A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Mosteiro dos Jerónimos
Fotografia: Arlindo CamachoMosteiro dos Jerónimos

O que esconde o calendário de feriados para 2021

Este ano tem mais de uma dezena de feriados nacionais para celebrar. Espreite estas ideias de coisas para fazer em Lisboa. E não só.

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Planeando com antecedência, é possível marcar fins-de-semana prolongados para uma ou outra escapadinha. Os feriados são a oportunidade perfeita para estender as férias e passear com a cara-metade, ou juntar a família para um programa de festas especial. Para o ajudar, reunimos propostas de coisas para fazer: são 13 dias no total, mas cinco calham ao sábado ou ao domingo. Como bónus, temos também ideias para os feriados municipais de Lisboa, Almada, Barreiro, Sintra ou Amadora.

Recomendado: As melhores agendas para planear o próximo ano

Feriados de 2021

O primeiro dia do ano
Fotografia: Inês Calado Rosa

1. O primeiro dia do ano

Sexta-feira, 1 de Janeiro

O primeiro ritual do ano é destinado aos portugueses que têm um termostato mais robusto. O mergulho no mar a 1 de Janeiro, nas gélidas águas portuguesas, é recomendado por todos os que acreditam dá saúde para o resto do ano e também por quem gosta de prolongar o divertimento da noite anterior, já que há quem decida dar o mergulho vestido de Pai Natal ou com a camisola do clube do coração. Perto de Lisboa, a Praia de Carcavelos é das que costuma receber mais mergulhadores de ocasião a 1 de Janeiro, mas se vir um Pai Natal que não faz parte do seu agregado, mantenha a distância de segurança recomendada.

  • Restaurantes
  • Vegano
  • Avenidas Novas

Sexta-feira, 2 de Abril

A data lembra a crucificação de Jesus Cristo e assinala-se sempre na sexta-feira anterior ao Domingo de Páscoa. É também dia de jejum para a Igreja Católica, podendo os fiéis comer no máximo uma refeição pequena e sem carne. Se quiser cumprir, talvez menos a parte do tamanho do prato, o melhor é mesmo passar por um bom restaurante vegetariano. Experimente o The Green Affair, no Saldanha ou no Chiado, 100% vegetal e com um empratamento apelativo que também alimenta o espírito.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Cafés
  • Baixa Pombalina

Domingo, 4 de Abril

Calha sempre a um domingo, por isso, a menos que trabalhe por turno, nem repara que é feriado. Mas é um dia de domingo em que as famílias se juntam para comer e também os padrinhos oferecerem o seu folar aos afilhados. O folar é um pão doce, decorado com ovos cozidos dentro da casca, embora encontre muitas receitas diferentes. Por essa altura espreite algumas pastelarias de Lisboa que costumam vender folares, como é o caso da Pastelaria Alcôa, Pastelaria Versailles ou Confeitaria Nacional, só para dar alguns bons exemplos.

  • Museus
  • Santa Maria Maior

Domingo, 25 de Abril

É habitualmente dia de desfile na Avenida da Liberdade, mas se lhe apetecer pode andar para outra freguesia, não muito longe, e conhecer mais de perto o que significou esta data para muitos portugueses, após muitas décadas da ditadura que terminou a 24 de Abril de 1974. Falamos do Museu do Aljube – Resistência e Liberdade, localizado na antiga Cadeia do Aljube e totalmente dedicado à luta em tempos de ditadura em Portugal, numa antiga prisão política onde ainda hoje pode visitar as celas disciplinares, de pequenas dimensões, que tinham por objectivo destruir a capacidade de resistência dos encarcerados. A exposição permanente ocupa os pisos 1, 2 e 3 e no último fica a cafetaria à qual pode aceder sem passar pela casa de partida.

Publicidade
  • Museus
  • História
  • Grande Lisboa

Sábado, 1 de Maio

A 1 de Maio de 1974, o Dia do Trabalhador foi o primeiro em liberdade em muitas décadas e cerca de um milhão de portugueses de todo o país reuniu-se na Alameda D. Afonso Henriques, o espaço escolhido pelos sindicatos para a celebração deste dia comemorado por todo o mundo. Ainda hoje a Alameda é o principal palco das celebrações, mas perto de Lisboa há um palco permanente de homenagem à história do trabalho. Museu do Trabalho Michel Giacometti, em Setúbal, abriu portas em 1995 na antiga fábrica de conservas Perienes. O museu nasce de uma colecção etnográfica reunida em 1975 por alunos do então recém-criado Serviço Cívico Estudantil, sob a supervisão do etnólogo Michel Giacometti (daí o nome). A exposição permanente está dividida em três núcleos: a Indústria Conserveira (Da lota à lata); Mundo Rural – Coleção Etnográfica Michael Giacometti; e Génese do Museu e Mercearia Liberdade – um património a salvaguardar.

  • Atracções
  • Santa Maria Maior

Quinta-feira, 3 de Junho

O feriado do Corpo de Deus é celebrado pela comunidade católica 60 dias após o Domingo de Páscoa. A Procissão do Corpo de Deus é a mais antiga de Lisboa, partindo e terminando na Sé de Lisboa, onde também acontece uma missa presidida pelo Cardeal Patriarca. Nessa celebração é ainda utilizada a Custódia Barroca, a peça mais valiosa do Museu do Tesouro da Sé Patriarcal. Ou seja, pode vê-la bem de perto quando quiser: é feita em ouro e ornada com diamantes, rubis, esmeraldas e safiras, uma encomenda do rei D. José I ao ourives Joaquim Caetano Carvalho.

Publicidade
  • Atracções
  • Belém

Quinta-feira, 10 de Junho

A data começou por ser assinalada a 10 de Junho de 1880, a data hipotética dos 300 anos da morte de Luís Vaz de Camões. O Estado Novo apoderou-se da efeméride para criar o Dia de Camões, de Portugal e da Raça (a portuguesa, seja lá o que isso for), mas hoje é chamado Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. É também dia de paradas militares, de discursos e condecorações, mas pode sempre prestar homenagem à figura transversal a tudo isto, e visitar o poeta épico cujos restos mortais jazem, desde 1880, no Mosteiro dos Jerónimos, embora haja dúvidas sobre a veracidade das ossadas. Na igreja do mosteiro estão ainda os túmulos de D. Manuel I, Vasco da Gama, Fernando Pessoa ou Alexandre Herculano.

  • Atracções
  • Santa Maria Maior

Domingo, 15 de Agosto

É aquele feriado que se aproveita em Agosto para gastar menos um dia de férias. Em 2021 calha a um domingo, por isso nada feito, mas de qualquer forma o objectivo é ter tempo para lembrar o dia em que a Virgem Maria ascendeu ao Reino dos Céus. No entanto, e mantendo aqui o cariz de efeméride religiosa, é também a data de nascimento de Fernando Martins de Bulhões, mais conhecido como Santo António, o de Lisboa, que depois morreu em Pádua, Itália. A cidade tem um museu em sua memória que pode visitar mesmo ao lado da Igreja de Santo António, erguida no local onde terá nascido Fernando. Neste templo, há setas em direcção a uma cripta subterrânea, onde através de grades em ferro forjado vislumbra-se um pequeno altar e uma das relíquias do santo: um pequeno osso acompanhado da Bula Episcopal que comprova a sua autenticidade.

Publicidade
Implantação da República
  • Museus
  • Belém

Terça-feira, 5 de Outubro

A 5 de Outubro de 1910 foi proclamada a República em Portugal. E no mesmo dia, mas em 2014, foi inaugurado o Museu da Presidência da República, que merece uma visita ali mesmo junto ao Palácio de Belém, a residência oficial da presidência nacional. Como foram decididas as cores da nova bandeira? Alfredo Keil compôs a música do hino nacional "A Portuguesa", mas quem escreveu a letra? O museu vive de uma exposição tradicional de peças de colecção com sistemas interactivos de informação e conhecimento, num percurso que se inicia com os símbolos nacionais e termina numa abordagem dos poderes, funções e actividade dos presidentes.

  • Atracções
  • Cemitérios
  • Beato

Segunda-feira, 1 de Novembro

Dia de Los Muertos no México, Dia de Todos os Santos em Portugal e a noite anterior é o Halloween (all hallows Eve, a véspera de todos os santos), importado por este lado do oceano. É uma celebração antiga que remonta ao tempo dos celtas, mas em comum existe a crença de que nesse dia se esbate a fronteira entre a Terra e o Além. Em Portugal, a tradição é visitar os cemitérios, mas alguns merecem ser visitados também por puro lazer. É o caso do Cemitério do Alto de São João, o maior de Lisboa, construído em 1833 para fazer face a um surto de cólera que assolou Lisboa. Destaque para o imponente Jazigo dos Viscondes de Valmor, mecenas e criador do Prémio de Arquitetura que baptizou com o seu nome, desenhado pelo arquitecto Álvaro Machado ou do Jazigo dos Beneméritos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, do arquitecto Adães Bermudes.

Publicidade
  • Atracções
  • Edifícios e locais históricos
  • Estrela/Lapa/Santos

Quarta-feira, 1 de Dezembro

A 1 de Dezembro de 1640, um grupo de 40 nobres chamados de Conjurados, reuniram-se no Palácio dos Condes de Almada, no Largo de São Domingos, para depois se dirigirem ao Terreiro do Paço para atirar Miguel de Vasconcelos pela janela, português e representante do rei Filipe III de Portugal, IV de Espanha. Uma história que não pode ser contada em parcas linhas, mas que ecoa até aos dias de hoje no tal palácio, hoje Palácio da Independência, que ao longo dos tempos teve várias funções, como Casa da Suplicação, Depósito Público da Côrte ou mesmo o Arquivo Municipal de Lisboa. Ah e o escritor Almeida Garrett chegou a viver aqui, entre outras personalidades. Em 1983, foi cedido à Sociedade Histórica da Independência de Portugal que desenvolve aqui as suas actividades, entre elas uma agenda cultural com exposições, lançamento de livros e conferências. Pode fazer uma visita ao espaço, mas melhor ainda é ir espreitando a agenda de visitas guiadas de algumas operadoras turísticas que por vezes passam por aqui, como a www.caminhando.pt.

  • Compras
  • Floristas

Quarta-feira, 8 de Dezembro

A Imaculada Conceição ou Nossa Senhora da Conceição é a santa padroeira de Portugal. E até aos anos 70 era também Dia da Mãe, altura em que foi transferido para o primeiro domingo de Maio, para que as atenções a 8 de Dezembro se concentrassem todas na mãe de Jesus e não tanto nas mães de toda a restante humanidade, que passaram a ter um dia só para elas. Mas o Dia da Mãe é quando um filho quiser e qualquer um pode aproveitar para surpreender a progenitora com flores em Dezembro. Dicas? Leia mais e descubra as melhores floristas de Lisboa.

Publicidade
  • Museus
  • Estrela/Lapa/Santos

Sábado, 25 de Dezembro

De certeza que vai haver uma árvore de natal gigante no Terreiro do Paço para tirar aquelas fotos para as redes sociais e uma ceia a 24 de Dezembro para celebrar o aniversário de Jesus. A 25 de Dezembro é difícil encontrar espaços abertos para dar aquela pausa no amor familiar, mas na véspera sugerimos que se junte aos magos para adorar o menino. No Museu Nacional de Arte Antiga encontra A Adoração dos Magos, a famosa obra de Domingos Sequeira que foi adquirida pelo museu após uma inédita campanha de angariação de fundos que arrancou em 2015 e reuniu muitos portugueses em torno desta causa. "Se os painéis de São Vicente são um momento fundador de uma escola de pintura antiga, esta que acabamos de comprar, é o fim deste grande ciclo da pintura portuguesa", descreveu na altura o conservador Joaquim Caetano. Já que aqui está não deixe de apreciar os Painéis de São Vicente, as Tentações de Santo Antão ou a Custódia de Belém, entre outras preciosidades.

Feriados municipais de 2021

  • Coisas para fazer
  • Grande Lisboa

Quinta-feira, 13 de Maio. Dia da Ascensão ou da Espiga

Se trabalha em Vila Franca de Xira e tem direito ao feriado móvel da Ascensão, celebrado 40 dias após a Páscoa, das duas uma: ou comemora a festa a preceito ou aproveita para fazer um programa. Entre paisagens urbanas e campestres há, junto ao Tejo, caminhos e parques a descobrir. Mas também há o Barco Varino Liberdade. Construído em Rio de Moinhos, Abrantes, em 1945, assegurou a circulação de bens em toda a zona estuarina: levou vinho a Lisboa, madeira, tomate e carregos de sal de Setúbal. Encalhou temporariamente como um casco abandonado, quando nos anos 60 o transporte fluvial entrou em decadência, mas foi recuperado e, em 1988, exibindo no casco o seu novo nome, “Liberdade”, iniciou uma nova vida, de passeios e de exigentes regatas e cruzeiros. Actualmente, é um Núcleo Museológico do Museu Municipal e navega ao serviço de grupos de crianças, jovens, adultos e idosos. Por que não marcar um passeio?

  • Coisas para fazer
  • Oeiras

Segunda-feira, 7 de Junho. Dia do Município de Oeiras

O concelho encaixado entre Cascais e Lisboa celebra o seu feriado municipal a 7 de Junho, data de atribuição do foral, um documento real que estabeleceu, em 1759, o concelho e a sua administração. Com mais de 170 mil habitantes, Oeiras tem muito para nos dar – e estava mais que na altura de nós olharmos atentamente para ele. Visitarmos os clássicos, como o Aquário Vasco da Gama que hoje parece viver na sobra do Oceanário de Lisboa. Abriu portas em Maio de 1898 é cenário de memórias para sucessivas gerações. Continua a ter uma oferta pedagógica inigualável, sobretudo para quem queira aprender alguma coisa sobre a fauna da costa portuguesa, sempre em destaque na exposição permanente. O ponto alto em matéria de espólio é a colecção oceanográfica que o Rei D. Carlos recolheu nas suas expedições em finais do século XIX. Uma aula viva sobre os oceanos e a vinha marinha que se confunde com uma lição de história portuguesa. Intemporal e obrigatório.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Português
  • Castelo de São Jorge

Domingo, 13 de Junho. Dia de Santo António

Junho em Lisboa significa cheiro a sardinha assada pela cidade. Assim que finda Maio, é ver grelhas improvisadas montadas nas traseiras de restaurantes e nos arraiais cidade fora. Podem ainda não estar gordinhas – atenção a isso, que o que nós queremos é que estejam prateadas e corpulentas, para as tirar da grelha direitas para o pão e deixá-las escorrer tudo o que podem, tirar a pele com a ponta dos dedos e limpar-lhe a espinha. Isto enquanto se ouve música pimba de qualidade e se põem manjericos ao luar. Se prefere o recato de um restaurante em vez do alarido de um arraial, um dos locais seguros para boas sardinhas grelhadas é o restaurante Zé dos Cornos, na Mouraria. No vizinho concelho de Cascais celebra-se o mesmo feriado municipal, desde 1977.

