Os melhores restaurantes de petiscos em Lisboa

Esta lista é para quem prefere pedir uma data de pratinhos para partilhar em vez de um prato principal só para si. Eis os melhores restaurantes de petiscos em Lisboa.
Fotografia: Manuel Manso Tapisco
Publicidade

Numa almoçarada de amigos. Num final de tarde depois da praia. Num dia de chuva. Num jantar fora de horas. A arte de picar é bem típica portuguesa e calha bem a qualquer hora do dia ou qualquer refeição. Descubra aqui os melhores restaurantes de petiscos em Lisboa e partilhe sem vergonha. 

Recomendado: Oito petiscos para partilhar em Lisboa

Os melhores restaurantes de petiscos em Lisboa

Prato com tomates da Taberna da Rua das Flores
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Português

A Taberna da Rua das Flores

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

Para infelicidade da população em geral, esta pequena taberna do século XXI deixou de aceitar reservas no segundo dia de funcionamento - já lá vão uns aninhos. E desde essa data há fila à porta, ao almoço e ao jantar. Nas horas de luz natural, para experimentar receitas tradicionais como a meia-desfeita; nas horas de luz artificial, com uma série de pratos e petiscos que o chef André Magalhães e comitiva inventam todos os dias com aquilo que a estação e os produtores (muitos deles perto de Lisboa), trazem.

Perfeito para: levar um amigo estrangeiro e mostrar-lhe a boa comida portuguesa.

Obrigatório provar: as iscas com elas.

A Time Out diz
Cervejaria Boa Esperança
©DR
Restaurantes, Frutos do mar

Cervejaria Boa Esperança

icon-location-pin Benfica/Monsanto

O crítico Alfredo Lacerda chamou-lhe a marisqueira mais invisível de Lisboa e não fossem os GPSs incorporados em telemóveis e ninguém daria por ela – isto só é válido para quem não mora na zona de Benfica, claro. Aqui comem-se pregos com alho e carne fina, amêijoas à Bulhão Pato, umas gambas do Algarve quentinhas, além de saladinhas frias (polvo, búzios e orelha), cachorros, moelas e outros petiscos que tais. Se já está a sonhar com um pós-praia perfeito, de imperial e caracóis à frente, aqui também o pode fazer.

Perfeito para: uma mariscada simples fim de tarde a preços pré-crise.

Obrigatório provar: o prego especial, com carne do pojadouro, em carcaça.

A Time Out diz
Publicidade
Bota Sal
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Frutos do mar

Bota Sal

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

Abriu em meados de 2017 como uma extensão do Sal, na Praia do Pego (esse mesmo, em que Madonna almoçou), onde durante anos funcionou a tasca Bota Velha, e trouxe para Lisboa os pratos e petiscos de mar, algumas carnes e, esse é o único senão, os preços elevados. Ainda assim, vale a pena ir a esta simpática petiscaria moderna provar o pica-pau de lombo, as lulinhas à algarvia, sopa de peixe com pão frito e o mítico arroz nero de choco com tiras de bacon. Ah! Tem uma happy hour de cerveja das 18.00 às 19.30

Perfeito para: saudosistas da Bota Velha; saudosistas do Sal na Comporta.

Obrigatório provar: o pastel de massa tenra.

A Time Out diz
Peixinhos da horta do Coelho da Rocha
©DR
Restaurantes, Português

Coelho da Rocha

icon-location-pin Campo de Ourique

Se o que procura neste guia é um restaurante com lugares ao balcão para almoçar sozinho, marque aqui o seu lugar; se é um carnívoro inveterado e gosta tanto de carne de vaca como de porco desde se seja boa, também é possível que seja feliz aqui; se por outro lado aquilo que o faz feliz é uma refeição só à base de petiscos e quanto mais portugueses forem melhor, pode começar à procura de lugar de estacionamento em Campo de Ourique. No “CR”, como se auto-intitulam, há de tudo.

Perfeito para: apreciar o trabalho que a equipa d’ O Magano fez no velhinho restaurante.

