Arte & Cultura

Tudo o que precisa de saber sobre arte e cultura em Lisboa. As melhores exposições na cidade, os museus de Lisboa que tem de visitar e as peças de teatro que tem de ver. O melhor da agenda cultural de Lisboa

Os novos livros que nos vão fazer esquecer o Verão
Coisas para fazer

Os novos livros que nos vão fazer esquecer o Verão

Setembro é o mês do regresso à cidade, às aulas, aos livros. Não estamos a falar de manuais escolares ou sebentas: há romances, contos, crónicas, poesia, teatro, ensaios e BD. É à escolha do freguês. E as editoras fazem de tudo para nos dar novos mundos, para nos aproximar ainda mais do Brasil ou para nos dar a conhecer a mais próxima Hungria. Ou para nos recordar os antigos, reeditando clássicos esgotadíssimos. Literatura portuguesa a cheirar a fresco, Nobel incluído, também não falta. Passámos em revista as novidades e apresentamo-las com o bónus – com sugestão dos locais, renovados ou em risco, onde os pode ler. Para não sentir falta do Verão. Recomendado: Os melhores cafés para trabalhar em Lisboa

Conheça estes museus grátis em Lisboa e arredores
Museus

Conheça estes museus grátis em Lisboa e arredores

Não é ao domingo de manhã, sábado à tarde ou segunda de madrugada. Estes museus são de entrada gratuita sempre que a porta está aberta ao público. E a busca pela descoberta de um museu gratuito também pode significar a descoberta de um museu que nem sempre está na ribalta. Fomos à procura dos museus grátis em Lisboa e concelhos vizinhos e descobrimos algumas pérolas museológicas. Da sala de operações do Movimento das Forças Armadas ao museu que respira dinheiro, há muito para aprender sem gastar um tostão. Aventure-se também nestes museus grátis em Lisboa e arredores. Recomendado: Museus em Lisboa: as obras de arte que tem mesmo de ver

Descubra onde moram casas-museu na Grande Lisboa
Museus

Descubra onde moram casas-museu na Grande Lisboa

Tenham ou não o termo "casa" no nome, estes museus têm em comum o facto de exibirem o acervo de antigos e ilustres inquilinos ou proprietários. Sejam de pintores, poetas, cantores, advogados, aristrocratas ou pintores, há muito para conhecer e aprender nestas verdadeiras casas abertas ao público. Pelo meio vai poder travar conhecimento com pérolas como a cómoda que fazia parte do quarto de Fernando Pessoa, a quase intocada casa de Amália Rodrigues ou a morada de um decorador que privou não só com a fadista como com Coco Chanel, Maria Callas, Truman Capote e Henry Kissinger. Recomendado: Conheça estes museus grátis em Lisboa e arredores

Conheça estes museus de arte contemporânea em Lisboa
Arte

Conheça estes museus de arte contemporânea em Lisboa

Não há muitos museus de arte contemporânea em Lisboa (e arredores), mas os que existem merecem uma visita. Têm colecções importantes e exposições que os colocam cada vez mais em destaque no panorama intercional das artes. Lisboa entrou no mapa da arte contemporânea e tem razões para isso. De Júlio Pomar a Andy Warhol, pode correr as mais variadas variantes artísticas ao longo deste roteiro que aqui lhe traçamos. Recomendado: Os melhores museus em Lisboa

Uma entrevista colectiva: precisamos de conversar
Teatro

Uma entrevista colectiva: precisamos de conversar

A falar, também fora de cena, é que a gente talvez se possa entender. Precisamos de querer conversar. Como querem estas três companhias. O Auéééu-Teatro tem criado um ciclo de conversas sobre o trabalho (esta quarta-feira há mais uma, às 18.30, na Livraria Ferin). O Teatro da Cidade realizou conversas no CAL – Primeiros Sintomas com um intuito mais curioso, a pender para a filosofia, enquanto que a Companhia Mascarenhas-Martins, do Montijo, se preocupa em criar sessões públicas onde chama a comunidade e procura que todos nos conheçamos melhor. Claro, só assim poderemos conversar melhor. Sugerimos nós. Nesta mesa, o Auéééu-Teatro fez-se representar por Sérgio Coragem e Beatriz Brás, o Teatro da Cidade por Guilherme Gomes e Nídia Roque e a Companhia Mascarenhas-Martins por Levi Martins e Maria Mascarenhas.   

Museus em Lisboa

Os cinco museus mais estranhos de Lisboa
Coisas para fazer

Os cinco museus mais estranhos de Lisboa

Se já foi várias vezes ao Museu Nacional de Arte Antiga, conhece os cantos à Casa das Histórias da Paula Rego e sabe enumerar toda a Colecção Berardo, então se calhar está a precisar de um novo desafio. Estes são os museus mais estranhos em Lisboa. 

Os melhores museus em Lisboa: 20 que tem mesmo de visitar
Museus

Os melhores museus em Lisboa: 20 que tem mesmo de visitar

Alguns museus ainda funcionam como a arrecadação lá de casa: servem para amontoar tralha. Mas as coisas estão a mudar, a começar pelo impressionante Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia e a acabar na proposta do Governo de fixar a entrada gratuita para quem tem menos de 30 anos de idade. Deixamo-lo com uma visita guiada aos melhores museus em Lisboa, dando razões para redescobrir os clássicos e ideias para explorar colecções surpreendentes.

Museus para crianças em Lisboa? São mais que as mães e bem divertidos
Miúdos

Museus para crianças em Lisboa? São mais que as mães e bem divertidos

É uma grande injustiça dizer que a palavra museu cheira a mofo. Mas se começou por arrastar os miúdos para uma exposição interminável que só interessou aos pais... é bem possível que o programa enfrente alguma resistência. Não desanime. Fomos à procura dos melhores museus para crianças em Lisboa. Para ir ao passado e ao futuro, sem sair do presente.

Sete coisas que aprendemos no Museu da Farmácia
Notícias

Sete coisas que aprendemos no Museu da Farmácia

O museu recebeu hoje a Conferência “Desumanidade e Justiça: as experiências médicas durante o período nazi 1933-1945”, mas a História da Farmácia faz-nos recuar muito mais no tempo, cinco mil anos, para sermos mais precisos. E em Portugal? Conheça sete curiosidades sobre a nossa história para descobrir neste espaço. 1. Desde quando existem farmacêuticos em Portugal? Convém lembrar que se chamavam boticários, que surgiram na Idade Média, e que a sua preparação dos medicamentos promovia a sua distinção dos físicos, ou médicos. Os primeiros em Portugal coincidem com o século XIII. Um diploma promulgado por D. Afonso IV em 1338 obriga a serem examinados pelos médicos do Rei todos os que exercessem os ofícios de médico, cirurgião e boticário na cidade de Lisboa.  2. Éramos bons nesta área? Digamos com algum brio que, no século XVI, os boticários eram usados na identificação e conservação de drogas e chamados a desempenharem funções nas armadas e hospitais das fortalezas. Não se esqueça de Tomé Pires, o primeiro embaixador português na corte chinesa, e autor de Suma Oriental (1515), anterior a Garcia de Orta. 3. Que tipo de cuidados aplicavam? Há que dizer que ainda havia muito caminho a percorrer, portanto a terapêutica baseava-se em purgas, sangrias e clisteres. Pois, não é muito agradável. Os medicamentos eram essencialmente de origem vegetal e a farmácia química só começou a ser divulgada entre nós a partir do início do século XVII. 4. Como era o acesso à profissão? Era nec

Seis obras essenciais no Museu Nacional de Arte Antiga
Arte

Seis obras essenciais no Museu Nacional de Arte Antiga

Foi graças a si, e à sua provável contribuição, que conseguimos pôr "O Sequeira no lugar certo". A inédita campanha de angariação de fundos foi bem sucedida e é por isso que actualizamos esta lista de obras essenciais para ver no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), adicionando-lhe a belíssima "A Adoração dos Magos". Não tem a dimensão de um Louvre ou de um Museu do Prado, mas como estes, a histórica morada da Rua das Janelas Verdes não se vê num dia. É um bom sítio para flanar sem rumo nem propósito e aproveitar as vistas, uma e outra vez, até porque ele não sai de Lisboa. É visitá-lo várias vezes – os primeiros domingos do mês são de entrada livre – e ir vendo. Não se esqueça de dar uma espreitadela nestas seis obras, cheias de histórias para contar. 

Museus em Lisboa: o Museu dos Coches em números
Museus

Museus em Lisboa: o Museu dos Coches em números

Em Maio de 1905 foi inaugurado um do mais impressionantes museus em Lisboa: o «Museu dos Coches Reais», iniciativa da rainha D. Amélia. 110 anos depois, o espaço ganhou um novo edifício, mais moderno. Oito números que contam tudo sobre o Museu dos Coches.