Dia dos Namorados em Lisboa

Não sabe o que fazer no Dia dos Namorados em Lisboa? Siga as nossas dicas e amor não lhe vai faltar

Valentine's Day candy
Photograph: Unsplash

Não seja careta, por mais comercial que possa ser o Dia dos Namorados, 14 de Fevereiro pode ser um dia bem especial, ainda que seja passado dentro de quatro paredes. Surpreenda a sua cara metade com sobremesas deliciosas, um serão romântico no sofá e presentes dos mais lamechas aos mais arrojados. Temos respostas para tudo e todos, até para os solteiros que só querem fugir ao Cupido, ou aqueles que nem com uma pandemia desistem de procurar o amor.

Siga o nosso guia com o melhor para fazer no Dia dos Namorados em Lisboa, sem ter de sair de casa.

Especial Dia dos Namorados

Relações à distância: plataformas e apps de encontros
Sexo e romance

Relações à distância: plataformas e apps de encontros

A regra é simples: ficar em casa, como manda o dever geral de recolhimento domiciliário. Mas, apesar do isolamento social a que a pandemia obriga, não é impossível socializar. Só tem de o fazer à distância, claro. Já há tantas novas formas de interacção online que o impossível é, na verdade, arranjar desculpas para não o fazer. E, caso tenha dificuldades em encontrar a sua cara-metade, não se preocupe. Para o ajudar, reunimos sete plataformas e apps de encontros. O resto é consigo: se conseguir a proeza de se apaixonar online ou de convencer alguém que é a última bolacha do pacote (sem ninguém tocar no pacote, óbvio), experimente marcar um encontro via Zoom, organizar uma sessão de cinema ou uma noite de jogos, cada um em sua casa. Recomendado: Livros eróticos para animar as noites mais frias

Eventos online para celebrar o Dia dos Namorados
Coisas para fazer

Eventos online para celebrar o Dia dos Namorados

É um dia que se celebra a dois, mas a logística pode ser complexa. Da procura por flores, presentes ou vinhos à escolha de um programa especial, há muita ciência e pozinhos de perlimpimpim envolvidos, especialmente quando a ordem é para ficar em casa. Felizmente há tecncologia à disposição que leva a montanha até Maomé e há eventos para entreter os pombinhos no Dia dos Namorados e não só. Só precisa de amor, de uma cabana e de uma engenhoca ligada à rede para alimentar o streaming e a vossa paixão. Recomendado: Cinco coisas que não sabe sobre o Dia dos Namorados

Sente-se sozinho? Estas apps sociais dão-lhe uma ajudinha
Coisas para fazer

Sente-se sozinho? Estas apps sociais dão-lhe uma ajudinha

Nos tempos em que ficar em casa é recomendado e manter a distância social também, parece que somos invadidos por aquela vontade repentina de sair de casa, abraçar os que nos são mais próximos, estar com eles, tomar café, marcar jantares e idas ao cinema, enfim, um sem-número de coisas que, em situações normais, provavelmente adiaríamos. Hoje em dia, é mais fácil encurtar distâncias e matar saudades, nem que seja virtualmente. As videochamadas não são novidade e há uma série de redes sociais e apps que o permitem – mas e temperar essas chamadas com algum divertimento? Estas apps sociais são uma festa em família ou com amigos. Pode jogar trivia, cartas, ver um episódio em conjunto mas em casas diferentes, fazer um DJ set ou adivinhar letras de canções. Sempre ligado a alguém que pode estar noutro lar. Não vale sentir-se sozinho.  Recomendado: Os eventos que pode ver na internet, em streaming

Cinco coisas que não sabe sobre o Dia dos Namorados
Coisas para fazer

Cinco coisas que não sabe sobre o Dia dos Namorados

Um encanto para uns, um enjoo para outros. O Dia de São Valentim, ou Dia dos Namorados, é um verdadeiro frenesim consumista, mas por outro lado é mais uma desculpa para celebrar o amor. Em Lisboa temos um santo casamenteiro e vai ler já de seguida como Santo António também está de alguma forma ligado ao Dia dos Namorados, embora longe de Portugal. De qualquer forma, assim sempre temos a oportunidade de falar sobre namoro e casamento duas vezes por ano, a 14 de Fevereiro e a 13 de Junho, feriado municipal em honra ao santo do amor lisboeta. Recomendado: Seis filmes sobre o Dia dos Namorados

Publicidade
Dez sobremesas para o Dia dos Namorados
Restaurantes

Dez sobremesas para o Dia dos Namorados

Para começar (ou acabar) o dia de São Valentim em Lisboa com chave de ouro, não há melhor do que um doce guloso. Melhor ainda se for para partilhar com a cara-metade e se o entregarem em casa, que estes tempos não estão para grandes saídas. Estas sobremesas para o Dia dos Namorados são edições especiais, com mais ou menos corações encarnados (a pirosice é permitida neste dia), muitas com frutos vermelhos e camadas de chocolate. Algumas só estão disponíveis mesmo no dia 14 de Fevereiro, portanto siga o rasto dos bolos com suspiro artesanais, dê uma garfada num red velvet ou uma boa trinca numa bolacha recheada com doce de leite. Encomende tudo antes que esgote. Recomendado: As melhores sobremesas ao domicílio em Lisboa

Sugestões de presentes

25 ideias de presente do Dia dos Namorados – para ele
Compras

25 ideias de presente do Dia dos Namorados – para ele

É um dia que deperta amores e ódios um pouco por todo o lado, mas essencialmente amor. O que não quer dizer que não surja um ligeiro pânico na hora de escolher o presente perfeito, principalmente se for à última da hora. Se ainda não tratou do presente do próximo Dia dos Namorados, que pode ser noutro dia qualquer além do de São Valentim, damos-lhe 25 ideias para todos os bolsos de presentes do Dia dos Namorados. Assim corre um risco menor de ser acusada ou acusado de ser um amor de meia-tijela. Recomendado: 25 ideias de presente do Dia dos Namorados – para ela

25 ideias de presente do Dia dos Namorados  – para ela
Compras

25 ideias de presente do Dia dos Namorados – para ela

Ela disse: "Eu não ligo nenhuma ao São Valentim, não é preciso comprares nada". Aborte a missão, aborte a missão! Inspire-se na nossa lista de sugestões de presente para o Dia dos Namorados – porque se no dia 14 de Fevereiro aparecer de mãos a abanar, para o ano pode ter de celebrar a data com os encalhados. Temos 25 ideias de presente para o Dia dos Namorados para ela – dos acessórios aos perfumes, dos cremes à t-shirts com frases bonitas, há de tudo por aqui. Boas compras e bom namoro. Recomendado: 25 ideias de presente do Dia dos Namorados – para ele  

Despe, despe que eu gosto: descubra esta lingerie para o Dia dos Namorados
Compras

Despe, despe que eu gosto: descubra esta lingerie para o Dia dos Namorados

Se há datas no calendário em que vale usar roupa interior mais arrojada, o Dia de São Valentim pode ser uma delas, para quem gosta de celebrar à maneira mais tradicional, com rendas e acetinados a cobrir-lhe (pouco) a pele. Mas não desprezando ninguém e porque é importante que se valorize, para comprar lingerie não tem de ter uma data – e estamos aqui para apoiar a decisão. Enriquecer a gavetinha da roupa interior não parece um mau plano nunca, que mais não seja para empoderamento próprio. Vá com tudo e ponha os olhos nestas peças de lingerie, que dão para todas as carteiras. Recomendado: Filmes românticos para ver na Netflix

Dez postais para oferecer no Dia dos Namorados
Compras

Dez postais para oferecer no Dia dos Namorados

Não precisa de enviar por correio, estes são para entregar em mão. Mas pode encomendar online e supreender a outra metade da laranja, a sua alma gémea, a sua cara-metade, o seu porto seguro. O Dia dos Namorados aproxima-se a passos largos, desta vez num ano atípico e inibidor dos mais variados afectos, mas de qualquer forma o 14 de Fevereiro é um dia para celebrar a dois. Comece já a planear as surpresas de São Valentim e comece por encomendar um postal amoroso e criativo, para todos os gostos, dos discretos aos mais divertidos, cheirosos, saborosos ou personalizados. Recomendado: Os melhores serviços de entrega de flores ao domicílio

Publicidade
Os melhores serviços de entrega de flores ao domicílio
Compras

Os melhores serviços de entrega de flores ao domicílio

Um ramo de flores bem arranjadinho é um presente que nunca sai de moda. Para assinalar o nascimento do bebé da amiga, o aniversário da mãe, o dia dos Namorados ou simplesmente para pedir desculpa ou surpreender alguém no local de trabalho. Para ajudar a resolver o problema da falta de tempo para ir escolher o bouquet mais bonito, há serviços de entrega de flores ao domicílio prontinhos a ajudarem (abençoados motoboys). Há opções singelas, mais em conta, ramos com flores secas e outras de todas as cores e feitios que impressionam qualquer um, independentemente da efeméride. Recomendado: As melhores entregas ao domicílio

As melhores sex shops em Lisboa
Compras

As melhores sex shops em Lisboa

As lojas de sexo não são sítios obscuros para visitar às escondidas ou com preconceitos. Para apimentar a relação com os últimos brinquedos, para escolher uma lingerie arrojada e surpreender a cara-metade no Dia dos Namorados ou simplesmente para passar um bom bocado, considere uma visita às melhores sex shops em Lisboa

Filmes e séries de amor

Seis filmes sobre o Dia dos Namorados
Filmes

Seis filmes sobre o Dia dos Namorados

Nem só de comédias românticas se fazem as fitas dedicadas à data, porque há também dramas indie e até animações com Charlie Brown e Snoopy. Nesta meia dúzia de filmes sobre o Dia dos Namorados, encontra ainda nomes como Julia Roberts, Bradley Cooper, Anthony Michael Hall, Shirley McLaine, Nia Vardalos ou Ann Hathaway. Prepare-se para uma sessão de cinema no escurinho do quarto ou da sala de estar e para rir, chorar ou comover-se na companhia do seu namorado ou da sua namorada.. Para o mood perfeito, o melhor é arranjar umas mantas, umas velas cheirosas e um bom vinho. Recomendado: Bares românticos em Lisboa para impressionar num encontro

As melhores comédias românticas de sempre
Filmes

As melhores comédias românticas de sempre

As comédias românticas podem ser dolorosamente más – pirosas e esquecíveis, tudo menos cómicas e sem pinga de romance. Mas seria preciso termos um coração de pedra para não nos apaixonarmos pelos melhores exemplares do género. Ocasionalmente hilariantes, às vezes com humor negro e amargo-doce, dificilmente o cinema nos terá dado uma melhor, mais divertida, mas também mais detalhada, anatomia das relações amorosas. Prepare os lenços para rir e chorar com as melhores comédias românticas de sempre, de Uma Noite Aconteceu, de Frank Capra, a Amor de Improviso, de Michael Showalter.  Recomendado: As melhores séries românticas para ver na Netflix

Nove filmes eróticos e de SM a sério
Filmes

Nove filmes eróticos e de SM a sério

Já se fez muito bom cinema erótico. O Porteiro da Noite, de Liliana Cavani, História de O, de Just Jaeckin, ou A Pianista, de Michael Haneke, foram rodados entre os anos 70 e o início do século XXI, e são alguns dos filmes eróticos e de temática sadomasoquista que entraram para a história do cinema pela sua ousadia e qualidade. Mas não são os únicos. Com argumentos originais ou baseados em livros, com uma pitada de realidade ou fruto do génio criativo, mais e menos polémicos, eis nove filmes eróticos e de sadomasoquismo indispensáveis. Recomendado: As melhores comédias românticas de sempre

As melhores séries românticas para ver na Netflix
Filmes

As melhores séries românticas para ver na Netflix

Ah, o amor. O romance, a paixão, as caras metades e tudo o mais que cabe na temática. Opções não faltam no serviço de streaming para viver o tema intensamente; quer seja de forma pegajosa ou não tanto, a Netflix conta com diversidade suficiente para agradar a todos os lados da barricada. Prepare-se para uma maratona séria de romantismo: vá buscar a manta, a caneca favorita, faça um chá e abuse da cama e do sofá porque preparamos uma selecção de vários títulos a ter em conta. São as melhores séries românticas para ver na Netflix. Recomendado: Dez séries originais Netflix que tem de ver

Publicidade
Sete filmes mais românticos que os filmes românticos
Filmes

Sete filmes mais românticos que os filmes românticos

Criar uma boa história de amor é uma incógnita. Na vida, que vem sem argumento, é esperar e ver no que dá. Na ficção, por seu lado, é imaginar e fazer. Não é simples, por fina ser a linha entre romantismo e xaropice. Porém há realizadores que conseguem evitar as armadilhas e quebrar o mais empedernido coração – com estilo. Estes sete filmes românticos são a prova disso. 

Onze cenas românticas clássicas do cinema
Filmes

Onze cenas românticas clássicas do cinema

Beijos ardentes, traições dilacerantes, momentos de arrebatamento sentimental, finais trágicos. O cinema está cheio de cenas de amor inesquecíveis ao longo da sua história; de chorar, chorar a rir, franzir o sobrolho, apertar a manta, apertar a pessoa ao lado. É certo que a nostalgia de clássicos como Casablanca ou Tudo o Que o Céu Permite adensa as palpitações e transporta-nos a décadas que gostavamos de ter vivido. Mas a cronologia mais recente também não fez reféns na qualidade do romantismo, oferecendo-nos cenas que replicamos ou queremos muito replicar. Abrace o romantismo e perca-se nestas onze cenas românticas clássicas do cinema. Recomendado: Os melhores filmes românticos

13 filmes românticos para ver na Netflix
Filmes

13 filmes românticos para ver na Netflix

A oferta cinematográfica na Netflix é muito limitada ou pelo menos relativamente volátil – hoje um determinado filme está lá, amanhã (ou no mês que vem) não sabemos. Mesmo assim, começando por Os Bons Amantes (1986), de Spike Lee, e acabando em Marriage Story (2019), de Noah Baumbach, encontrámos mais de duas mãos cheias de filmes românticos na Netflix que vale a pena ver (ou rever) agarradinho ao mais que tudo ou sozinho e a queixar-se de como o mundo é injusto. Para uma sessão de cinema em casa ou, por que não, num dos melhores hotéis românticos de Lisboa. Recomendado: Motéis em Lisboa: vai uma rapidinha?

Histórias de amor

Os melhores livros eróticos para aquecer as noites mais frias
Compras

Os melhores livros eróticos para aquecer as noites mais frias

Mulheres que se aventuram com desconhecidos, casais aborrecidos que trocam de parceiros, idosos que observam jovens nuas e virgens, e vários affairs românticos. Prepare-se para entrar no universo perturbador do prazer e do erotismo. Desde clássicos como as Novelas Eróticas, de M. Teixeira-Gomes, e A Casa das Belas Adormecidas, de Yasunari Kawabata, até ao divertido e politicamente incorrecto Pornopopeia, de Reinaldo Moraes, seleccionámos 14 livros eróticos, mais ou menos descritivos, mais ou menos perturbadores, que prometem aquecer as noites mais frias. Recomendado: Dez cenas de stripteases (ou quase) que o cinema não esquece

Histórias de amor: 28 livros de romance e traição
Compras

Histórias de amor: 28 livros de romance e traição

Não há como não nos comovermos com um bom romance – sobretudo quando, ao ultrapassar as fronteiras temporais e geográficas do universo em que se inscreve, consegue relacionar-se com a história de cada leitor. Mas nesta lista não há apenas romances: há livros românticos e de banda desenhada, nos quais o amor é o cerne da narrativa, apesar de nem todos terem direito a final feliz. São para oferecer à sua cara-metade ou a si mesmo, para ficar em casa e colocar a leitura em dia. Há recomendações para todos os gostos e carteiras. Recomendado: 13 filmes românticos para ver na Netflix

Músicas românticas

10 versões clássicas de “My Funny Valentine”
Música

10 versões clássicas de “My Funny Valentine”

O musical Babes in Arms, estreado na Broadway em 1937, foi um dos grandes sucessos de Richard Rodgers e Lorenz Hart: ficou em cartaz durante oito meses e teve 289 récitas, viu várias das suas canções – como “My Funny Valentine”, “Where or When”, “The Lady Is a Tramp” – converterem-se em favoritos dos cantores pop e dos jazzmen e foi transposto para cinema em 1939, sob a direcção de Busby Berkeley, um mestre das fantasias coreográficas, e com as irritantes crianças-prodígio Mickey Rooney e Judy Garland nos papéis principais. Numa daquelas bizarrias típicas de Hollywood, na passagem do palco para o grande ecrã quase todas as canções (incluindo “My Funny Valentine”) ficaram pelo caminho. Há que reconhecer que, como declaração do amor de uma mulher (a personagem Billie Smith, no musical) pelo seu amado (Valentine LaMar), “My Funny Valentine” é pouco convencional: o aspecto dele é “risível” e pouco fotogénico (“unphotographable”), o seu “perfil está longe de ser grego” e a “boca é um pouco fraca”. Todavia, é “a obra de arte favorita” dela... Recomendado: Dia dos Namorados em Lisboa

Whole lotta love: as músicas para sexo que lhe vão dar uma mãozinha
Música

Whole lotta love: as músicas para sexo que lhe vão dar uma mãozinha

Os tabus, por aqui, ficam à porta. Como a gravata suspensa na maçaneta, por exemplo. Mas faça o favor de deixar as canções entrar. É que não tem jeito nenhum a música não ser a ideal num momento que se quer perfeito. E claro, trazemos-lhe opções para todos os ritmos e para todas as situações. Traga o jogo todo para a cama – ou para o carro, ou para o chão. Bom, para onde quiser, na verdade – e vá tirando a roupa porque a nossa playlist de música para sexo é meio caminho andado para entrar no mood. Recomendado: As melhores sex shops em Lisboa

As músicas românticas alternativas que precisa de ouvir
Música

As músicas românticas alternativas que precisa de ouvir

Já muito foi escrito sobre a temática do amor. Poesia e prosa, guiões e músicas, tudo parece conjugar-se para um ininterrupto fluxo de paixões e corações e tudo o mais que lhe couber dentro. Aqui focamo-nos na música e, nesse território, podemos perder dias a navegar em clássicos, de Al Green a Barry White, de Whitney Houston a The Supremes, até perder o rasto, até que o corpo já não aguente uma só estrofe. Mas não. Decidimos alterar o rumo e desviar-nos dos grandes lugares comuns, trazendo ao de cima algumas canções menos óbvias. São as músicas românticas alternativas que precisa de ouvir. Recomendado: As músicas para sexo que lhe vão dar uma mãozinha

10 breakup songs para remoer desditas amorosas
Música

10 breakup songs para remoer desditas amorosas

Diz-se que o enredo básico da maioria dos filmes clássicos de Hollywood pode ser reduzido a “rapaz conhece rapariga, rapaz perde rapariga, rapaz reconquista rapariga”. Em tempos mais recentes e igualitários, a rapariga pode trocar de lugar com o rapaz, e, em tempos ainda mais recentes e abertos a expressões não-ortodoxas da sexualidade, a equação pode ser reescrita com “rapaz + rapaz” ou “rapariga + rapariga”. Consta que a fórmula foi enunciada explicitamente pela primeira vez na peça Boy Meets Girl, da autoria de Bella Spewak e Samuel Spewak e estreada na Broadway em 1935. A peça era uma endiabrada comédia sobre os bastidores de Hollywood e na versão cinematográfica, realizada três anos depois, James Cagney e Pat O’Brien assumiram os papéis principais, vestindo a pele de dois argumentistas sabidos que se metem em sarilhos. A canção pop só tem três ou quatro minutos para contar uma história, em vez dos 90-100 minutos do típico filme de Hollywood, portanto tende a tomar apenas numa parte do plot-padrão e o episódio “rapaz perde rapariga” (ou o reverso) tem dado canções inesquecíveis. Recomendado: Dia dos Namorados em Lisboa

Publicidade
Sete canções românticas que precisa de ouvir
Música

Sete canções românticas que precisa de ouvir

Na música, o período Romântico cobre quase todo o século XIX e os primeiros anos do século XX. Há quem veja o Beethoven dos últimos anos de vida como o primeiro romântico e Rachmaninov, que continuou a compor música nos moldes oitocentistas muito depois das revoluções operadas por Debussy, Ravel, Stravinsky e a Segunda Escola de Viena, como o último romântico. Nestas contas não costumam entrar os Neo-Românticos da década de 1980, como os Duran Duran e os Human League, cuja contribuição se exerceu menos na área da música do que na do hairstyling & makeup. Se o Romantismo na literatura foi uma invenção germânica, foi também a Alemanha a desempenhar o papel central no Romantismo musical e uma das formas mais cultivadas pelos compositores românticos foi o Lied (plural: Lieder), palavra alemã que tem o significado genérico de "canção", mas que, no contexto da música clássica, costuma designar a canção para voz solo e piano (mais raramente com orquestra) de compositores alemães. Os românticos não inventaram o Lied – Mozart e Beethoven compuseram um bom número deles – e o Lied não acabou com o fim do Romantismo – Schoenberg, Webern ou Eisler também compuseram canções em alemão para voz e piano, mas que são alheias aos padrões do Romantismo.

As melhores músicas de amor de sempre
Música

As melhores músicas de amor de sempre

Com o Dia dos Namorados à porta, pedimos a 11 músicos portugueses para escolherem as melhores músicas de amor de sempre. De Elvis Presley a Air, há canções para todos os gostos e estados civis (comprometidos, solteiros, é complicado...). Uma playlist para ouvir todo o ano – e não apenas no dia 14 de Fevereiro.

Sete peças clássicas inspiradas em Romeu e Julieta
Música

Sete peças clássicas inspiradas em Romeu e Julieta

Os “star-crossed lovers” Romeu e Julieta estão na origem de incontáveis peças de música erudita. Há a contabilizar pelo menos 27 óperas, a primeira das quais foi o singspiel Romeo und Julie, surgido em 1776, pela mão do compositor boémio Georg Benda, a partir de um libreto que desemboca num final feliz, como era convenção na ópera daquele tempo: quando, no túmulo de Julieta, Romeu se prepara para cravar um punhal no peito, Julieta desperta e o par canta um enlevado dueto de amor; para a felicidade ser completa, Frei Lourenço consegue persuadir o pai de Julieta a aceitar Romeu como genro. O tema inflamou a imaginação de libretistas e compositores de ópera italianos (Marescalchi, Zingarelli, Guglielmi, Vaccai) na viragem dos séculos XVIII-XIX, mas nenhuma destas óperas gozou de fama prolongada e acabaram por ser as óperas e a música orquestral surgidas durante o período Romântico a perpetuar hoje a paixão trágica de Romeu e Julieta nos teatros e salas de concerto. No sábado 21 de Janeiro, pelas 18.00, na Fundação Gulbenkian, poderá assistir-se à transmissão directa Live in HD a partir da Metropolitan Opera de Nova Iorque a uma récita do Roméo et Juliette de Gounod, com Diana Damrau e Vittorio Grigolo nos papéis principais, direcção de Gianandrea Noseda e encenação de Bartlett Sher.

Nove grandes duetos de amor na ópera
Música

Nove grandes duetos de amor na ópera

A definição de ópera de George Bernard Shaw – “um tenor e uma soprano querem ir para a cama, mas são impedidos de o fazer por um barítono” – tem algum fundamento, mas é uma base que permite imensas variações

Publicidade
Oito peças clássicas para ouvir junto à lareira
Música

Oito peças clássicas para ouvir junto à lareira

O frio e outras inclemências invernais convidam a que se fique em casa? É uma boa oportunidade para recordar algumas peças de compositores de séculos passados a quem a estação inspirou magnífica música

10 versões de “You Don’t Know What Love Is”
Música

10 versões de “You Don’t Know What Love Is”

Custa a crer que Don Raye (letra) e Gene DePaul (música) tenham composto “You Don’t Know What Love Is” para Keep 'Em Flying (1941), uma desmiolada comédia aeronáutica da dupla Abbott & Costello, que funcionava também como apelo ao alistamento na Força Aérea americana (a II Guerra Mundial estava em curso, embora ainda sem a particpação directa dos EUA). É uma canção que oferece uma visão sombria do que é o amor: “Não sabes o que é o amor/ Até aprenderes o significado dos blues”, devendo aqui os “blues” entender-se no duplo significado do género musical e de uma disposição de espírito depressiva. No filme, a canção era interpretada por Carol Bruce, mas o trecho foi suprimido na montagem final. Ella Fitzgerald deu pela sua existência mas, estando em princípio de carreira, pouco ou nada conseguiu fazer para a difundir. A canção foi repescada para um musical de série B, Behind the Eight Ball (1942) – novamente uma comédia e mais uma vez cantada por Carol Bruce – mas permaneceu arredada dos holofotes até que em meados da década de 1950 Miles Davis e Chet Baker a gravaram e empurraram para a ribalta. “You Don’t Know What Love Is” é uma lição sobre a vida como perda e desilusão: “Até teres vivido uma paixão condenada à perda/ Não sabes o que é o amor// Não sabes como doem os lábios/ Até teres beijado e pagado o preço desse beijo/ Até teres jogado o teu coração e perdido/ Não sabes o que é o amor// Não sabes o que sente um coração perdido/ Quando é assaltado pelas recordações/ E como