Global icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right As melhores padarias em Lisboa

As melhores padarias em Lisboa

Há uma nova vaga de pães e padarias a aparecer, um elogio ao pão verdadeiro. Fizemos um roteiro pelas melhores padarias em Lisboa.
Padaria Terrapão
©Inês Félix
Por Inês Garcia |
Publicidade

Há coisa melhor que o cheiro a pão acabadinho de sair do forno? O pão é um dos alimentos mais democráticos e os mais supersticiosos (ou gulosos) diriam que não há refeição sem pão na mesa. Quem o faz fica muitas vezes nas caves dos estabelecimentos, nas salas dos fundos, quase sempre a horas pornográficas, mas 2018 foi o ano em que surgiu uma nova vaga de pães e padarias e padeiros a abrir as portas das suas padarias e a mostrar como tudo se faz. Para cortar à mão e comer simples, para cortar e comer com uma boa manteiga, um queijinho, uma compota. Fresco, em tostas e torradas. Faça como nós e siga este roteiro de boas padarias em Lisboa.

Recomendado: Os melhores pães em Lisboa

As melhores padarias em Lisboa

gleba, pão
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Padarias

Gleba

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

Diogo Amorim é um padeiro de nova geração e dos primeiros, nesta nova vaga, a fazer um elogio ao pão verdadeiro. Nasceu em Santa Maria da Feira, passou pelo Villa Joya e estagiou no Fat Duck, em Inglaterra, restaurante onde começou a fazer pão. Em Dezembro de 2016 abriu a Gleba em Alcântara onde trabalha com cereais portugueses como o trigo barbela, uma variedade portuguesa antiga original de Trás-os-Montes. Este pão encontra-se lá sempre, assim como o 100% centeio e a broa de milho regional. Mas todos os dias tem novas variedades. Os cereais são comprados a pequenos produtores que praticam uma agricultura sustentável e são moídos no moinho de pedra de Santarém mesmo à frente do cliente.

Isco Pão e Vinho
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Padarias

Isco Pão e Vinho

icon-location-pin Alvalade

Quando entrar nesta padaria artesanal no Bairro de Alvalade, vai logo dar de caras com os padeiros, de avental todo enfarinhado. Paulo Sebastião quis desmistificar a ideia de que os padeiros são bichos do mato que trabalham apenas nas madrugadas e na cave das padarias e, por isso, na sua Isco Pão e Vinho está tudo à vista de todos – sempre com um cheirinho a pão (de fermentação lenta) acabado de sair do forno. As qualidades de pão variam consoante o tempo e a criatividade, mas todos os dias há pão de trigo, feito com 90% de trigo branco, 10% de farinha de trigo persa e massa-mãe de trigo (3,50€), pão de mistura com 40% de centeio integral, trigo branco e massa-mãe de centeio (4€), e um de espelta, com 50% de espelta integral, 50% de trigo branco e umas papas de centeio com flocos (4,50€, metade 2,75€).

Publicidade
Padaria Terrapão
©Inês Félix
Restaurantes, Padarias

Terrapão

icon-location-pin Lisboa

O Mercado de Arroios tem uma padaria artesanal desde Dezembro de 2018. Chama-se Terrapão e tem bom pão de fermentação lenta mas também pratos e petiscos com os diferentes pães como base. É um espaço pequeno, com o forno e o pão a ser amassado bem à vista, uns quantos lugares ao balcão. Simples, ainda em processo de decoração, em tons terra e verde-água, e um calorzinho agradável para quem vem do frio. Têm quatro pães fixos: o pão da casa, com trigo branco, barbela do Oeste, centeio integral e espelta integral biológico (3,20€), o de isco trigo, com trigo branco e barbela do Oeste (3€), com uma fermentação a frio que anda a rondar as 20 horas – em aparência são muito semelhantes, apenas com dois cortes ou um quadrado desenhado a diferenciar, mas é no corte que se evidencia qual é qual. Depois há os mais “convencionais” cacete francês (1,50€) e chapata (2€). A broa de milho e de centeio, também com fermentação natural, também têm sido presenças fortes na montra iluminada da loja oito do mercado, mas a ideia é andarem sempre com novidades e pães diferentes a aparecer, daqueles que duram, à vontade, uma semana. 

Pão da Padaria da Esquina
Arlindo Camacho
Restaurantes, Padarias

Padaria da Esquina

icon-location-pin Campo de Ourique

O mais badalado projecto de Vítor Sobral, Hugo Nascimento e Luís Espadano com o profeta do pão Mário Rolando abriu finalmente em Campo de Ourique no início de Julho de 2018. Na Padaria da Esquina, um conceito que Vítor Sobral já testou em São Paulo, no Brasil, a prata da casa é o pão de fermentação longa de Mário Rolando. Todas as variedades de pão (entre os 0,30 cêntimos e os 6€) são feitas apenas de farinha, água, sal e tempo (24 horas de fermentação e massa-mãe). Também há oferta de pastelaria, com bolas de berlim, pão de deus, croissant do Porto, bolo de arroz, sidónios, língua da sogra ou queijadas de laranja, uma zona de queijos e enchidos e uma parte de mercearia.

Publicidade
micro padaria, pão
ManuelManso
Restaurantes, Padarias

Micro Padaria

icon-location-pin São Vicente 

O nome assenta que nem uma luva a esta padaria especializada em pão de fermentação lenta que abriu na Graça pelas mãos de uma cientista com formação em padaria e pastelaria. Além dos vários pães para venda – de trigo com sementes de sésamo, de mistura de centeio ou de trigo e polenta –, há duas mesas para os comer em torradas com manteiga, açúcar e canela, com queijo creme ou com manteiga de amendoim e doce.

Restaurantes, Padarias

O Pão Nosso

icon-location-pin Avenidas Novas

Espaço para refeições ligeiras (há pratos do dia sempre a rodar) e brunch (há três menus), quando entra nesta padaria dá de caras com um mapa dos pães de Portugal assinalados e desenhados numa parede de ardósia. Há pão alentejano, de alfarroba, de centeio, bica de azeite, de sete sementes, pão lapudo...  Às quintas chega o bolo lêvedo dos Açores, também há broa de Avintes e uma montra sempre cheia de pães de fabrico próprio. Acresce também a oferta de bolos caseiros, scones, croissants e tartes. Tome nota: é dog friendly. 

Publicidade
Tartine Chiado
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Tartine

icon-location-pin Chiado

O método de fabrico do pão, com recurso ao tradicional isco, faz toda a diferença na hora da trinca. Fica mais estaladiço, tem uma ligeira acidez e maior durabilidade. Vale a pena testar o que falamos nas baguetes, na broa, no pão da avó ou nos pães de sementes. Mas como nem só de pão vive o Homem, aqui há bolos deliciosos, como o incomparável Chiado, receitas de ovos bem feitas e almoços ditos mais leves para todos os dias. Na altura do Natal, estão lá todos os imperdíveis dos lanches festivos.

PaO de queijo - Eric Kayser
©Massimo Pessina
Restaurantes, Padarias

Eric Kayser

icon-location-pin Lisboa

A primeira padaria descendente de Eric Kayser em Lisboa abriu em 2011, nas Amoreiras, pela mão de Laurent D’Orey e Julian Letartre. Desde então o império Kayser no país cresceu e está espalhado, até, por várias superfícies comerciais. Todo o pão é feito e cozido no local, das baguetes ao pão de queijo ou de curcuma e volta e meia há pães especiais. Têm também todos os clássicos da pastelaria francesa, dos croissants às gallette des rois

Publicidade
Baguettes & Cornets
Fotografia: Francisco Santos
Restaurantes, Padarias

Baguettes & Cornets

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

Christian Calmeau começa às 04.00 da manhã a fazer croissants simples e de framboesa, tarteletes de figo, pain au chocolat. Mas também uma enorme variedade de pães, do pain limão, com farinha de centeio e limão confitado (2,30€) e pain muesli, com muesli de frutos vermelhos misturado na massa (2,80€), aos mais clássicos pain pouchon (3,50€) – que antes de serem postos no saco levam um lacinho com as cores de França – ou as baguetes campagne (1,20€) e caractere (1,90€), com farinha de trigo, trigo sarraceno e sésamo.

La Boulangerie
© Ana Luzia
Restaurantes, Francês

La Boulangerie

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

A cozinha está à vista e a primeira sensação é olfactiva e chega directamente do forno. Na Boulangerie, os olhos também comem e não só o que vem para a mesa. Nas paredes há mensagens escritas em ardósia, quadros e fotografias, pratos e azulejos combinados de forma inusitada e muitos objectos vintage, a espicaçar memórias. Há um bom brunch (20€) mas também uma boa padaria pronta a levar para casa: pão rústico, de cereais e alfarroba, bola rústica, pão de figos, baguetes e o pão especial da temporada, sempre a rodar, naturalmente (preços a partir de 0,50€).

Publicidade
CANTINHO SALOIO
©DR
Restaurantes, Padarias

Cantinho Saloio

icon-location-pin Alvalade

Poucos sítios em Lisboa recebem tantos tipos diferentes de pão alentejano como o Cantinho Saloio, dentro do Mercado de Alvalade. Há pão de Rio Maior, pão de Mafra, alentejano, de centeio, carcaças a lenha, bolinhas de mistura, broa de milho de Rio Tinto e por aí fora. À lista de coisas que pode comprar neste sítio carregadinho de coisas boas, acrescente os queijos da Serra e os enchidos alentejanos. 

+ Cinco paragens essenciais no Mercado de Alvalade

Panificação de São Roque
©DR
Restaurantes, Padarias

Panificação de São Roque

icon-location-pin Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Impossível falar de boas padarias sem falar da Panificação São Roque. Foi fundada em 1961 e fez a fusão de várias padarias mais pequenas espalhadas pelo Bairro Alto. Tem hoje uma fábrica de pão e de bolos, sete pastelarias e um depósito de pão. As fatias do pão de centeio que aqui se vende são utilizadas para fazer as famosas torradas do Gambrinus (1,60€ já fatiado). Anote na agenda: às quartas-feiras há pão de azeite.

Os melhores restaurantes em Lisboa

chutnify
©Francisco Santos
Restaurantes, Indiano

Os melhores restaurantes indianos em Lisboa

Uma das primeiras referências dos portugueses no que respeita à cozinha étnica foram os restaurantes indianos. E não há como os contornar. Nos restaurantes desta lista não faltam chamuças, caris ou pães naan quentinhos. Cada um com as suas especialidades, um mais moderno e perito em fazer dosas (que são uns crepes gigantes); outros mais clássicos e prontos para darem aos comensais o que querem. E, no meio disto tudo, quase numa categoria à parte, um par de goeses que operam uns furos acima da competição, o Jesus é Goês e o Tentações de Goa. Benditos.  Não tenha medo e prepare as papilas gustativas para ver se aguentam esta viagem pelos melhores restaurantes indianos em Lisboa. 

pistola y corazon, desanuio
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Mexicano

Os melhores restaurantes mexicanos em Lisboa

O melhor é pedir uma marguerita ou um cocktail com mezcal assim que chegar um destes restaurantes mexicanos em Lisboa – afinal a cozinha mexicana é conhecida pelo seu nível de picante (e aqui convém ter atenção às malaguetas assinaladas nas cartas, que não estão lá para enganar ninguém). As maiores influências desta cozinha vêm dos povos pré-colombianos e dos costumes dos colonizadores espanhóis, mas os pratos típicos variam consoante a zona (a partir da cozinha mexicana surgiu, entretanto, a tex-mex, que reúne os sabores do estado do Texas, nos Estados Unidos, com o México). A base da cozinha mexicana tradicional é o milho – daí que não seja fácil fugir às tortilhas, que acompanham quase todas as refeições –, o feijão e a pimenta. Prove os tacos, o chilli com carne ou as enchiladas.

Publicidade
tripas do dom feijão, tema  526
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

O melhor da cozinha tradicional portuguesa em Lisboa

Demos uma volta ao país sem sair da cidade e reunimos uma colecção de grandes exemplares da cozinha tradicional portuguesa, região por região, servidos nos restaurantes de Lisboa. É muito provável que a sua comida de conforto esteja aqui. Esta é a nossa zona de conforto. 

More to explore

Publicidade