Os melhores restaurantes de carne em Lisboa

Mal passado ou médio-bem? Encontre os cortes mais suculentos nos melhores restaurantes de carne em Lisboa
Butchers - Maminha Black Angus
Fotografia: Ana Luzia
Por Mariana Correia de Barros |
Publicidade

A salivar por um bom bife? E já sabe como é que o vai querer? Mal passado ou médio-bem? O que não faltam em Lisboa são bons nacos de carne, daqueles suculentos e tenrinhos, que até se desfazem na boca. Já tínhamos desmistificado a carne maturada e mostrado os melhores sítios para a comer, mas estava a faltar uma lista essencial dos melhores restaurantes de carne em Lisboa. Carnívoros da cidade: este roteiro é para vocês. Fomos à procura dos cortes mais suculentos da cidade. Esta é a lista essencial dos carnívoros lisboetas. 

Recomendado: Os melhores restaurantes em Carnide

Melhores restaurantes de carne em Lisboa

Atalho Real - Chuteton
©DR
Restaurantes

Atalho Real

icon-location-pin Princípe Real

Gente indecisa, este restaurante vai ser uma tormenta para vocês: há várias peças de carne, da entrecôte maturada à maminha Black Angus, duas formas de a comer, no pão ou no prato, e quatro possíveis acompanhamentos. Para complicar, os hambúrgueres são deliciosos (o corte de carne também é escolhido por si), é tolice ignorar as entradas – o queijo provolone e a salsicha grelhada, ui, ui – e até há várias salas do interior para decidir onde ficar. Isto para não falar da esplanada, virada para o Jardim Botânico.

Perfeito para: jogar ao pim-pam-pum na ementa – qualquer escolha é boa.

Obrigatório provar: o chuletón no prato com batatas wedges e coleslaw.

T Bone Steak do Butchers
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Butchers

icon-location-pin Parque das Nações

Faça jejum, aqueça o maxilar, treine os cortes com uma faca imaginária e depois sente-se à mesa deste simpático restaurante de carnes do Parque das Nações. Vai precisar de tudo o que acima se escreveu para atacar devidamente um dos exemplares de carne maturada no restaurante ou de outros nacos ditos mais simples, como os bifes de lombo ou a maminha Black Angus. As peças vão para a grelha em bruto, sem sal e outros temperos, e chegam à mesa com saladas e batata doce frita. Quer algo mais simples? Peça um prego.

Perfeito para: fazer um vegetariano cair em tentação.

Obrigatório provar: o chuletón com 35 dias de maturação.

Publicidade
Sala de Corte
ManuelManso
Restaurantes, Steakhouse

Sala de Corte

icon-location-pin Cais do Sodré

A Sala de Corte reabriu depois de sete meses fechada. Está na mesma zona, no Cais do Sodré, e a sensação é a da Sala de Corte de sempre: as mesas têm os mesmos tampos de mármore, os candeeiros são de cobre, e a câmara de maturação à entrada está carregadinha de diferentes cortes de carne. Mas tudo numa escala maior. São mais de 100 lugares, entre sala, balcão (aqui mantêm-se os dez) e uma esplanada interior. Evoluiram no processo de maturação das carnes - a maturação é agora feita a 30 dias, em vez de 21, e há dois jospers ao invés de um. Aos seis cortes de carne bovina acrescentaram mais dois, o T-Bone e a rabada Minhota Galega. O melhor para o fim: já aceitam reservas. 

Perfeito para: um dia de ressaca em que tudo o que se sonha é um bife a sério.

Obrigatório provar: a rabada com arroz de feijão.

A Time Out diz
Café de São Bento - Bife do Lombo
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Café de São Bento

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

Já muito se escreveu sobre o bife de lombo à Café de São Bento. Sobre a carne tenra, sobre o molho inspirado no Marrare, mas com a sua receita própria, onde entram as natas Longa Vida, a manteiga, o sal, a pimenta e, importantíssimo, os sucos da carne, sobre as batatas fritas amolecidas depois de nadarem na piscina de molho, sobre o modo simpático como tratam qualquer cliente, dos oito aos oitenta anos, sobre a aura pub do espaço. Mas já lhe falaram da tarte tatin de maçã? E do prego de lombo? E do carpaccio? Ah, pois é.

Perfeito para: dizer ao mundo que já trincou o melhor bife de Lisboa.

Obrigatório provar: o bife à Café de São Bento (what else?).

Publicidade
ofício
Fotografia: Francisco Santos
Restaurantes, Europeu

Ofício

icon-location-pin Chiado

O osso do chambão servido no novo restaurante do Chiado é tão grande que quem come a carne – um belo naco para quatro a cinco pessoas e que se desfaz assim que é servida, macia e bem temperada – pede para levar para casa. É um dos ossos do Ofício, o projecto do actor Pedro Teixeira com Diogo Figueiredo, Pedro Pereira, Felipe Cholas e João Fernandes. O foco do restaurante são, então, as boas carnes, todas com osso. É com essa particularidade que o Ofício se quer diferenciar das restantes steakhouses da cidade, explicam. Além do chambão, que fica a marinar 12 horas com o sal injectado no osso para a carne o absorver, há entrecosto com um molho barbecue à portuguesa, aba curta, costeleta do cachaço grelhada e assada à bairrada, costelão do acém redondo, t-bone de novilho, vazia no osso ou um bacalhau ossado que é, na verdade, uma açorda de bacalhau do it yourself.

byf, wagyu
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Steakhouse

BYF Steakhouse

icon-location-pin Lisboa

A Byf Steakhouse tomou conta do lugar do antigo Toni dos Bifes, no Saldanha, e dá-lhe a escolher entre nove cortes diferentes, outros tantos sais aromatizados. Aqui começa tudo com a escolha das armas para o duelo. Depois de escolher o corte de carne, aparece alguém com um estojo em pele e lá dentro dez facas diferentes. As lâminas têm diferentes tamanhos e diferentes serrilhas e, para o caso de ficar muito confuso, vão aconselhá-lo sobre qual escolher tendo em conta a peça escolhida. Logo à entrada vê-se uma vitrina com a altura de toda a sala com uns quantos pedaços de carne maturada. Estão lá uma aba de novilho, picanha e uma presa de wagyu mas a carta mostra também o rib eye (36€), o entrecôte (16€), a chuleta (35€) ou o t-bone (60€/kg) – estes três últimos maturados.

Publicidade
Café do Paço - Sala de Refeições
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Português

Café do Paço

icon-location-pin Lisboa

“Olá, como está?” Assim se recebem todos os clientes que tocam à campainha do Café do Paço, sejam eles estreantes, sejam eles habitués. Os primeiros vão ficar boquiabertos com esta casa estilo pub inglês, de sofás capitonê encarnados, e com a ementa onde há pratos raros como o balchão de gambas e os bifinhos raspados. Os segundos vão atirar-se de imediato ao croquete com mostarda, ao bife do lombo a nadar em molho de natas e garantir que têm a dose de trouxas de ovos da Caldas no final. Já sabe como agir.

Perfeito para: voltar aos anos 90 no serviço, comida e zona de fumadores.

Obrigatório provar: o bife do lombo à Café do Paço.

Rib Beef & Wine - Cowboy Steak
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

RIB Beef & Wine

icon-location-pin Santa Maria Maior

Foi a segunda aposta de restauração da Pousada de Lisboa (o Lisboeta deixou poucas memórias) e veio com um conceito que o grupo Pestana já tinha no Porto. Chama-se RIB Beef & Wine, tem à cabeça o chef Rui Martins, mas na execução de Lisboa, o chef Luís Rodrigues. Respeitando o nome, o core da ementa são os cortes de carne, como o exímio tomohawk ribeye steak ou o chateaubriand, há vários molhos e guarnições à escolha, mas deixe espaço para as entradas e sobremesas. Só é pena ter tantos turistas.

Perfeito para: admirar/invejar a vida dos estrangeiros que visitam Lisboa.

Obrigatório provar: a sopa de tomate escalfado à alentejana com ovo escalfado e bacalhau.

Publicidade
Volver de Carne Y Alma
© ARLINDO CAMACHO
Restaurantes

Volver de Carne Y Alma

icon-location-pin Lumiar

Já foi um dos grandes restaurantes da cidade (lembra-se da Quinta dos Frades?), muito mediático na altura em que Chakall esteve aos comandos (lembra-se da equipa inteira de turbante?) e há uns anos mudou de nome para Volver de Carne y Alma, onde assumiu de uma vez por todas a veia argentina, as carnes na parilla (a churrascada dos argentinos) e as noites de tango. As empanadas de carne são imperdíveis, as carnes maturadas na casa idem (aconselha-se a dividir) e as sobremesas deliciosas.

Perfeito para: uma despedida carnívora para quem vai virar vegetariano.

Obrigatório provar: o bife chorizo Black Angus.

Restaurantes em Lisboa para abrir o apetite

El Bulo
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Os melhores restaurantes latino-americanos em Lisboa

Não sabe onde comer causas, tacos, moquecas, ceviches, empanadas e guacamole na cidade? Atravessámos o Atlântico sem sair de Lisboa para lhe apresentar os melhores restaurantes latino-americanos em Lisboa. Para escorregar melhor, pode escolher entre mojitos, pisco sours, caipirinhas e margaritas. Mantenha um copo de água por perto, que a coisa pode aquecer.

Soão
©Manuel Manso
Restaurantes, Japonês

Os melhores restaurantes japoneses em Lisboa

A cozinha japonesa apareceu em Lisboa nos anos 1980 mas só nos anos 2000 atingiu o seu boom. Nos últimos anos a oferta de restaurantes tem crescido em larga escala por toda a cidade, em parte por culpa dos buffets de sushi que democratizaram a relação dos portugueses com estas pecinhas de arroz e peixe e cru. Nem tudo o que abriu, porém, tem a qualidade de matéria-prima desejada ou mãos que a saibam tratar como merece. Comida japonesa não é, de todo, só sushi, mas há já umas boas mãos cheias de restaurantes que servem sushi de qualidade e confeccionado com talento, seja ele mais ou menos tradicional. Prove-o num destes 18 restaurantes japoneses em Lisboa.

Publicidade
Muito Bey - Tapas
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Os melhores restaurantes do Médio Oriente em Lisboa

Esqueça as mil e uma noites e coloque o mindset mais nos mil e um pratos. Temos Turquia, Líbano, Síria e o estilo do Médio Oriente inteiro: muitos pratos para partilhar e o pão como estrela da mesa. Nem precisa de pegar na bússola para rumar a Oriente, basta pegar nesta lista e orientar-se por estes restaurantes do Médio Oriente em Lisboa.

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com