Obrigatório provar: as favinhas com linguiça.

A Time Out diz
Publicidade
Fumeiro de Santa Catarina - Polvo
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Português

Fumeiro de Santa Catarina

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

As leis do fumeiro aplicam-se a todos os pratos deste castiço restaurante vizinho do Adamastor – perfeito para jantar depois de um fim de tarde de copos a ver a vista. Quer isto dizer que das entradas às sobremesas, todos os pratos têm um elemento que passa pelo fumeiro. Recomendam-se a salada de rosbife fumado com rabanetes, a fritada de cogumelos e espargos, a sandes de costela de boi e vinho do Porto e os sonhos de bacon com espuma de cardamomo. Às quartas é dia de piano assado no forno. E que piano...

Perfeito para: jantares de grupo com menus pré-definidos e variados.

Obrigatório provar: as batatas do Vovô (não vá em cantigas, peça umas só para si).

A Time Out diz
Pap'Açorda
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Pap'Açorda

icon-location-pin Cais do Sodré

A menos que tenha vivido como um eremita nos últimos anos, já sabe, com certeza, que o Pap’Açorda se mudou de malas e bagagens para o primeiro andar do Time Out Market. Sabe também que Manuela Brandão, a cozinheira que não gosta de ser chamada de chef, veio com ele, e que apesar de algumas novidades (como o Market Menu, servido até às 18.00), estão lá os suspeitos do costume: pastéis de massa tenra, costeletas de borrego panadas, tomatada de ovo escalfado e, óbvio, a mousse de chocolate.

Perfeito para: um jantar com entrada directa no Rive-Rouge.

Obrigatório provar: as costeletas de borrego panadas com esparregado.

A Time Out diz
Publicidade
pharmácia esplanada
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Português

Pharmácia

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

Passaram 10 anos desde que os lisboetas se perderam de amores por uma taberna descontraída de petiscos e pratos para dividir na Madragoa e que o nome da algarvia Susana Felicidade começou a ser falado. Dez anos depois, e já com outros projectos em mãos, o Pharmacia continua a ser o sítio que melhor espelha a sua cozinha. Tradicional sempre, criativa sempre, portuguesa sempre. Para jantares de partilha na esplanada ou na maravilhosa farmácia, ups, sala, importa é vir. A carta de cocktails acompanha a qualidade do espaço.

Perfeito para: petiscar ao fim da tarde com uma boa vista sobre Lisboa.

Obrigatório provar: o croquete de pato com compota de laranja.

A Time Out diz
pica pau rubro
©DR
Restaurantes

Rubro Avenida

icon-location-pin Avenida da Liberdade

Tempos houve em que Lisboa se podia orgulhar de ter uns quantos restaurantes de tapas (finais dos 90, inícios dos anos zero). Mas hoje, quem ver comer ovos rotos a valer, umas puntillitas ou um solomillo de buey, tem de andar à procura de bons chefs portugueses que o façam. Ou então, tem de marcar mesa no Rubro, um dos restaurantes mais simpáticos da Avenida da Liberdade e arredores, e tapear à moda de nuestros hermanos, com pratos feitos a partir de bons ingredientes – então nas carnes, é tudo de qualidade.

Perfeito para: comer bem, falar alto, beber bom vinho.

Obrigatório provar: o chuletón – mal passado, plamordedeus.

A Time Out diz
Publicidade
Taberna da Esperança - Empadão de Codorniz com Alheira
©DR
Restaurantes, Português

Taberna da Esperança

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

Susana Felicidade passou a sua Taberna Ideal a outra gerência há uns anitos, e os novos donos escolheram deixá-la tal e qual. Os pratos continuam a ser todos para dividir, as cadeiras e as loiças seguem a lógica de cada uma de sua nação e consta que até as pessoas na cozinha são as mesmas. Escusado será dizer que ainda se comem boas tibornas, saladas e outros petiscos – caso do à Brás de legumes – além de outros pratos que vão rodando com frequência. Só é pena ouvir-se mais inglês e francês do que português.

Perfeito para: comer muito e pagar pouco numa zona cada vez mais turística.

Obrigatório provar: os ovos com alheira de caça.

A Time Out diz
Tapisco - Esqueixada de Bacalao
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Petiscos

Tapisco

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

O grupo Multifood tem espalhado os seus tentáculos por Lisboa, sempre de forma segura e com qualidade. O Tapisco, o casamento harmonioso entre tapas e petiscos, é mais um exemplo de restaurante bonito, com serviço simpático, empregados bem fardados, com um bar de vermutes e, cereja no topo do bolo, assinado por Henrique Sá Pessoa. É tudo para partilhar e a fórmula mágica para não disparar a conta é: dividir um tapisco e uns ovos, rachar um dos pratos das brasas ou dos tachos e finalizar com uma sobremesa.

Perfeito para: testar e cozinha de Sá Pessoa num registo mais informal.

Obrigatório provar: la bomba de Lisboa, croquetes de carne envoltos em batata, com twist.

A Time Out diz
Publicidade
Tasca da Esquina
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Tasca da Esquina

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

Os gastrónomos desta cidade devem lembrar-se dos anos 2008 e 2009, em que vários chefs se apresentaram em registos mais descontraídos/baratos. Vítor Sobral foi um deles, com aquela que viria a ser a primeira “Esquina” da sua carreira, onde montou um restaurante de petiscos ainda hoje no topo da lista dos melhores do género em Lisboa. Já aqui dissemos noutras núpcias que o melhor é seguir o menu “fique nas mãos do chef”, porque o trio Sobral, Hugo Nascimento e Luís Espadana está sempre em novas criações.

Perfeito para: aproveitar o descontraído registo de Vítor Sobral.

Obrigatório provar: os ovos com bacalhau e ervas aromáticas.

A Time Out diz
Último Porto
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Português

Último Porto

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

É verdade que Lisboa foi agraciada com meses seguidos de sol, mas se a memória não nos falha, antigamente ter sábado de sol nos meses frios era desculpa para sair de casa a correr e procurar a esplanada com mais sol. O Último Porto sempre esteve entre os favoritos para essas ocasiões, graças à frescura do peixe que servia. E serve, que o restaurante está aí para as curvas. Pampos, chocos, douradas, peixes-espada – o desfile que acontece na grelha é belíssimo. E quem a gere, sabe a sério da poda.

Perfeito para: todos os dias de sol de Inverno (e Primavera, Verão e Outono).

Obrigatório provar: a cabeça de garoupa grelhada.

A Time Out diz

Os melhores restaurantes na cidade

Solar dos Presuntos - Cozido à Portuguesa
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Os melhores restaurantes de cozinha tradicional em Lisboa

Do Minho ao Algarve, do interior ao litoral – não é preciso sair de Lisboa para experimentar os melhores sabores da cozinha portuguesa. Açordas, bacalhaus, rissóis e pataniscas. Entremeadas, croquetes, cozidos e empadões – o que não faltam nestes restaurantes de cozinha tradicional em Lisboa são especialidades do país inteiro.

PIZZA FORNERIA
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Italiano

Os melhores restaurantes italianos em Lisboa

Nos melhores restaurantes italianos em Lisboa não vai encontrar apenas lugares comuns: as pizzas em forno de lenha, as massas frescas, ou sobremesas como tiramisù ou pannacotta. Viaje connosco do norte ao sul de Itália, sem tirar os pés da cidade.  

Publicidade
Alma - Polvo Assado, Casca de Batata
©DR
Restaurantes

Os melhores restaurantes de cozinha de autor

José Avillez, Henrique Sá Pessoa, Alexandre Silva, Sergi Arola e Miguel Rocha Vieira são alguns dos chefs-super-estrela à frente destes restaurantes de cozinha de autor em Lisboa. Estendam a passadeira vermelha, que os pratos que aqui desfilam são de assinatura e dignos de paparazzi. 

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com