Seis sabores very typical de Lisboa

Diga rápido uma iguaria lisboeta (a resposta "pastéis de nata" não conta). Viajamos à história de alguns pratos associados à cidade. Depois, basta prová-los
Iscas da Taberna da Rua das Flores
Fotografia: Arlindo Camacho Vai umas iscas?
Publicidade

O tema é fracturante, responsável por pouco consenso, gerador de dúvidas e outros sinónimos para situações pouco claras no que toca a origens. Seguimos as indicações no site da Câmara Municipal, que destaca 16 Sabores de Lisboa, e escolhemos alguns clássicos à mesa.

Iguarias alfacinhas

ovos verdes do mesa do bairro
Fotografia: Arlindo Camacho

Ovos verdes

Diz  a receita que se devem cozer os ovos durante 10 minutos. Depois, retira-se a casca e partem-se longitudinalmente. Que se retirem as gemas, esmagadas numa tijela com miolo de pão amolecido em leite, misturadas com salsa picadinha e o devido sal e pimenta. O preparado serve para rechar os ditos ovos, que passam por ovo batido e pão ralado e acabam fritos me óleo bem quente. Se dispensa aborrecimentos de maior e tem pouca queda para a cozinha, procure-os no restaurante Mesa do Bairro, por exemplo.

+ Doido por claras e gemas? Eis os melhores ovos Benedict 

empada de perdiz do coelho da rocha
Fotografia: Ana Luzia

Perdiz à Convento de Alcântara

As empadas no Faz Gostos e o folhado de perdiz no Coelho da Rocha podem funcionar como primo contemporâneo deste prato ao nível da alta cozinha. Consta que é mesmo considerado por muitos como o único exemplar de receita nesta categoria. O elenco de ingredientes e modo de confecção foi encontrado pelos soldados de Junot, aquando do saque ao convento de Alcântara. A duquesa de Abrantes, senhora Junot, acabaria por transcrever a receita nas suas memórias e o chef francês Auguste Escoffier (1846-1935) incluiu-a no seu Guide de Culinaire. Para reproduzir em casa, não se esqueça das trufas, do fois gras e do vinho do Porto seco. Et voilá!

+ 50 novos restaurantes que merecem uma visita

Publicidade
Camera

Broas Castelar

Incluem batata doce, coco ralado e farinha de milho e têm presença assídua nas mesas natalícias. Mas de onde vem o nome Castelar? Bom, falamos dos irmãos Castelar, proprietários da Confeitaria Francesa, fundada em 1860, que se situava na Rua do Ouro, e que terão criado esta especialidade. 

+ As melhores pastelarias com fabrico próprio

bacalhau à braz com azeitonas explosivas, café lisboa
©Paulo Barata

Bacalhau à Brás

Abençoado taberneiro do Bairro Alto que se lembrou de misturar ovos com batatas fritas e ovos mexidos. Pouco importa agora para as suas papilas gustativas se o dito mestre cuca se chamava Brás ou Braz, mais uma daquelas questões que não irá roubar-nos apetite. É um clássico nas casas lisboetas, mas se quiser confiar a sua refeição a quem sabe, não faltam opções. Das doses XL da Varina da Madragoa ao Café Lisboa para uma reinvenção de luxo a cargo de José Avillez.

+ Você é mais peixe? Espreite esta lista

Publicidade
Iscas da Taberna da Rua das Flores
Fotografia: Arlindo Camacho

Iscas

Se banha e fígado são duas palavras que lhe dão logo volta ao estômago, passe à próxima sugestão. As finas tiras de fígado são habitualmente conhecidas por iscas, e vinagre é outro dos ingredientes-chave. Segundo Albino Forjaz de Sampaio (1884-1949) na obra Volúpia – A Nona Arte: a Gastronomia, era um prato vulgar na Lisboa do século XIX e princípios do século XX. Hoje, está à distância de cosmopolitas paragens como a Taberna da Rua das Flores.

+ Comece a refeição por aqui: os novos petiscos de Lisboa

Café de São Bento - Bife do Lombo
Fotografia: Ana Luzia

Bife à Marrare

Comecemos por trocar o lombo por miúdos: o Bife à Marrare é no fundo o Bife à Café, com o molho feito não com natas mas com leite, mais um pouco de mostarda e limão (o café vem do sítio onde é servido). Apresentemos agora António Marrare, napolitano que se fixou em Lisboa no século XVIII, e que teve vários cafés. Foi no Café da Rua dos Sapateiros, também chamado “Marrare das Sete Portas”, fundado em 1804, que nasceu o célebre bife. 

 + Os melhores restaurantes de carne em Lisboa

Mesas de Lisboa

Bastardo - Tio Patinhas
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Os melhores restaurantes na Baixa

Bairro mal-amado pelos lisboetas, idolatrado pelos turistas, a Baixa continua a ter vários restaurantes que merecem a sua atenção. Quer ande à procura de boa comida portuguesa, de um japonês diferente dos congéneres da cidade ou de alguns clássicos que se mantêm com muita qualidade há vários anos. Estas são as nossas escolhas dos melhores restaurantes na Baixa.  Recomendado: Os melhores restaurantes na Mouraria

Tentações de Goa
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Os melhores restaurantes na Mouraria

É o sítio ideal para quem quer visitar o que resta da Lisboa do fado e das tascas e para provar um pouco de tudo: chinês, goês e o mais típico do português. Um roteiro perfeito pelos melhores restaurantes na Mouraria. Recomendado: Onde comer em Lisboa a melhor comida do mundo

Publicidade
Casa Nepalesa - Sortido de Pratos
©César Baltazar
Restaurantes

Os melhores restaurantes nas Avenidas Novas

Italianos, nepaleses, japoneses e, como não podia deixar de ser, portugueses, numa linha muito tradicional. As Avenidas Novas têm oferta para todos os gostos e carteiras. Esta é a nossa escolha dos melhores restaurantes nas Avenidas Novas para comer bem quando andar de passeio pela zona.

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com