A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Bar, Quiosque, São Paulo, Esplanada
Fotografia: Duarte DragoQuiosque São Paulo

Filhos da pandemia: 71 projectos que tem de conhecer agora

Dois anos depois do primeiro confinamento, a vida parece estar quase a voltar ao normal. Destacamos 71 projectos nascidos (ou renascidos) durante a pandemia.

Escrito por
Editores de Time Out
Publicidade

Os primeiros casos de Covid-19 em Portugal foram detectados em Março de 2020. Passadas poucas semanas, o bicho trancou-nos em casa. Lentamente, voltámos a sair à rua, e a confinar, a sair e a confinar, presos numa espécie de limbo. Mas Lisboa nunca se resignou a ficar no limbo. Mais ou menos indiferentes à pandemia, não pararam de inaugurar novos negócios e ser lançados projectos, outros ainda reinventaram-se. Agora que a vida parece estar prestes a voltar ao normal, destacamos 71 projectos nascidos e renascidos nestes meses e anos pandémicos. Há lojas onde vale a pena gastar alguns euros, restaurantes que nos deixam a babar só de vê-los no Instagram, museus e galerias para visitar e muitas outras coisas para fazer em Lisboa. E queremos fazê-las já.

Recomendado: O que há de novo em Cascais

Setenta e uma coisas para fazer agora

  • Arte
  • Galerias
  • Avenida da Liberdade/Príncipe Real

O mundo está a mergulhar num novo tipo de arte que chega em forma de vídeos projectados em paredes gigantes, esculturas luminosas e simuladores interactivos. E o espaço subterrâneo da Alfândega do Porto e o Reservatório da Mãe d’Água das Amoreiras transformaram-se em galerias especializadas em arte digital imersiva. A Immersivus Gallery já recebeu hologramas e projecções a 360o de obras-primas de Monet e Klimt, Michelangelo e Da Vinci – e prepara-se para dar que falar com Frida Khalo.

  • Coisas para fazer
  • Eventos desportivos
  • Sete Rios/Praça de Espanha

Se está com desejos de deslizar por pistas geladas, rume às Laranjeiras. Oi? Ah, pois é, a Ski Academy tem o charme de um chalé de montanha, mas é um ginásio no meio da cidade, com passadeiras e bicicletas e... um simulador de ski e snowboard, com nova tecnologia de GPS, capaz de reproduzir não só diferentes pistas num ecrã 4K como também as forças físicas e biomecânicas sentidas durante uma experiência real. Prepare-se que a temperatura vai subir.

Seg-Sex 07.00-20.00 (mediante marcação). A partir de 15€. skiacademy.pt

Publicidade
  • Restaurantes
  • Chiado

No Rocco, o restaurante do novo The Ivens Hotel, não há foto que fique mal, nem há quem queira ficar de fora. Abrem-se as portas e tudo chama pela nossa atenção. Ao centro, um majestoso balcão com 17 lugares, onde se evidenciam veludos, cores fortes e motivos florais – é aqui que fica o Gastrobar. Ao lado, o Crudo, um recanto onde o marisco é acompanhado por champanhe, espumante ou prosecco. Em baixo, o restaurante italiano clássico. Faça o que fizer, não saia sem descer à casa de banho, a mais bonita de Lisboa.

  • Noite
  • Bares abertos de madrugada
  • Avenida da Liberdade

O mundo mudou – e o melhor speakeasy lisboeta também. Não só o Red Frog mudou de morada como voltou à lista The World’s 50 Best Bars – desta vez na 67.a posição. O bar de cocktails de assinatura nasceu em 2015 pelas mãos de Emanuel Minez e Paulo Gomes. Com a pandemia, fechou as portas durante mais de um ano, acabando por reabrir com um novo conceito numa sala secreta dentro do Monkey Mash (o bar da mesma dupla, aberto desde 2019).

Publicidade
  • Bares
  • Cais do Sodré

O Museu Erótico de Lisboa não é um museu. Instalado no sítio do antigo Sabotage, no Cais do Sodré, o MEL é um bar onde reina o erotismo, das cadeiras baloiçantes no ar às paredes pintadas de Cicciolina ou aos nomes sugestivos dos pratos e cocktails. Há ainda uma sala privada que se esconde no piso superior com capacidade para receber 16 pessoas.

  • Coisas para fazer
  • Centros culturais
  • Chiado/Cais do Sodré

Os Maus Hábitos, referência na noite portuense, abriu um espaço no Cais do Sodré. Chama-se Vícios à Mesa e é um restaurante com uma agenda cultural recheada, de concertos a serões temáticos para quem quer ser entretido ao jantar – que, neste caso, se faz com as famosas pizzas com nomes de celebridades.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Haute cuisine
  • São Sebastião

Pedro Pena Bastos chegou ao Ritz e conquistou. E não foi preciso esperar muito para que o Guia Michelin atribuísse ao Cura uma estrela. A sua cozinha, atenta à sazonalidade e à origem do produto, vale o investimento de um jantar. Os menus de degustação – Meia Cura (105€), Raízes (85€) e Origens (145€) – são garante de uma noite especial.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Cais do Sodré

Sufocados pela pandemia e a precisar de ar fresco, subimos ao terraço do Javá, no Cais do Sodré, para festejar a liberdade recuperada. A vista privilegiada sobre a cidade é um dos motivos para visitar o espaço, mas a carta é razão para ficar. Não faltam entradas, pratos para partilhar e, claro, sobremesas. Aos fins-de-semana há brunch.

  • Restaurantes
  • Mediterrâneo
  • Estrela/Lapa/Santos
  • preço 2 de 4

Depois do Heim e do Seagull Method Cafe, Hanna e Misha abriram o Kefi, o restaurante grego que se tornou um sucesso imediato. O espaço é convidativo: os janelões, as paredes escavadas, o tecto com tinta de areia branca, as vigas em azul helénico. À mesa, comida tradicional grega.

Publicidade
  • Compras
  • Moda
  • Chiado/Cais do Sodré

Depois de um showroom com atendimento por marcação, a marca portuguesa abriu a primeira loja. No interior, o cenário branco faz brilhar o portfólio da Lachoix – dos loafers em pêlo aos slip-on de veludo, sem esquecer os clássicos Tomboy.

  • Noite
  • Cafés/bares
  • Lisboa

Vinhos, petiscos, plantas e vinil. São estes os pilares de A Viagem das Horas, o bar que tem animado Arroios, fundado por Ricardo Maneira, também conhecido por DJ Rycardo. Nem de propósito, aqui ouve-se música como em poucos sítios, de fio a pavio, e petisca-se com o melhor que a zona oferece.

Publicidade
  • Compras
  • Decoração
  • Estrela/Lapa/Santos

A vontade de reunir as novas descobertas – em áreas tão distintas como o mobiliário, a cerâmica, o têxtil, a luminária, a tapeçaria e mesmo a ilustração – num único espaço levou os irmãos Paz e Gonçalo Braga a abrir a Santo Infante. São poucos metros quadrados recheados com o que de melhor se faz aquém-fronteiras e que mereceram o título de Loja do Ano, atribuído pela Time Out.

  • Hotéis
  • Avenida da Liberdade/Príncipe Real

O Mama Shelter chegou, vindo de França, para animar os dias e as noites de Lisboa. Apesar de ser um hotel, é no restaurante (com zona de bar, esplanada e um pequeno palco) que a festa acontece. O chef é Nuno Bandeira de Lima, que apresenta uma carta composta por sugestões de assinatura Mama Shelter, mas também por pratos da nossa praça.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Chiado

Música, arte, copos e boa comida. Os filhos do 100 Maneiras – Manuel Maldonado, chef executivo do grupo e que está habitualmente na cozinha do estrelado 100 Maneiras; Miguel Santos, director de operações; Luis Ortiz, chef de cozinha; e João Sancheira, chefe de bar – abriram o Carnal, um gastrobar mexicano cheio de atitude, no Chiado. Os tacos são uma aposta forte, e são servidos até às 02.00. Para acompanhar, há bons cocktails.

Publicidade
  • Noite
  • Baixa Pombalina

Também nas novidades de 2021, o Gala Gala abriu na baixa alfacinha e tem o melhor de dois mundos: cocktails e máquinas de arcade para reviver clássicos como Pac-Man ou Donkey Kong. O conceito reúne o lado mais geek da brasileira Isis Freitas com o lado mais épicurien de Margaux Duroux, a outra sócia. Com o lema “for amusement only”, junta à carta de bebidas petiscos à base de trufa preta.

  • Coisas para fazer
  • Oeiras

É uma novidade do Aquário Vasco da Gama: uma janela para o mundo de peixes que as crianças (e adultos) podem descobrir à distância de um toque. Trata-se de uma parede digital com 20 m2 e vários ecrãs que exibem espécies marinhas. Tocando em cada uma delas descobre- -se a informação necessária para sair do Aquário a saber mais.

Publicidade
  • Compras
  • Moda
  • Estrela/Lapa/Santos

As lojas não se medem aos palmos e a House of Curated é uma prova disso. Da portuguesa C.R.T.D. à colaboração com a Poeira, passando por uma mão cheia de pequenas marcas independentes trazidas da América do Sul, a curadoria serve uma montra perfeita para quem procura peças singulares e para todos os bolsos.

  • Restaurantes
  • São Vicente 
  • preço 3 de 4

O SEM, que segue uma política de desperdício zero, foi a mesa mais surpreendente de 2021 e, certamente, uma das mais saborosas. Estamos no terreno da cozinha de autor, muito técnica e estética, mas que nunca perde de vista o sabor. O restaurante só serve menu de degustação, mas no wine bar ao lado é possível pedir à carta.

Publicidade
  • Compras
  • Decoração
  • Lisboa

Da união de esforços e vontades de Catarina Portas, a fundadora d’A Vida Portuguesa, e de Filipa Belo, mentora da plataforma Portugal Manual, nasce o Depozito. Dentro desta loja/armazém, há dezenas de marcas e autores portugueses, uma curadoria dividida entre o velho e o novo artesanato, em que ambos dialogam e se complementam.

  • Compras
  • Designer
  • Chiado/Cais do Sodré

A incursão de Joana Duarte pelos enxovais de mães, tias e avós de todo o país começou em 2019. Hoje, dentro do Béhen Studio, é como se a designer portuguesa nos convidasse para o seu pequeno salão de chá. Não faltam as porcelanas, os candeeiros e os móveis a fazer lembrar o charme de outros tempos.

Publicidade
  • Compras
  • Areeiro/Alameda

Em Março de 2020, nasceu na Avenida de Roma o espaço cultural preferido dos leitores da Time Out Lisboa. Pelo menos é o que dizem os resultados da última edição dos Love Local Awards, em que mereceu especial destaque a Nova Banca Galeria, instalada num antigo quiosque de jornais. Uma galeria que quer democratizar o acesso ao mundo da arte, entre serigrafias, litografias, stencil, fotografias, cerâmicas, óleos, acrílico ou colagens 3D, dos prints aos originais, e que se faz acompanhar por uma loja online.

  • Compras
  • Decoração
  • Alcântara

Nesta casa, o acto de cuidar é a cola que une três elementos: pessoas, plantas e animais. A Curae nasceu como plataforma online, mas ganhou um espaço próprio, ali para os lados de Alcântara. É lá que, além de belos espécimes botânicos, encontra uma agenda de actividades e um café/ restaurante para quem quer conviver entre as plantas.

Publicidade
  • Saúde e beleza
  • Cabeleireiros
  • Grande Lisboa

Kasia Kosiarska é quem dá as boas-vindas. A sensação de conforto é imediata nesta antiga loja de chapéus, agora convertida em muito mais do que um simples cabeleireiro. O Minds & More é uma espécie de cowork onde os profissionais podem trazer os seus próprios produtos e atender os seus clientes. Os discos de vinil e as peças de arte fazem parte do ambiente.

  • Arte
  • Arte contemporânea
  • Alcântara

O B-MAD, Berardo – Museu Arte Déco abriu portas na antiga residência de veraneio do Marquês de Abrantes, construída na primeira metade do século XVIII. O novo museu de Joe Berardo dedica-se sobretudo a mostrar objectos de Arte Nova e Arte Déco, com destaque para as peças de arte decorativa de artistas como René Lalique, Majorelle, Jacques-Émile Ruhlmann, Alfred Porteneuve, Dufrêne ou Jallot, que complementam pinturas, esculturas, desenho e joalharia.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Cascais

Salvo seja. O desafio no Kappo, o japonês que abriu em Cascais com uma equipa que já tinha brilhado no Midori, é confiar no que vai comer, com a certeza de que será bom. O nome escolhido é o do estilo de cozinha japonesa que numa tradução literal significa “cortar e cozinhar”, mas que vai muito além disso, focando-se na proximidade entre chef e quem à sua frente se senta. O ideal é entregar-se a um dos menus de degustação (65€-90€).

  • Coisas para fazer
  • Marvila

A associação cultural Núcleo A70 trocou o bairro dos Anjos pela zona oriental da cidade. O novo sítio, aberto desde Setembro, trouxe mais espaço e uma programação recheada, com ciclos de cinema, jam sessions e festas para vingar as noites que ficaram por dançar no último ano.

Publicidade
Desvendar quem raio é o Henry
Gabriell Vieira

29. Desvendar quem raio é o Henry

O mistério não vai cair tão cedo por mais que tentemos, mas há formas de lhe seguir as pisadas e assim ficar mais próximo da figura que nos últimos dois anos nos tem deixado a questionar sobre “Who the fuck is Henry?”. Seja na Estação de Santos, onde ocupam o café, seja nos speakeasy dinners ou nas festas que o colectivo organiza. Às segundas, destila-se o álcool que se bebeu em sessões de boxe.

Instagram: @who.the.fuck.is.henry

  • Desporto
  • Estrela/Lapa/Santos

Têm-se multiplicado como cogumelos os campos de basquete com intervenções de arte urbana – muitos deles depois da pandemia. Se só tiver vontade de encestar num deles, aponte para Alcântara, onde o artista Flix deu cor ao 3X3 da Doca do Espanhol. Mais um projecto da Hoopers para dar nova vida a velhos campos, este com inspiração náutica.

Publicidade
  • Compras
  • Decoração
  • Estrela/Lapa/Santos

O imponente portão de ferro aberto é o primeiro convite para entrar neste palacete dos anos 1920. Lá dentro, há peças de mobiliário do século XX, obras de artistas portugueses, conhecidos e emergentes, e plantas de interior cheias de viço. E está tudo à venda. A histórica revista Brotéria saiu daqui para o Bairro Alto e os lisboetas ganharam o Lx Lapa.

  • Arte
  • Marvila

As paredes vermelhas da galeria .insofar destacam-se para quem agora passa na Rua Capitão Leitão, morada de nomes como a Galeria Francisco Fino ou a de Bruno Múrias. Numa antiga fosforeira, Hugo Carvalho fundou esta nova galeria de arte contemporânea portuguesa que pretende mostrar que a arte contemporânea pode – e deve – ser mais diversa.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Alfama
  • preço 3 de 4

Foi em 2020 que a chef Marlene Vieira abriu este projecto grandioso no Terminal de Cruzeiros de Lisboa, com uma esplanada bem vistosa. No Zunzum Gastrobar há espaço para a alta-cozinha a preço mais acessível, com uma carta bem composta de pratos para partilhar. Siga a degustação com escolhas da chef. As técnicas são do mundo, mas os ingredientes e os sabores são bem portugueses.

  • Restaurantes
  • Cafés
  • Avenidas Novas

Não esperamos de um brioche que seja macio, húmido, mas no Croissant da Serra, nas Avenidas Novas, os sentidos confundem-se à medida que o croissant se derrete na boca e o aroma, doce, nos aquece os pulmões. Esta é a segunda loja da marca, que em Maio de 2021 se lançou na Malveira da Serra, mas tudo começou mais a norte. “Isto vem de uma paixão antiga por uns croissants que normalmente não se encontravam na zona de Lisboa, são os conhecidos croissants do Porto”, conta Rita Brito, responsável por fundar o Croissant da Serra com Henrique Leite. 

Publicidade
  • Atracções
  • Alcântara

Faz parte do Village Underground e nasceu de uma parceria com o Acorde Maior, um ensemble fundado em 2018 e composto por 30 jovens da Área Metropolitana de Lisboa. A Skoola é uma academia de música assente numa comunidade de profissionais da área, com alunos entre os 10 e os 18 anos. Guitarra, baixo, bateria, teclas, voz e música digital são as matérias disponíveis.

  • Compras
  • Avenidas Novas

A Oh, Maria é um verdadeiro rebento de quarentena, que deixou de existir só online para florir as Avenidas Novas com casa própria. A loja não é grande, mas tem espaço suficiente para se encher de flores de toda a espécie. Os ramos com nomes femininos são de flores frescas, os nomes masculinos ficam para as flores secas e preservadas. Existem planos semanais, quinzenais ou mensais para quem quer ter sempre a casa florida.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Avenidas Novas

Felizmente, os cachorrinhos já não são só coisa do Porto. No The Dog, casa que já soma uns anos a norte, mas que chegou a Lisboa apenas no ano passado, os cachorrinhos (3,40€) pequeninos, gulosos e picantes q.b., feitos com baguetes finas, prensadas com salsicha, queijo derretido e um molho simples pincelado por cima, comem-se uns a seguir aos outros.

Publicidade
  • Desporto
  • Boxe e kickboxe
  • Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

No Bhout, um ginásio perto do Campo Pequeno, cada soco é um ponto. Há sacos de boxe pendurados e, em dois ecrãs, estão os pontos de cada um dos participantes. A ideia é competir com os colegas, mas também de forma individual, já que através de uma aplicação é possível aceder aos pontos obtidos em cada aula e acompanhar a evolução. Durante a semana há aulas gerais e outras mais focadas em diferentes partes do corpo.

  • Coisas para fazer
  • Grande Lisboa

Nos 3500 metros quadrados de trampolins do Jump Yard toda a gente salta. Aqui não faltam atracções para quem gosta de adrenalina, como a Jump Tower, uma zona em que é possível saltar de uma plataforma para aterrar num colchão de ar, a Clip’Climb, uma área com sete paredes (uma delas dupla) para escalar, ou o Ninja Park, uma parte do armazém para os cada vez mais fervorosos adeptos do programa American Ninja Warrior.

Publicidade
  • Arte
  • Design
  • Estrela/Lapa/Santos

Muitos portugueses já se sentaram em cadeiras desenhadas por Daciano da Costa, alguns sem fazerem ideia. Estão no Coliseu de Lisboa, na Fundação Calouste Gulbenkian e na Casa da Música, entre muitos outros espaços. E agora estão também na Lapa, no novo Atelier Daciano da Costa, fundado pela filha Inês Cottinelli, decorado a cadeiras, poltronas, mesas, cinzeiros, posteres, estantes ou mesmo porcelanas, com o traço de Daciano. A visita ao site oficial é obrigatória.

  • Restaurantes
  • Cafés
  • Lisboa

Na zona do Rato, abriu em Setembro de 2020 o The Whisk Café, um café de look retro e industrial que serve “um brunch dos 8 aos 80”, com opções mais convencionais. Menos convencional (mas muito fofo) é o Ozuna, o cão da casa, pelo menos enquanto a tendência de levar o animal para o café não se alargar a muitos mais espaços da cidade.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Cafés
  • Chiado/Cais do Sodré

O Café Joyeux quer provar que a trissomia 21 e o autismo não são limitações. Este café-restaurante é um projecto solidário vindo de França e chegou a Portugal, mais concretamente a São Bento, pela Associação VilacomVida. Emprega pessoas com dificuldades intelectuais e de desenvolvimento. Os lucros desta operação destinam-se à abertura de mais espaços.

  • Restaurantes
  • Chiado/Cais do Sodré
  • preço 3 de 4

Ganhou fama na Comporta e foi chegando timidamente a Lisboa em formatos pop-up, até que no ano passado, felizmente, o restaurante de Bruno Caseiro veio para ficar. O Cavalariça Lisboa está no espaço do antigo Optimista, com uma cozinha descontraída, muita técnica e bom produto português. Ao almoço há um menu fixo de 25€.

Publicidade
  • Compras
  • Designer
  • Chiado/Cais do Sodré

Na mesma porta, o Kintu Studio junta várias marcas e criadores portugueses em áreas como a moda e a ilustração. Sylwia Cylwik é a responsável pelo projecto da loja, mas não está sozinha. Julia San Millán e Olaya Mo ocupam as restantes salas com a Casa Angelita, um atelier de cerâmica e estúdio de tatuagens que querem ajudar a pôr esta rua no mapa.

  • Compras
  • Decoração
  • Lisboa

A Poeira Botânica dá pano para mangas no que toca a plantas e a todo o conhecimento que elas exigem. É aqui que Francisca Maltez apresenta os seus melhores espécimes. O paisagismo como negócio começou em 2017 com o nome Azores Botanics, mas a loja é partilhada com a Poeira, um nome já bem conhecido pelo trabalho desenvolvido na decoração e no design de interiores.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Cais do Sodré

Estávamos em 2020 e a voltar à rua depois de um longo confinamento quando o Quiosque de São Paulo nasceu no Cais do Sodré para nos lembrar uma cidade que parecia já não existir. Um quiosque antigo e à moda antiga, com a comida a ser feita na cozinha da Taberna da Rua das Flores, de André Magalhães e companhia. Numa ardósia anunciam-se petiscos com uma relação qualidade/preço difícil de bater.

Publicidade
  • Compras
  • Chiado/Cais do Sodré

A Mustique abriu portas perto da Igreja de Santa Catarina. Onde antigamente era uma livraria escura, há agora um espaço claro e luminoso. As camisas com estampados coloridos foram um sucesso – e com a loja física a marca lançou a primeira colecção de Outono/Inverno. As camisolas e casacos quentinhos são produzidos em Portugal, mais precisamente em Aveiro.

  • Restaurantes
  • Padarias
  • Grande Lisboa

Depois de uma pausa imposta pela pandemia, a Padaria da Né venceu o concurso mais guloso – e também o que mais discussão gera. Foi com o pão que tudo começou, em Mafra, mas foi o pastel de nata (0,85€), já na Damaia, que lhes deu o reconhecimento. Na receita não há segredos nem invenções, garantem.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Aulas e workshops
  • Campo de Ourique

O estúdio é escuro, tem capacidade para 20 pessoas e está equipado com um sistema de som digno de uma pista de dança. Porém, dançar no Studiorise só mesmo com os pés atarraxados nos pedais. Sim, porque estas aulas de cycling festivas exigem calçado próprio, disponibilizado pelo estúdio e a fazer lembrar as velhas idas ao bowling. São 45 minutos non stop, o que significa que tem de ir preparado para suar em bica.

  • Comédia
  • Lisboa

No Inverno de 2021, numa altura em que a situação pandémica era de calamidade, abriu um espaço para desanuviar o ambiente e pôr-nos a morrer a rir. No Lisboa Comedy Club, o humor sobe ao palco sem reservas e todas as noites há comediantes para ver. Funciona ainda como bar e restaurante – e no piso inferior há uma sala dedicada a espectáculos que pedem bilhete para entrar.

Publicidade
Comprar directamente aos produtores
comida independente

53. Comprar directamente aos produtores

Mercados há muitos, mas nenhum como este promovido pela Comida Independente. O Mercado de Produtores começou em plena pandemia e desde então que aos sábados a Praça de São Paulo se tornou palco de romaria para todos os que gostam de saber sempre o que estão a comprar. Há bancas fixas, mas a graça deste mercado está também na rotatividade.

Praça de São Paulo (Lisboa). Sáb 10.00-14.00.

  • Compras
  • Santa Maria Maior

Em Novembro de 2020, a histórica Filatelia A. Molder voltou a ter uma galeria, o que já não acontecia desde os anos 60 do século passado. Numa das salas, Adriana Molder, artista plástica e neta do fundador, abriu a Galeria A. Molder para apoiar artistas contemporâneos. A entrada é livre e uma excelente desculpa para visitar a filatelia que faz parte do programa municipal Lojas com História.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Padarias
  • Parque das Nações

A pãodemia foi real e acabou a dar frutos, ou pães, para sermos fiéis ao negócio de David Jesus e Sandra Freitas. Tudo começou quase como uma brincadeira, uma forma de passar o tempo em casa, até que o passa-a-palavra os apanhou em cheio e a The Millstone Sourdough ganhou forma. A padaria artesanal abriu no Parque das Nações e o pão vale todas as viagens.

  • Restaurantes
  • Nepalês
  • Baixa Pombalina
  • preço 2 de 4

O Oven, em plena baixa lisboeta, combina os sabores da Índia com os do Nepal. O nome é uma referência à estrela do restaurante, que se destaca na cozinha aberta para a sala: um majestoso forno tandoor, feito na Índia, especialmente para aqui. É por lá que passa grande parte do menu, dos pães naan ao frango ou ao borrego.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Pastelarias
  • Chiado/Cais do Sodré

Entre uma ou outra mudança de nome, as sobremesas delicadas de Juliana Penteado conseguem surpreender-nos todas as semanas. Usando óleos essenciais para tudo ficar mais aromático, saboroso e cheio de benefícios, a chef de pastelaria tem sempre um menu que tem tanto de bonito como de guloso.

  • Coisas para fazer
  • Lisboa

O trabalho nunca mais foi o mesmo, e os espaços de cowork na cidade proliferaram. Catarina Monteiro e Leonor Bettencourt Loureiro arregaçaram mangas e transformaram um armazém em Arroios no Corrente, um espaço colaborativo e multidisciplinar, pensado para receber artistas, marcas, eventos comunitários, projectos independentes e artesãos.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Marvila

O Parque Ribeirinho Oriente foi um dos projectos mais aguardados para a frente ribeirinha de Lisboa. Um parque verde que se inicia junto aos armazéns da Doca do Poço do Bispo e se estende para Norte ao longo de 600 metros, ocupando uma área total de quatro hectares junto ao rio Tejo. Foi inaugurado em Fevereiro de 2020, pouco tempo antes do primeiro confinamento, tornando-se um dos locais mais ‘pandemia-friendly’ da cidade.

  • Restaurantes
  • Cais do Sodré

A cidade pula e avança e o Time Out Market, como de costume, acompanha o ritmo. A pandemia foi ingrata, como em toda a restauração, mas o regresso fez-se forte com muitas e boas novidades: um segundo bar de cocktails, uma loja da Crush Doughnuts, um projecto sustentável do restaurante Can The Can (Selo de Mar) e a chegada do chef estrelado Vincent Farges.

Publicidade
  • Compras
  • Mercearias
  • Castelo de São Jorge

De forma discreta, nasceu o ano passado a Rizoma, uma cooperativa que está a germinar em várias frentes e que começou com uma mercearia comunitária provisória no Beco do Rosendo, na Mouraria. Entretanto, encontraram uma casa permanente em Arroios que abre “em breve”, onde os cooperantes podem continuar a comprar produtos responsáveis a preços justos, um dos braços desta cooperativa que se está a preparar para muito mais, da cultura à habitação.

  • Compras
  • Alcântara

As crianças merecem sempre brincar, mesmo em tempos de crise. Cláudia e Paulo Antunes sabem disso e não só fizeram crescer a sua Petit Love da LX Factory, como abriram duas novas: uma em Alvalade e outra em Oeiras. Há propostas para todos os gostos e feitios, com destaque para brinquedos e livros baseados no método Montessori.

Publicidade
Ser romano em Lisboa
©José Avelar

63. Ser romano em Lisboa

Alguns achados arqueológicos da época romana são bem conhecidos e visitáveis. Outros estão escondidos ou merecem um olhar mais atento. Na plataforma Lisboa Romana, lançada em 2021, encontra 270 pontos arqueológicos georreferenciados e distribuídos pelos 18 concelhos da Área Metropolitana de Lisboa (AML), além de 15 percursos pedonais, centenas de fotografias, animações 3D ou 27 QR codes espalhados pela cidade.

Lisboaromana.pt

  • Bares
  • Bares
  • Lisboa

Há dois anos que Peter O’Connor eleva a fasquia da mixologia lisboeta. Afinal, experiência no ramo é o que não falta a este irlandês especialista em whisky. Mas dentro do pequeno Onda Cocktail Room, a estrela é mesmo o menu Flavour Discovery, um alinhamento de 16 receitas com o dedo de Daniel Zamith, outrora bartender do Bistrô 100 Maneiras.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Santa Maria Maior

É um pássaro? É um avião? Nada disso: é voar virtualmente, sem sair do lugar. A VR Tours é a nova inquilina do Lisboa Story Center, no Terreiro do Paço, e disponibiliza uma experiência de realidade virtual 360º. Durante 20 minutos, pode sobrevoar monumentos como o Cristo Rei, o Mosteiro dos Jerónimos ou a Quinta da Regaleira.

  • Restaurantes
  • Princípe Real

O sítio é pequeno e quase passa despercebido, não fosse um cartaz na Rua da Escola Politécnica com o nome que chama imediatamente à atenção, “Sujamãos”, e logo abaixo a exclamação: “É do cachaço!”. A carta também é pequena e não tem nada que enganar: para comer há apenas sandes de cachaço, croquetes de cachaço e sopa.

Publicidade
Relaxar com arte e yoga
Floresta Encantada - Sintra

68. Relaxar com arte e yoga

É uma pausa no ritmo alucinante da vida citadina. O Lisbon Art Retreat nasceu no final de 2020 com retiros de um ou mais dias em que o yoga e a meditação casam com workshops criativos e comida saudável. Bem-estar e criatividade fazem parte da mesma fórmula, idealizada por Jule Kurbjeweit. Já há datas marcadas para 2022: de 31 de Março a 3 de Abril e no dia 1 de Maio.

Informações e reservas online. Preços: a partir 75€

Publicidade
  • Arte
  • Galerias
  • Lisboa

Um atelier de arquitetura que se queria abrir à rua e ao bairro: assim nasceu a Antecâmara. O atelier é o Campos Costa Arquitetos, que reabilitou uma antiga padaria, tirando o que tinha sido acrescentado e repondo o que estava no projecto de obra. Para a arquitectura ficou o interior – o espaço dos fornos e salas de amassadeiras. A galeria e rádio, essas, estão à frente, viradas para a rua, onde antes se vendia o pão.

  • Compras
  • Beato

A arquitectura, a cerâmica e a ilustração vivem debaixo do mesmo tecto desta loja-ateliê perto da Alameda. A montra envidraçada da Lusco Fusco deixa à vista a pequena aldeia de artes gráficas que por ali nasceu para dar palco a artistas portugueses. Há trabalhos da Oficina do Cego, obras da editora Triciclo, Hugo Oliveira, Studio Adamastor, Joana Pardal, José Feitor, Ana Seixas, Bina Tangerina, Clara Não, Mariana Malhão, Angelina Velosa ou Henriette Arcelin.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Italiano
  • Xabregas
  • preço 1 de 4

Cozinheira de mão cheia, Erica Porru tem a quem sair, ou não fosse filha de Maria Paola Porru, que fundou o Casanostra, o mítico italiano do Bairro Alto, e o Casanova, as pizzas do rio. No Clube de Vídeo, está livre de regras. No menu do dia (12€ com tudo incluído) entra o que lhe apetecer cozinhar, dependendo também do que houver no mercado e no frio.

Mais novidades

  • Restaurantes

As novidades na restauração multiplicam-se de tal forma que, à medida que damos conta dos restaurantes que abriram nos últimos meses, novas mesas já nos esperam. Felizmente, os projectos que tinham ficado em suspenso dão-se agora a conhecer. Há restaurantes de alta-cozinha, comida democrática e street food, refeições para qualquer hora, pratos daqui e do mundo. Fazemos-lhe um guia com os melhores novos restaurantes em Lisboa, abertos nos últimos meses. Não se deixe sentir desactualizado e marque já uma mesa – é só escolher o que mais lhe apetece hoje.

  • Restaurantes

Adivinha quem voltou? Não é que a moda tivesse alguma vez desaparecido, mas com o regresso à normalidade, voltam também os brunches nas suas mais variadas formas. São cada vez mais uma refeição para toda a hora e longe vão os tempos em que se resumiam a ovos e panquecas. Demos a volta ao mundo à volta da mesa do pequeno-almoço e estes foram os novos brunches em Lisboa que descobrimos. Dos lugares mais instagramáveis a pequenos segredos – ainda –, há mais de uma dezena de novidades na cidade. O ideal, é escolher e reservar mesa.

Publicidade
  • Noite

A noite lisboeta está a recuperar e a prova disso são os novos hóspedes que vão aparecendo – e ainda bem. As novidades são das mais diversas espécies, com boa música, cocktails e seus derivados ou até cerveja artesanal. Nesta página espere sempre isto: os bares mais frescos da cidade. Por agora, estes são os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer. E se lhe dizemos isto é porque fomos lá, experimentámos e aconselhamos vivamente. Já decidiu onde é que vai beber um copo?

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade