A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
bacalhau a bras laurentina
Gabriell VieiraO bacalhau à brás do restaurante Laurentina – O Rei do Bacalahu

Pratos de bacalhau a não perder em Lisboa

Estas mesas fazem um elogio a um dos ingredientes mais famosos da nossa cozinha com uma série de pratos de bacalhau a não perder.

https://d32dbz94xv1iru.cloudfront.net/customer_photos/14d3bbef-59cc-4753-a960-2f64c64804b1.jpg
Escrito por
Inês Garcia
e
Sebastião Almeida
Publicidade

É um dos ingredientes mais famosos da cozinha tradicional portuguesa e embora seja muito clássico na hora de o cozinhar, não faltam pratos com bacalhau para comer em Lisboa, bem criativos e com ingredientes diferentes a acompanhar. Prova disso é o facto de os lisboetas o terem escolhido como o prato mais icónico da cidade no Time Out City Index 2020. Aqui dizemos-lhe sete pratos que tem mesmo de provar, em vários tipos de restaurantes, da tasca à alta cozinha. O certo é que esta é a nossa comida de conforto. Se o que lhe apetece é bacalhau, então deixe-se guiar por nós.  

Recomendado: Os chefs que estão a mudar a gastronomia lisboeta

Pratos de bacalhau que não pode perder em Lisboa

  • Restaurantes
  • Português

Chegam ao prato empoleiradas, com arroz de grelos, há mais de 30 anos. Nos primeiros tempos do restaurante, havia até quem não achasse grande graça a estas pataniscas com bacalhau e salsa, mas a receita é de família e em casa de Manuel Martins todos eram fãs, portanto foi lá parar à ementa. Deve comer-se assim que sai da fritadeira (nunca é reaquecida, palavra do dono), para não perder textura e não ficar gordurosa.

Preço: 15,60€

  • Restaurantes
  • Português
  • Alfama
  • preço 2 de 4

Se há casa em Lisboa que faz jus ao bacalhau no nome é a Casa do Bacalhau: mantém as expectativas sem intrujices. Tem uma carta recheada com bacalhau à minhota (18€), com broa e grelos (18€) ou cozido com todos (35€/uma posta de 600 g) não esquece as línguas panadas com molho tártaro ou o arroz de línguas (32€).

Preço: 12€

Publicidade
  • Restaurantes
  • Lisboa

Na categoria da cozinha tradicional portuguesa de alto calibre, o Solar dos Presuntos não falta à chamada. Servem o bacalhau assado depois de ir ao forno, a acompanhar com batatas às rodelas. Tudo envolto em cebolada. Também o têm à lagareiro, com batata a murro e legumes salteados (22,50€).

Preço: 24,50€

  • Restaurantes
  • Português
  • Avenida da Liberdade/Príncipe Real
  • preço 2 de 4

O novo Faz Frio fez jus à antiga casa e mantem a tradição de um prato de bacalhau todos os dias. À terça há bacalhau com broa , à quarta bacalhau cozido, à quinta pasteis de bacalhau com arroz de grelos, à sexta bacalhau à Brás . Este bacalhau à Zé do Pipo é um dos que está na carta fixa e tem todos os elementos e sabor do prato mais tradicional, mas aqui é empratado de maneira completamente diferente.

Preço: 18€

Publicidade
  • Restaurantes
  • Português
  • Avenidas Novas

Marco e Rita Pires herdaram o título de reis do bacalhau e fizeram poucas mexidas na carta. Naturalmente, o bacalhau é o prato principal. Há à Bras (12,80€), com broa (13,50€), com natas e espinafres (15,50€), bacalhau alto assado (17€ a posta) e por aí fora. Se for fã de pataniscas, pode pedi-las como entrada ou prato principal com arroz de tomate ou feijão e salada (12,80€).

Preço: 12,80€

  • Restaurantes
  • Martim Moniz

Falar-se no Zé da Mouraria é falar-se no bacalhau em doses fartas com grão e batata a murro. É, aliás, difícil fazer jus ao tamanho da travessa que vem para a mesa. O Zé da Mouraria, aberto só para almoços.

Preço: 28,50€ (para duas pessoas)

 

Publicidade
  • Restaurantes
  • São Vicente 
  • preço 4 de 4

Há um oásis na Graça onde a portugalidade chega ao prato vinda do fogo. Como não poderia deixar de ser, o bacalhau está presente. Chega-nos vindo das Ilhas Faroé, é grelhado e acompanha com grão-de-bico e couve portuguesa. É um dos pratos nos menus de degustação (aqui apresentado sem o grão de bico e mais requintado) servidos no restaurante (45 e 75€) ou pode ser pedido ao fim-de-semana, num menu para take away ou entrega (35€).

Comida tradicional portuguesa

  • Restaurantes
  • Português

Ovos são bons de qualquer maneira. Mexidos, estrelados, escalfados e por aí fora. Mas na hora de inovar, olhe para a receita de um dos petiscos mais lisboetas: os ovos verdes. São feitos com ovo cozido, ao qual é retirada a gema para ser misturada com pão amolecido e salsa picada. Depois são envoltos num polme e são fritos. É aperitivo de tasca, salgadinho básico para matar a fome a qualquer hora do dia ou até uma refeição ligeira para dias em que não apetece muito.

  • Restaurantes

Tanto para escolher e não sabe por onde começar? E umas pataniscas e peixinhos da horta para início de conversa. Amêijoas à bulhão pato a seguir e um bacalhau à brás e uns ovos verdes de bacalhau para continuar, sem esquecer o clássico do prego para terminar. Por fim, um docinho: o pastel de nata da Manteigaria, cujas fornadas estão sempre a sair. Debaixo do mesmo tecto, o Time Out Market reúne muito do melhor de Lisboa. 

Publicidade
Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade