A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Faraós Superstars
Fotografia: Pedro Pina“Faraós Superstars", no Museu Calouste Gulbenkian

As melhores coisas para fazer em Lisboa este mês

Quer aproveitar a cidade e não sabe por onde começar? Descubra as melhores coisas para fazer em Lisboa este mês.

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Como é costume, a agenda cultural da cidade entrou em velocidade cruzeiro em Novembro e, agora que Dezembro chegou, o espírito natalício está oficialmente no ar (com a promessa de um ano novinho em folha no horizonte, claro está). Há luzes, decorações, mercados e correria por todo o lado. Com concertos (os portugueses estão ao rubro) e exposições, festivais e as primeiras incursões de compras de Natal, fomos à procura das melhores coisas para fazer em Lisboa este mês e encontrámos mais de duas mãos cheias de sugestões, incluindo uma série de iniciativas gratuitas. Aproveite e viva a cidade ao máximo.

Recomendado: As melhores coisas para fazer este fim-de-semana em Lisboa

Coisas para fazer este mês em Lisboa

  • Arte
  • Arquitectura
  • Lisboa

Entre 29 de Setembro e 5 de Dezembro, a 6ª edição da Trienal de Arquitectura de Lisboa vai dar que pensar. A proposta passa por explorar questões como as alterações climáticas, a pressão sobre os recursos naturais e as desigualdades socioeconómicas, situações complexas que acabam por estar interligadas e que pedem uma mudança de paradigma. Esta edição ligada à Terra faz um apelo à acção e propõe que o desenvolvimento das cidades se faça de forma circular e mais sustentável. Terra é o tema central do evento que propõe uma mudança de paradigma em prol dum futuro mais sustentável, através de quatro exposições, quatro livros, três prémios, três dias de conferências e uma selecção de Projectos Independentes.

  • Música
  • Portuguesa
  • Avenida da Liberdade

O cantor, compositor, guitarrista e pai do rock português vai revisitar os grandes momentos de uma carreira que já soma mais de 40 anos de canções, acompanhado pelo seu trio. No Tivoli.

Publicidade
  • Música
  • Folk, country e blues
  • Avenida da Liberdade

A escritora de canções toca ao vivo no Teatro Tivoli BBVA os temas de Picos e Vales (2022), um disco de dicotomias onde expõe dúvidas e certezas, falhas e virtudes, sonhos e segredos.

  • Música
  • Cais do Sodré

O Musicbox faz 16 anos e a festa prolonga-se por quatro dias. Além de concertos de Hetta, Cookie Jane, Iolanda, Leexo (quarta-feira), Sopa de Pedra (quinta-feira), Capitão Fausto (sexta-feira), Ivan$ito e Extrazen (sábado), há DJ sets diferentes todas as noites. Vai ser um festão.

Publicidade
  • Filmes
  • Drama
  • Areeiro/Alameda

Nesta quarta edição do Triste Para Sempre, a decorrer no Fórum Lisboa, serão exibidas 25 curtas-metragens portuguesas, o maior número de sempre. A estes filmes, a programação inclui também três longas-metragens, duas das quais nacionais (Alcindo, de Miguel Dores, e Simon Chama, de Marta Sousa Ribeiro) e uma italiana (65 Rose, de Davide Del Mare). Mas são as curtas que estarão sob escrutínio do júri, neste festival que tem como primeiro objectivo a promoção do cinema independente e de autor. Os filmes de curta duração irão competir pelos prémios Lágrima Nacional e Lágrima Internacional, atribuídos pelo júri, enquanto que público também será convidado a votar na curta-metragem preferida, numa categoria baptizada de Lágrima do Público. Ao todo, o festival estará dividido em oito sessões, cada uma com um tema diferente, como saúde mental, nostalgia, morte, solidão, a dicotomia partir/ficar, entre outros.

  • Teatro
  • Sintra

O romance de estreia do escritor de origem nigeriana Uzodinma Iweala é levado à cena em Sintra. O livro, editado em Portugal pela Antígona, mostra o horror, a revolta e a incompreensão sobre a guerra, ao contar a história de Agu, uma criança-soldado, obrigada a combater. Nesta encenação de Paula Pedregal, Agu habita o corpo de três actores (que também eles se desdobram em várias personagens).

Publicidade
  • Arte
  • Arte urbana
  • Marvila

“Evilution”, a primeira exposição a solo de Bordalo II desde 2017, chega ao Edu Hub Lisbon. Abre com três séries inéditas de Small Trash Animals: neutral (pintados sobre plástico para mostrar um animal quase real); half-half (metade neutral, metade de plástico colorido em que é fácil identificar os objetos usados) e plastic (uma evolução que revela os objectos usados sem pintura alguma). Seguem-se peças produzidas com materiais nunca antes usados pelo artista. E há ainda uma secção que reflecte os primeiros tempos de Bordalo II no mundo da arte.

Publicidade
  • Filmes
  • Alcântara

Está de regresso mais uma edição do Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa (FESTin) que apresenta produções cinematográficas da comunidade de países de língua portuguesa. De 9 a 14 de Dezembro, a 13.ª edição do FESTin exibe 40 filmes, enter os temas da migração, da violência contra a mulher e da ascensão das milícias, sem esquecer a música e a literatura. O centro da programação é o Cinema São Jorge, mas também há sessões, de entrada livre, no Museu das Comunicações, no Liceu Camões, e no Espaço Talante.

  • Comédia
  • Santa Maria Maior

Luís Franco-Bastos regressa ao Coliseu de Lisboa, no dia 16 de Dezembro, com "Diogo", o primeiro espectáculo focado na sua vida pessoal e familiar. Num formato 360º, o humorista português deixa de lado as já conhecidas imitações de nomes como Marcelo Rebelo de Sousa, Alberto João Jardim ou Cristiano Ronaldo para se focar, pela primeira vez, na sua própria história de vida. "Depois de 15 anos a falar dos outros, chegou o momento de falar de mim. Da minha família, da minha educação, da minha vida", partilhou Franco-Bastos nas suas redes sociais. Para isso, o comediante escolheu o nome "Diogo", o seu segundo nome utilizado pelos pais para o distinguir do pai, Luís, e do irmão, Luís Miguel, para entitular o projecto que marca o seu regresso aos palcos. São 90 minutos de stand-up onde Franco-Bastos deverá partilhar com o público memórias, episódios e experiências da sua infância até aos dias de hoje com recurso ao já habitual humor negro.

Publicidade
  • Teatro
  • Santa Maria Maior

O último espectáculo a subir ao palco da sala estúdio antes do encerramento do TNDMII para obras é uma criação de Paula Diogo, em co-criação com Renato Linhares, a partir de um vídeo filmado em 2019. Neste, uma mulher vestida de mulher-maravilha caminha perante uma paisagem, algures na Islândia. 

  • Comédia
  • Comédia de improvisação
  • Avenida da Liberdade

Os Commedia a La Carte enchem salas de espectáculos há mais de duas décadas, continuando a surpreender a cada regresso aos palcos. E agora, além do novo espectáculo Do nada, César Mourão, Carlos M. Cunha e Gustavo Miranda viram-se para a “nova geração da comédia de improviso” numa nova série de espectáculos pensados especialmente para famílias com crianças. Rita Cruz, Filipa Duarte e Joana Castro levam a Commedia a La Carte Kids a Lisboa entre 26 de Novembro e 18 de Dezembro, no Teatro Tivoli BBVA. Em palco, as três actrizes-improvisadoras vão estar acompanhadas por uma banda composta pela guitarrista Mariana Rosa, a baterista Maria Campos e a baixista Ana Roque. O texto não está escrito na pedra e será o público a decidir em que lugares e com que personagens e objectos se criam as histórias apresentadas. O que é que isto significa? No fundo, que de facto nenhum espectáculo será igual ao outro.

Publicidade
  • Filmes
  • Avenida da Liberdade

Pela primeira vez, a programação natalícia da EGEAC inclui estas Fitas de Natal, um conjunto de filmes alusivos à quadra que serão exibidos no Cinema São Jorge. Uma oportunidade de apreciar filmes que raramente podem ser vistos em sala, durante quatro manhãs do mês de Dezembro. Nightmare Before Christmas (1993), de Tim Burton; Disney's A Christmas Carol (2009), de Robert Zemeckis; The Muppet Christmas Carol (1992), de Brian Henson; e How The Grinch Stole Christmas (2000), de Ron Howard, são as longas-metragens do programa. A entrada é livre, mediante o levantamento prévio do ingresso na bilheteira do Cinema São Jorge.

  • Compras
  • Lisboa

Pelo segundo ano consecutivo, a Santo Infante apanha boleia do Natal e aproveita para explorar outro bairro lisboeta. Depois de Santos, é a vez do Príncipe Real receber um dois em um – uma loja pop up recheada de marcas portuguesas e uma casa aberta, mobilada e decorada com o que de melhor se anda a fazer em Portugal, sempre com a curadoria da loja da Avenida Infante Santo, claro. De um lado, vai poder fazer as tão aguardadas (ou não) compras de Natal, do outro terá livre trânsito para bisbilhotar aquela que possivelmente será a casa dos seus sonhos. Há ainda uma agenda de workshops semanais para pôr as mãos na massa. Tudo isto na Travessa do Monte do Carmo, 23, 2.º e 3.º andares.

Publicidade
  • Miúdos
  • Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

Neste espectáculo, há uma dessas crianças traquinas e ansiosas com o estado das coisas, que não pára até descobrir porque é que as coisas são como são. Com texto de João Cachola e encenação de Vicente Wallenstein, é a terceira criação da companhia As Crianças Loucas e a segunda em parceria com a banda de rock portuguesa Zarco, que estará em palco, a tocar ao vivo.

  • Filmes
  • Documentários
  • Castelo de São Jorge

O ciclo de cinema de Dezembro da Casa da Achada  Centro Mário Dionísio propõe uma reflexão sobre a exposição nas redes sociais. Que riscos estamos a correr ao partilhar informação pessoal, dos dados às opiniões? Todas as segundas-feiras, às 21.30, este ciclo documental exibe longas-metragens que convidam ao debate sobre este tema, numa programação co-desenhada pelo colectivo PrivacyLx.

Publicidade
  • Teatro
  • Chiado

A Companhia Nacional de Bailado torna ao São Carlos para revisitar o clássico Giselle. O bailado, aqui na versão coreográfica de Georges Garcia, tem interpretação musical ao vivo da Orquestra Sinfónica Portuguesa. Marcelino Sambé e Anna Rose O’Sullivan, bailarinos principais do Royal Ballet, em Londres, interpretam os papéis de Giselle e Albrecht nas récitas de 4, 7 e 10 de Dezembro. 

  • Coisas para fazer
  • Exposições
  • Oeiras

O prazer sexual feminino é historicamente menosprezado, mas há uma nova exposição que quer pôr o tema no centro das conversas. Desde o final de Junho que o Palácio dos Anjos, em Algés, mostra "Amor Veneris – Viagem ao Prazer Sexual Feminino", a primeira iniciativa do Museu Pedagógico do Sexo (Musex). Com ou sem consentimento? É a pergunta colocada à entrada da exposição, que é também uma viagem pelo corpo e sexualidade das mulheres.

Publicidade
  • Arte
  • Marvila

E se as silhuetas greco-romanas fossem transpostas para o presente, em particular para o universo da arte urbana? As propostas para esta mistura de épocas chegam pelas mãos do duo espanhol PichiAvo, que cruza arte clássica e graffiti através de um conjunto de fragmentos de gesso e bustos, na galeria Underdogs.

  • Noite
  • Alcântara

“Mundo Secreto tá na casa, põe a mão no ar”. E por casa, diga-se, o Centro de Congressos de Lisboa. A banda de Leça da Palmeira, e também Kali, do grupo Flow 212 (os criadores do êxito "Ritmo do Meu Flow"), que se tornaram conhecidos nos anos 2000, são, para já, os nomes confirmados para a estreia da Revenge of the 2000’s, na noite da passagem de ano. Mas outros virão, garante a organização. Os bilhetes (30€ o primeiro lote) já estão à venda em www.revengeofthe2000.com

Publicidade
  • Arte
  • Fotografia
  • Belém

Steve McCurry tem um extenso portfólio de fotografias emblemáticas. A Lisboa vão chegar 100 imagens em grande formato para a exposição ICONS, que inaugurou em Setembro, na Cordoaria Nacional. Com curadoria da italiana Biba Giacchetti, co-fundadora da agência Sudest57, esta mostra vai apresentar algumas das imagens mais emblemáticas do fotógrafo norte-americano, entre elas o retrato que tirou em 1984 à menina afegã Sharbat Gula, uma imagem que no ano seguinte fez capa da National Geographic.

  • Arte
  • Avenida da Liberdade/Príncipe Real

“Frida Kahlo, A Vida de um Ícone” é a nova experiência imersiva e interactiva da Immersivus Gallery, um convite para conhecer ao pormenor uma das artistas mais influentes de todos os tempos. O projecto resulta de uma parceria do OCUBO com a Fundação Frida Kahlo Corporation, a galeria Ideal Barcelona e o estúdio criativo Layers of Reality. A visita tem uma duração média de uma hora e 15 minutos, e o público é desafiado a percorrer um conjunto de instalações artísticas com experiências de carácter interactivo e participativo, de realidade virtual, animações holográficas e vídeo mapping em esculturas. A exposição pode ser vista de terça a domingo, com entradas de meia em meia hora, entre as 17.00 e as 20.30. O preço dos bilhetes varia entre 10€ e 15€ e são ainda praticados preços especiais para grupos e turmas escolares.

Publicidade
  • Miúdos
  • Parque das Nações

Na era Mesozóica, há muitos muitos milhões de anos atrás, o planeta era quente e húmido, rico em vegetação e espécies exóticas. Os Homo Sapiens ainda estavam longe de existir, mas havia répteis, como os dinossauros, que dominavam a Terra. Uns eram tão pequenos quanto galinhas, outros eram gigantes de pescoços longos como as girafas. Cobertos de escamas, penas, espinhos ou couraças, a diversidade era tanta que, para dizer a verdade, os cientistas descobrem, em média, uma nova espécie por semana. Mas como e o que é que comiam? Como é que se defendiam? Que rituais de acasalamento ou cuidados parentais apresentavam? Já é possível encontrar as respostas a estas e outras questões graças às novas tecnologia –, e num só sítio: a nova exposição do Pavilhão do Conhecimento. Em “Dinossauros: O Regresso dos Gigantes”, as famílias são convidadas a conhecer de perto e à escala real espécies como o famoso Tyrannosaurus rex, um dos maiores predadores que alguma vez existiu, o Ornithomimus, detentor do primeiro lugar do pódio em velocidade, e o Ankylosaurus, que parecia estar “armado até aos dentes” como o seu próprio nome sugere.

  • Coisas para fazer
  • Lisboa

Com o Mês da História Negra como mote (celebrado em Outubro e em Fevereiro no Reino Unido e nos Estados Unidos, respectivamente), o colectivo The Blacker The Berry Project leva uma programação de filmes, conversas e workshops até à nova morada do Largo Residências. Há sessões marcadas para os dias 12 e 26 de Novembro, 10 de Dezembro, 7 e 21 de Janeiro e 4 e 11 de Fevereiro.

Publicidade
  • Arte
  • São Sebastião

Uma dupla celebração está na origem desta exposição: os 100 anos da descoberta do túmulo de Tutankhamon, no Vale dos Reis, pelo egiptólogo britânico Howard Carter, e os 200 anos da decifração dos hieróglifos, por Jean-François Champollion. Apresentada recentemente no Mucem, em Marselha, a exposição reúne cerca de 250 obras de importantes colecções europeias, entre antiguidades egípcias, iluminuras medievais, pinturas clássicas, documentos, obras históricas, mas também vídeos, música pop, bens de consumo e publicidade do nosso tempo. Este conjunto tão variado de obras convida a uma reflexão sobre a popularidade destas personagens históricas, e por vezes míticas. Porque são alguns faraós autênticas celebridades, enquanto a memória de outros se perdeu ao longo do tempo?

Mais que fazer

  • Coisas para fazer

São dezenas de coisas grátis para fazer em Lisboa: afinal não queremos que deixe de aproveitar o melhor que a cidade tem apenas por ter a carteira mais vazia. Há muito para fazer à borla em Lisboa. Não acredita? Então espreite a lista que se segue. Não se vai arrepender. Já lhe dissemos que é grátis?

  • Atracções
  • Parques e jardins

Sempre que tiver tempo para arejar as ideias, opte pelo ar puro e pelos espaços que pintam a cidade de verde e faça o favor de apanhar um arzinho por aqui. Do jardim da Estrela ao pulmão verde de Lisboa – falamos do Monsanto, pois claro –, espaços verdes não faltam na cidade e mais além.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade