiro lugar num concurso da Coca-Cola, escolhido pelo chef Alexandre Silva.

Aquele Lugar Que Não Existe
©Francisco Santos
Restaurantes

Aquele lugar que não existe

icon-location-pin Marvila

A decoração vai fazê-lo querer ligar a câmara, mas nada de fotografias, até porque este é Aquele Lugar Que Não Existe. Vive do anti-marketing, que continua a ser uma das melhores estratégias de marketing. Quanto à comida, conte com um buffet ao almoço, pizzas e comida indiana.

Publicidade
Marítima de Xabregas
©DR
Restaurantes

Marítima de Xabregas

icon-location-pin Xabregas

Bacalhau assado na brasa e entrecôte no churrasco, “à Marítima”, são as nossas sugestões neste restaurante de comida típica e doses generosas, sempre para dividir.

Marvila: A Leste do Paraíso

capitão leitão
Fotografia: Arlindo Camacho
Bares

Capitão Leitão

icon-location-pin Marvila

Cocktails, cerveja Lince, a loja de discos mais pequena da cidade, DJ sets, uma casa de banho mexicana e boa onda. O Capitão Leitão abriu portas em Março e começou a animar as tardes e noites de Marvila com tudo isto 
e muito mais. Viviana Baptista e
 o marido, Will Grant, fugiram de Londres para Lisboa em 2016 e começaram a organizar as matinés Studio Club com DJs internacionais em vários espaços. Mudaram-se para o bairro e abriram o bar onde o espaço reduzido não tem sido limitação para nada – nem para dançar, nem para organizar uma pequena feira de discos em segunda mão.

Lisboa ao Vivo
©DR
Música

Lisboa ao Vivo

icon-location-pin Marvila

Cinco sócios juntaram-se com o objectivo de “colmatar a lacuna de espaços de média dimensão na cidade” e em 2016 surgia uma nova sala de espectáculos, 
o Lisboa Ao Vivo. São 800 metros quadrados que albergam dois palcos – o principal com direito a uma varanda/mezzanine – e uma lotação de mil pessoas. A 27 de Fevereiro o Lisboa ao Vivo recebe Tricky.

Publicidade
Heterónimo Baar
©DR
Bares, Bares

Heterónimo Baar

icon-location-pin Marvila

Baar. Não é engano, o nome corresponde à letra inicial de cada um dos heterónimos de Fernando Pessoa. O novo bar de Marvila complementa o mais recente restaurante de Chakall, o Refeitório do Senhor Abel, nos antigos Armazéns Abel Pereira da Fonseca. Experimente O Outro Café da Manhã (10€), um dos cocktails feitos pelo barman Sandro Pimenta, servido em copo de galão e com aguardente velha.

+ Três cocktails para beber no bar do restaurante de Chakall

Fábrica Braço de Prata
Fotografia: Ana Luzia
Noite

Fábrica Braço de Prata

icon-location-pin Marvila

O edifício onde em tempos funcionou a administração da fábrica de material de guerra foi dos primeiros a ganhar nova vida cultural no Oriente de Lisboa, já lá vão dez anos. Ao todo são 12 salas onde tudo pode acontecer. De concertos a aulas de dança, de tertúlias
a raves, passando por peças de teatro. Continua a ser um bom sítio para comemorar um aniversário, com menus especiais para grupos.

Publicidade
Armazém 16
©DR
Noite

Armazém 16

icon-location-pin Marvila

Foi o espaço escolhido por DJ Vibe para comemorar os seus 50 anos (35 de carreira) e também foi aqui que mais recentemente a Fuse organizou a sua festa
 de passagem de ano, com a dupla Booka Shade. Ainda é um segredo na cidade e tem uma das melhores vistas para o Tejo, com 36 janelas. O espaço, que servia de entreposto de cargas e descargas ferroviárias (está lá a linha do comboio a comprovar), pertence à empresa ONE Your First Stop e está disponível para alugueres temporários.

Eka Palace
©DR
Arte, Galerias

EKA Palace

icon-location-pin Xabregas

O centro cultural alternativo
 em Xabregas tornou-se inevitavelmente na Meca dos afters em Lisboa, com festas aos fins-de-semana que duram até à hora dos almoços de família, ideais para quem anda a adiar o regresso a casa. Abriu em 2014 e foi pensado por Dilen e Eurica Magen, da associação sem fins lucrativos Eka Unity. Espreite a esplanada, o Floating Garden.

+ Lisboa fora de horas

Marvila: A Leste do Paraíso

Francisco Fino
Fotografia: Manuel Manso
Arte, Arte contemporânea

Galeria Francisco Fino

icon-location-pin Marvila

Viveu nos Estados Unidos, onde estudou e trabalhou numa leiloeira de arte contemporânea, e pensou em abrir uma galeria em Nova Iorque. Por mero acaso, numa visita a outras galerias de Marvila, passou em frente ao armazém devoluto onde hoje fica a galeria com o seu nome e decidiu remodelá-lo. “Interessava-me estar perto das outras galerias”, conta. Foi o último a chegar ao bairro, em Maio de 2017, e ficou surpreendido com a afluência de visitantes. A galeria tem duas salas de exposição, uma delas preparada para instalações de vídeo, e em breve terá também um terraço. O espaço da cave, Belo Campo, tem curadoria de Adrien Missika.

Arte, Galerias

Bregas

icon-location-pin Xabregas

João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira têm 
desde 2015 um estúdio em Xabregas, “aberto a todos os amigos”, dizem. No espaço já organizaram sete “grandiosos fins-de-semana”, assim lhes chamam, festas de dois dias com exposições, performances e DJ sets.

Publicidade
Galeria Filomena Soares BOA
©DR
Arte

Galeria Filomena Soares

icon-location-pin Xabregas

Filomena Soares foi a primeira
 a instalar-se em Marvila, em 1999, num espaço de mil metros quadrados com duas salas de exposição. Uma das mais conceituadas galeristas de arte contemporânea, representa artistas nacionais e internacionais como Helena Almeida, Pedro Barateiro ou Shirin Neshat.

AR.CO - Xabregas
©Nuno Martinho
Arte

Ar.Co - Centro de Arte e Comunicação Visual

icon-location-pin Xabregas

A escola de artes ocupa desde o ano passado as instalações do antigo mercado de Xabregas, agora remodelado com oficinas, laboratórios de fotografia
 e estúdios. O projecto é do arquitecto João Santa-Rita.

Publicidade
Múrias Centeno
©DR
Arte, Galerias

Múrias Centeno

icon-location-pin Marvila

Começou no Porto com 
Nuno Centeno, que é hoje 
já considerado um dos mais influentes negociadores de arte da Europa. Em 2014 Bruno Múrias juntou-se ao projecto e
o nome da galeria mudou. Foi nessa altura que abriram mais um espaço, desta vez em Lisboa, dedicado a jovens artistas
 de arte contemporânea em ascensão.

Baginski
©DR
Arte, Galerias

Galeria Baginski

icon-location-pin Marvila

Em 2002, a brasileira Andréa Baginski Champalimaud começou por dedicar-se a exposições de fotografia num rés-do-chão do Príncipe Real. Em 2009, mudou-se para Marvila com esta galeria de arte contemporânea, com artistas conceituados e emergentes e foco no eixo Europa-África-América Latina.

Publicidade
Tomaz Hipólito Studio
©DR
Arte, Centros de artes

Tomaz Hipólito Studio

icon-location-pin Marvila

O armazém renovado funciona como ateliê do artista Tomaz Hipólito e no andar de cima
 está a arquitecta Helena Botelho. Desde Outubro, tem um projecto de residências para artistas internacionais, com duração entre um a seis meses. Regularmente organizam open-days.

Underdogs
©Pando Lucas
Arte

Galeria Underdogs

icon-location-pin Marvila

Em Julho de 2013, a Underdogs começava a chamar as atenções da arte urbana para oriente, com a exposição a solo do colectivo norte-americano Cyrcle a inaugurar a galeria de Vhils e a trazer centenas de pessoas para o armazém recuperado. 

Publicidade

Marvila: A Leste do Paraíso

Vasco Magalhães
Fotografia: Francisco Santos
Coisas para fazer, Aulas e workshops

Clube do Capitão Leitão

icon-location-pin Campolide

O baterista Vasco Magalhães e o multi-instrumentista Rui Rodrigues foram “escorraçados” da sala onde costumavam ensaiar com as suas bandas, uma delas a For Pete Sake. Marvila recebeu-os de braços abertos e foi no bairro industrial que descobriram o espaço ideal para montar um estúdio de música ao qual chamaram de Clube do Capitão Leitão. Onde em tempos funcionaram os balneários da antiga fábrica de fósforos Phosphoreira, há desde Maio de 2017 três salas de ensaio com bandas residentes e outra que pode ser alugada “a bandas de fora” à hora. O clube tem também “técnicos e material de topo para gravação a preços simpáticos”, diz Vasco. Mais que um negócio, a ideia do clube é ser uma comunidade de músicos.

Fábrica Moderna
©DR
Coisas para fazer

Fábrica Moderna

icon-location-pin Marvila

"Uma oficina criativa partilhada (...) onde se transformam ideias em produtos". É assim que a Fábrica Moderna se apresenta no seu site. Neste espaço, pessoas e empresas podem partilhar conhecimentos para que as suas ideias ganhem forma. A Fábrica dinamiza, ainda, workshops e oferece apoio ao lançamento de produtos.

Publicidade
Phosphoreira
©DR
Coisas para fazer

Phosphoreira

icon-location-pin Marvila

As instalações da antiga Companhia Portuguesa de Fósforos foram transformadas num parque empresarial com espaços para arrendar. Ainda há três disponíveis, com 400
 e 500 metros quadrados, com escritório incluído.

Hood
©DR
Atracções

Hood

icon-location-pin Marvila

É uma espécie de bairro criativo, criado pela agência de marketing comOn no fim de 2015. Tem um espaço de cowork, um auditório/ginásio, skates e até uma praça, a Charles Square, com um bar self-service.

Publicidade
Lisbon Workhub
Fotografia: Ana Luzia
Atracções

Lisbon Workhub

icon-location-pin Marvila

Empreendedores, freelancers e nómadas partilham o mesmo espaço de trabalho no Lisbon Workhub. O cowork fica nos antigos e míticos armazéns de vinho Abel Pereira da Fonseca e tem secretárias para alugar a partir de 15€/dia ou 160€/mês.

Cowork TODOS
Fotografia: Francisco Santos
Coisas para fazer

Cowork Todos

icon-location-pin Marvila

Frederico Mancellos e Frederico Miranda criaram o Todos 
em plena crise, em 2013, um universo que aloja mais de 60 criativos independentes num armazém recuperado. Aqui alugam-se estúdios, espaços de trabalho, salas de reuniões ou de maquilhagem. Em 2017 inauguraram também o espaço E Mais Alguns, para projectos artísticos e performances.

Marvila: A Leste do Paraíso

Museu dos doces, The sweet art museum, marvila
Fotografia: Manuel Manso
Coisas para fazer

The Sweet Art Museum

icon-location-pin Marvila

Neste espaço, as regras são inversamente proporcionais àquelas a que tem de obedecer nos outros museus. As proibições desaparecem para darem lugar a experiências – pode fotografar, tocar nas obras e, imagine-se, mergulhar nelas. O The Sweet Art Museum instala-se numa transversal da Rua do Açúcar, em Marvila, e, durante três meses, vai deixar a cidade mais doce e os feeds de Instagram mais rosa. O museu tem oito salas, uma delas pensada pela artista portuguesa Maria Imaginário, sendo que algumas contam com degustação de doces. Dos gelados às gomas, passando por uma sala com uma piscina de marshmallows, onde pode mergulhar (isto é a sério). 

João Torga - Clube Oriental de Lisboa
Fotografia: Manuel Manso

Clube Oriental de Marvila

Esta é a terceira vez que João Torga é presidente do Oriental, “a quarta força da cidade”. “A primeira vez que fui presidente tinha metade da minha idade”, recorda. O salão do clube já foi o maior sem colunas da cidade, com 300 metros quadrados, do qual o presidente guarda boas recordações dos bailes. Quanto ao futebol, depois de algumas polémicas o ano passado, está tudo melhor. “É das poucas equipas de Portugal que não tem dívidas”, diz. “E que não mudou nem pensa mudar de treinador.” O treinador, António Pereira, é conhecido por muitos como Mourinho dos Pobres. Ao clube, falta mesmo é um segundo campo de treino. “Para dar resposta à juventude, às centenas de pessoas que nos procuram.”

Publicidade
barbearia oliveira
Fotografia: Arlindo Camacho
Compras, Tatuagens e piercings

Damage InKorporation

icon-location-pin Marvila

Estamos perante um tattoo & amp, barber social club, que une o conceito de barbearia – a Barbearia Oliveira, logo à entrada – ao de uma loja de tatuagens, com tatuadores respeitados que se instalaram aqui em 2012. Mesmo que não queira mudar de visual, só a decoração da loja vale uma visita, com uma colecção de máscaras exóticas numa das paredes.

+ As melhores barbearias em Lisboa

+ Os melhores estúdios de tatuagens em Lisboa

Desporto, Ciclismo

Cenas a Pedal

icon-location-pin Marvila

Ana Pereira e Bruno Santos chegaram a estar no centro de Lisboa, na Álvares Cabral, e mudaram-se para Marvila onde têm uma escola de bicicleta para todas as idades, uma loja, uma garagem de reparação e espaço para tudo o que tenha a ver com bicicletas – de exibição de filmes a workshops.

+ Dê ao pedal: sítios para alugar bicicletas em Lisboa

Publicidade
Compras, Aluguer de vestuário

Maria Gonzaga

icon-location-pin Marvila

Um guarda-roupa a perder de vista, que começa praticamente na Idade Média e vai até ao futuro. Maria Gonzaga tem todas as peças de roupa que lhe podem passar pela cabeça – sim, chapéus também –, é preciso
é ter paciência para vasculhar
 e procurar o melhor fato para
 o Carnaval ou para a próxima novela da TVI. Se não encontrar, ela faz.

Biblioteca de Marvila
©DR
Atracções, Bibliotecas, arquivos e fundações

Biblioteca de Marvila

icon-location-pin Marvila

Foi nomeada pela Time Out para Novidade do Ano em 2016 e, por enquanto, ainda continua a ser a mais recente biblioteca da cidade. Foi erguida no espaço de uma casa senhorial abandonada e, além de um auditório com quase 200 lugares, tem um horta comunitária e 23 mil livros, com uma boa selecção de arte urbana. No Verão acolhe sessões de cinema ao ar livre.

Publicidade
Vertigo Climbing Wall
©DR
Desporto, Alpinismo

Vertigo Climbing Center

icon-location-pin Marvila

Num Rocódromo não há rock, mas há rochas artificiais – que é como quem diz paredes – para poder escalar indoors antes
de começar a subir falésias ou escadotes para mudar lâmpadas. Os cursos de escalada, com vários níveis, do iniciado ao avançado, são bons também para quem quer superar a acrofobia,
o medo de lugares altos.

+ Coisas radicais para fazer em Lisboa

Sílvia Machado - Instituto do Animal
Fotografia: Manuel Machado
Coisas para fazer

Instituto do Animal

icon-location-pin Marvila

Começou por ser convidada 
para dar aulas de gestão num curso de cinotecnia (treino de cães) na universidade e a partir daí percebeu que “havia muita coisa a fazer para que os donos de animais fossem mais felizes com eles próprios – e os animais também”. Em 2015, escolheu um armazém espaçoso de Marvila para abrir o Instituto do Animal, uma escola que “ajuda os donos
 a treinarem cães e gatos a serem mais bem-educados”. O espaço também funciona como creche, onde os donos deixam os bichos enquanto vão trabalhar, como o buldogue francês Blue, na foto. Em breve, vão lançar um curso para tirar a “carta de cãodução”.

+ Estas creches são para miúdos de quatro patas

Publicidade
Devíamos ter Parado
©DR
Teatro

Teatro Meridional

icon-location-pin Marvila

Foi com a peça Devíamos Ter Parado que em Novembro e Dezembro do ano passado o Teatro Meridional celebrou 25 anos de vida. Ainda bem que não pararam e que se instalaram em Marvila em 1992, quando ainda não se passava nada nos armazéns vizinhos. Organizam anualmente o Laboratório de Dramaturgia e vários workshops com mais regularidade, como o Laboratório de Escrita Para Canções.

+ A cena é 2018: o que não pode perder em palco este ano

Igreja da Madre de Deus
©Museu Nacional do Azulejo
Museus

Museu Nacional do Azulejo

icon-location-pin Beato

No antigo Convento da Madre
de Deus está instalado o Museu Nacional do Azulejo, com uma colecção única de azulejos do século XV até aos dias de hoje e uma biblioteca especializada no tema. Um segredo mais ou menos bem guardado é a cafetaria, com azulejos oitocentistas e uma simpática esplanada com um mini-lago.

+ O maravilhoso mundo dos azulejos em Lisboa

Mostrar mais

Marvila: A Leste do Paraíso

musa
Fotografia: Francisco Santos
Coisas para fazer

Paragens obrigatórias na Rua do Açúcar, em Marvila

A leste pode estar o paraíso e Marvila é prova disso. O bairro mais cool da cidade tem o seu epicentro na Rua do Açúcar (assim chamada graças à antiga fábrica de açúcar) e na Praça David Leandro da Silva, com o nome de um comerciante que morreu no fim do século XIX. Depois de décadas ao abandono, a zona industrial está mais viva do que nunca e em cada armazém esconde-se uma surpresa. Dos restaurantes à cerveja artesanal, há muitas razões para se orientar por estas bandas (e a partir de Maio, pode ainda visitar o museu dos doces The Sweet Art Museum). Recomendado: As melhores ruas em Lisboa

Outros bairros para descobrir

alfama
Fotografia: Manuel Manso
Coisas para fazer

O melhor de Alfama: 10 paragens obrigatórias

Trinque um hambúrguer biológico, entre num salão do século XV e deixe-se submergir na poesia surrealista. O melhor de Alfama ainda é um mistério para muitos alfacinhas e este é o roteiro por onde começar.    Recomendado: Um roteiro do fado em Lisboa

1300 Taberna
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

20 coisas para fazer na Lx Factory

Viajámos pelo directório, aventurámo-nos no terreno e seleccionámos algumas paragens bem recomendáveis. Siga o roteiro de coisas para fazer na Lx Factory. Se procura mais alternativas, conte com os habituais mercados. 

Publicidade
Rua Garrett - Chiado
Fotografia: Manuel Manso
Compras

A velha guarda do Chiado

Não há compras em Lisboa sem uma passagem pelo Chiado. Em parte, graças a muitas lojas históricas que ainda resistem nos dias de hoje. Da mítica Paris em Lisboa à livraria mais antiga do Mundo, a Bertrand, dos cafés da velhinha Casa Pereira às obras únicas da Ferin, estas são as lojas onde tem mesmo de ir. 

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com