Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Arte & Cultura

Arte & Cultura

Tudo o que precisa de saber sobre arte e cultura em Lisboa. As melhores exposições na cidade, os museus de Lisboa que tem de visitar e as peças de teatro que tem de ver. O melhor da agenda cultural de Lisboa

Roteiro de livrarias independentes em Lisboa
Coisas para fazer

Roteiro de livrarias independentes em Lisboa

Sítios onde é pouco provável que encontre um exemplar de “Maria Vieira no País do Facebook” mas de certeza que tropeça numa obra de Konsalik. Já agora, por que raio há tantos livros de Konsalik à venda em Lisboa? Não sabemos a resposta a essa pergunta, mas sabemos bem quais são as nossas livrarias independentes preferidas. Nota: uma livraria independente é uma loja de venda de livros que não está presa a uma cadeia, um franchising, um conglomerado ou qualquer tipo de substantivo colectivo usado para designar agremiações do género. A nossa lista também não inclui alfarrabismos de qualquer espécie. Recomendado: Dos códices e incunábulos ao Harry Potter: uma viagem pelas bibliotecas em Lisboa

Uma viagem pela arte do Metro de Lisboa
Arte

Uma viagem pela arte do Metro de Lisboa

São 56 as estações de toda a rede do Metropolitano de Lisboa. E todas, mas mesmo todas, são verdadeiras galerias de arte urbana, não a céu aberto, mas debaixo de terra. Artistas consagrados da nossa praça deixaram o seu cunho na história dos transportes públicos alfacinhas e, embora difícil, escolhemos sete estações que merecem um olhar especial, entre as obras de Almada Negreiros, Vieira da Silva e Arpad Szénés, Querubim Lapa, Júlio Pomar, Maria Keil, Júlio Resende ou mesmo do célebre cartoonista António Antunes. Uma viagem para apreciar e partilhar. Recomendado: Uma viagem pelo túneis fechados do Metro de Lisboa

As peças de teatro para ver esta semana
Teatro

As peças de teatro para ver esta semana

Como dizer? É mais ou menos aquela coisa do, vá lá, não seja forreta, vá lá, não seja preguiçoso. Se vemos tantos filmes no cinema, se vamos a tantos bares e restaurantes, mercados e exposições, qual a justificação para não irmos mais vezes ao teatro? Esta é a nossa forma, delicada, de lhe dizer para se fazer à cena, para se fazer ao palco. Sim, que mostrar-se solidário perante a comunidade artística fica bem, mas sabe a pouco. 

A agenda cultural de Lisboa que não pode perder
Coisas para fazer

A agenda cultural de Lisboa que não pode perder

Pode odiar muitas coisas em Lisboa, até reconhecemos que a nossa cidade tem uma série de defeitos, mas se há coisa de que não se pode queixar é da agenda cultural. É ela que o obriga a sair porta fora quando a vontade de saltar do sofá é igual a zero. Os programadores culturais acabam-lhe com a letargia do corpo para poder aproveitar a cidade ao máximo, sobretudo no que diz respeito às exposições espalhadas por museus e galerias de Lisboa e aos espectáculos de teatro, dança ou comédia.   Aproveite o recheio desta agenda cultural de Lisboa e faça-se ao piso. Recomendado: Coisas para fazer em Lisboa este mês

Os melhores museus em Lisboa
Museus

Os melhores museus em Lisboa

Edifícios relativamente novos, com linhas que são uma perdição para a fotografia, e clássicos da cidade que patrocinam autênticas viagens no tempo. Destaque-se ainda os inúmeros e regulares workshops e eventos que promovem para adultos e crianças, ou mesmo as cafetarias e brunches que também são pequenas obras de arte. Deixamo-lo com uma visita guiada aos melhores museus em Lisboa, dando razões para redescobrir endereços obrigatórios e ideias para explorar colecções surpreendentes. 

Museus em Lisboa

Os cinco museus mais estranhos de Lisboa
Coisas para fazer

Os cinco museus mais estranhos de Lisboa

Se já foi várias vezes ao Museu Nacional de Arte Antiga, conhece os cantos à Casa das Histórias da Paula Rego e sabe enumerar toda a Colecção Berardo, então se calhar está a precisar de um novo desafio. Estes são os museus mais estranhos em Lisboa. 

Os melhores museus em Lisboa: 20 que tem mesmo de visitar
Museus

Os melhores museus em Lisboa: 20 que tem mesmo de visitar

Alguns museus ainda funcionam como a arrecadação lá de casa: servem para amontoar tralha. Mas as coisas estão a mudar, a começar pelo impressionante Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia e a acabar na proposta do Governo de fixar a entrada gratuita para quem tem menos de 30 anos de idade. Deixamo-lo com uma visita guiada aos melhores museus em Lisboa, dando razões para redescobrir os clássicos e ideias para explorar colecções surpreendentes.

Museus para crianças em Lisboa? São mais que as mães e bem divertidos
Miúdos

Museus para crianças em Lisboa? São mais que as mães e bem divertidos

É uma grande injustiça dizer que a palavra museu cheira a mofo. Mas se começou por arrastar os miúdos para uma exposição interminável que só interessou aos pais... é bem possível que o programa enfrente alguma resistência. Não desanime. Fomos à procura dos melhores museus para crianças em Lisboa. Para ir ao passado e ao futuro, sem sair do presente.

Sete coisas que aprendemos no Museu da Farmácia
Notícias

Sete coisas que aprendemos no Museu da Farmácia

O museu recebeu hoje a Conferência “Desumanidade e Justiça: as experiências médicas durante o período nazi 1933-1945”, mas a História da Farmácia faz-nos recuar muito mais no tempo, cinco mil anos, para sermos mais precisos. E em Portugal? Conheça sete curiosidades sobre a nossa história para descobrir neste espaço. 1. Desde quando existem farmacêuticos em Portugal? Convém lembrar que se chamavam boticários, que surgiram na Idade Média, e que a sua preparação dos medicamentos promovia a sua distinção dos físicos, ou médicos. Os primeiros em Portugal coincidem com o século XIII. Um diploma promulgado por D. Afonso IV em 1338 obriga a serem examinados pelos médicos do Rei todos os que exercessem os ofícios de médico, cirurgião e boticário na cidade de Lisboa.  2. Éramos bons nesta área? Digamos com algum brio que, no século XVI, os boticários eram usados na identificação e conservação de drogas e chamados a desempenharem funções nas armadas e hospitais das fortalezas. Não se esqueça de Tomé Pires, o primeiro embaixador português na corte chinesa, e autor de Suma Oriental (1515), anterior a Garcia de Orta. 3. Que tipo de cuidados aplicavam? Há que dizer que ainda havia muito caminho a percorrer, portanto a terapêutica baseava-se em purgas, sangrias e clisteres. Pois, não é muito agradável. Os medicamentos eram essencialmente de origem vegetal e a farmácia química só começou a ser divulgada entre nós a partir do início do século XVII. 4. Como era o acesso à profissão? Era nec

Seis obras essenciais no Museu Nacional de Arte Antiga
Arte

Seis obras essenciais no Museu Nacional de Arte Antiga

Foi graças a si, e à sua provável contribuição, que conseguimos pôr "O Sequeira no lugar certo". A inédita campanha de angariação de fundos foi bem sucedida e é por isso que actualizamos esta lista de obras essenciais para ver no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA), adicionando-lhe a belíssima "A Adoração dos Magos". Não tem a dimensão de um Louvre ou de um Museu do Prado, mas como estes, a histórica morada da Rua das Janelas Verdes não se vê num dia. É um bom sítio para flanar sem rumo nem propósito e aproveitar as vistas, uma e outra vez, até porque ele não sai de Lisboa. É visitá-lo várias vezes – os primeiros domingos do mês são de entrada livre – e ir vendo. Não se esqueça de dar uma espreitadela nestas seis obras, cheias de histórias para contar. 

Museus em Lisboa: o Museu dos Coches em números
Museus

Museus em Lisboa: o Museu dos Coches em números

Em Maio de 1905 foi inaugurado um do mais impressionantes museus em Lisboa: o «Museu dos Coches Reais», iniciativa da rainha D. Amélia. 110 anos depois, o espaço ganhou um novo edifício, mais moderno. Oito números que contam tudo sobre o Museu dos Coches.