  • Coisas para fazer

Quarta-feira, 24 de Junho

Os motivos para viver o melhor de Almada são muitos e para todos os gostos, desde os restaurantes que vale a pena conhecer, passando pelas melhores praias da Costa da Caparica, até um roteiro de tudo o que não pode perder em Cacilhas. Dito isto, evite as desculpas e parta à descoberta do melhor que a Margem Sul tem para lhe oferecer. O Dia de São João é a pausa perfeita a meio da semana. Na véspera, a partir das 18.00, é provável que se realize a tradicional procissão que celebra o santo padroeiro do concelho.

Publicidade
Sintra
  • Viagens

Segunda-feira, 29 de Junho

É Dia de São Pedro em Sintra e não é exagero dizer que só nos Parques de Sintra há muitas, muitíssimas, opções de trilhos pedestres para dar uso às pernas e descanso à cabeça. Dependendo do que procura – património, natureza ou “deixem-me em paz, quero é ir andar” –, no portal Active Sintra, sob a tutela da Câmara Municipal, encontra mapas para descarregar para o telemóvel com instruções detalhadas, informação cultural e ambiental, e pontos de paragem obrigatórios que dispensam o acompanhamento de guia especializado. O melhor de caminhar, convenhamos, é poder fazê-lo ao seu ritmo, à hora que bem entender e, melhor, gratuitamente. Há sugestões para todos os gostos e níveis de preparação física. 

Loures
©Paulo Coelho / Azimute Radical

Loures

Segunda-feira, 26 de Julho. Dia do Município de Loures

Tal como Oeiras, Loures tem o seu próprio feriado, assinalado o dia em que o concelho foi instituído por Decreto Real em 1886, após a extinção do do concelho de Santa Maria dos Olivais. É hoje o terceiro maior concelho da Área Metropolitana de Lisboa e tem sempre um programa de festas para animar a população por altura do feriado desta terra orgulhosamente saloia. Os museus da cidade estão praticamente todos de portas fechadas aos feriados, como o Museu do Vinho e da Vinha, mas pode conhecer alguns dos espaços ao ar livre, como o Parque Municipal do Cabeço de Montachique, com 32 hectares onde cabem um circuito de manutenção, quatro campos de ténis, parede bate-bolas e polidesportivo, parque de merendas com capacidade para 2000 pessoas e um parque aventura, o Natura Parque AZR.

Mais coisas para fazer em Lisboa

  • Coisas para fazer

Alvalade é um bairro a ter em conta sempre que falamos do melhor da cidade. Andámos pelas suas ruas desenhadas a régua e esquadro e traçámos um roteiro para forasteiros e nativos. As novidades do bairro, as paragens obrigatórias, os pratos que não pode deixar de provar nos melhores restaurantes da zona e os melhores bares – tudo o que precisa de saber para pôr Alvalade na sua lista de prioridades está aqui. Por fim, guarde um tempo para as compras no Mercado de Alvalade (dizemos-lhe as bancas onde tem mesmo de parar).

  • Coisas para fazer

É uma das grandes áreas residenciais da cidade e uma das mais procuradas por uma população cada vez mais jovem. A razão principal é simples: o preço médio por metro quadrado (2973€) é inferior à média da cidade (3333€), sendo apenas mais elevado do que em Marvila ou no Beato. Mas nem tudo são casas na Penha de França. A migração de alguma população para este lado da cidade também resultou na abertura de novos projectos e negócios que podem ser só o começo de uma nova vida para a freguesia.

Publicidade
  • Museus

Não é ao domingo de manhã, sábado à tarde ou segunda de madrugada. Estes museus são de entrada gratuita sempre que a porta está aberta ao público (em alguns terá de marcar). E a busca pela descoberta de um museu gratuito também pode significar a descoberta de um museu que nem sempre está nas bocas do mundo e, como sabe, o conhecimento não ocupa lugar por isso quanto mais melhor. Fomos à procura dos museus grátis em Lisboa e concelhos vizinhos e descobrimos algumas pérolas museológicas. Da sala de operações do Movimento das Forças Armadas ao museu que respira dinheiro, há muito para aprender sem gastar um tostão. Aventure-se nestes museus grátis em Lisboa e arredores.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade